Agenda Famaliá – 23 de setembro de 2010

TODO O BRASIL

- Seleção para Pontos de Cultura Indígenas

- Concurso: “Conheça e avalie seu Patrimônio Imaterial”

- V ENABET – Encontro Nacional da Associação Brasileira de Etnomusicologia

- Edital de Idéias Criativas para 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra 2010

- Chamada Pública para Talentos do Brasil Rural – Agricultura Familiar

- Bolsas de estudos em mestrado voltadas à diversidade

- Seleção para Pontos de Cultura Indígenas

- Empoderamento Popular com Autonomia Cidadã

REGIÃO NORTE

rorainópolis/rr

- Encontro Conversa de Mestres

Belém/PA

- Seminário “Eleições e os Compromissos com os Quilombolas”

- MOVA-CI Na Feira Panmazônica do Livro em Belém do Pará

- Campanha para o CENSO 2010: “Quem é de Axé, diz que é”

REGIÃO CENTRO-OESTE

CUIABÁ/MT

- 9º Festival de Cururu Siriri de Cuiabá começa nessa quinta-feira

CÁCERES/MT

- FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DE MATO GROSSO

BRASÍLIA/DF

- Encontro de Saberes

- Seminário Nacional Territórios e Territorialidade da Educação Quilombola

- Encontros pró-capoeira

- Encontro Inter-Religioso e Ambiental

- Brasília sediará o I Congresso Internacional dos Povos Indígenas sobre Trabalho e Emprego

- Projeto TambOres do Brasil

- Curso de Viola e Violão Caipira

PARANOÁ/DF

- Projeto Intervalo Cultural

- CUFA/DF realiza final do Campeonato de Skate no Paranoá

GOIÂNIA/GO

-Simpósio Internacional de Saberes Tradicionais, Biodiversidade, Biotecnologia e Dinâmicas Territoriais – SINBIOTEK

PIRENÓPOLIS/GO

- Batizado de Cosme e Damião

REGIÃO NORDESTE

Chorozinho, Russas e Jaguaruana/CE

- Vivências de Iniciação Musical em assentamentos no Ceará

SÃO LUÍS/MA

- 31º Aniversário do Centro de Cultura Negra do Maranhão – CCN

JOÃO PESSOA/PB

- Seminário Regional de Combate às Desigualdades Raciais entre Brancos e Negros

- II Encontro da ABET Regional Nordeste

NATAL/RN

- Griots: II Colóquio Culturas Africanas

VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

- 1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LIBERDADE DE CRENÇA E DIÁLOGO INTERRELIGIOSO

- I Seminário Nacional de Pesquisa sobre o Negro

SALVADOR/BA

- 1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Visuais

- Fórum Nacional de Crítica Cultural: Educação básica e cultura: diagnósticos, proposições e novos agenciamentos

- I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia – Teatro Vila Velha

- 1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Visuais

SÃO LOURENÇO DA MATA/PE

- 2° Semana Estadual da Vivência e Prática da Cultura Afropernambucana – Lei Malunguinho 13.298/07

RECIFE/PE

- Aberta inscrição para Registro de Patrimônio Vivo de Pernambuco

- Seminário Nacional Poderes e Sociabilidades na História UFPE

REGIÃO SUL

CURITIBA/PR

- I Festival Paranaense de Cantigas de Umbanda

CANOAS/RS

- Coletivo de Clubes lança 2° Concurso Negra Mais Brasil

XANXERÊ/SC

- Índios de três etnias terão curso superior exclusivo na UFSC

REGIÃO SUDESTE

BELO HORIZONTE/MG

- SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE A PRESENÇA AFRICANA NO MUNDO MODERNO

- Seminário sobre Formação de Professores indígenas

- Seminário Patrimônio Cultural Imaterial – Desafios do Plano Nacional de Cultura

- Seminário Internacional Os Angolas no Brasil, o Brasil em Angola – África, Europa e América e a Construção do Mundo Moderno e do Encontro de Grupos de Pesquisa: a África em Rede

PAMPULHA /BH

- Seminário Internacional sobre a Presença Africana no Mundo Moderno

RIO DE JANEIRO/RJ

- RCA e Museu do Índio organizam reunião sobre gestão de patrimônios culturais indígenas

- Movimento Negro: I P C N em Tempos de Revitalização

- Encontros pró-capoeira

- Seminário Internacional Políticas Culturais: teorias e práxis

- RETRATOS DO BRASIL 2010: OCUPAÇÃO – DA CASA À MORADA

SÃO PAULO/SP

- Audiência Pública Lei Griô em São Paulo

- Grupo de Estudos em Relações Étnico-Raciais e Educação Lélia Gonzalez (Gerere)

- Pílula de Cultura Feira Preta “É brincando que se Aprende”

- QUARTAS NO NUPAUB

- Ato Cultural Político e Religioso de Combate à Intolerância aos Afro-religiosos

- QUILOMBO DE SOLANO TRINDADE

- NOITE DO MARANHÃO

- Kolombolo Diá Piratininga

- Retomada Indígena III

- O Autor na Praça e o Encontro de Utopias realizam uma tarde poética homenageando Itamar Assumpção.

- Seminário ProExt Cultura SP: Políticas Públicas de Cultura e Extensão Universitária

- Edital de apoio a projetos que contemplem o 20 de Novembro – Dia Nacional de Celebração da Consciência Negra

- O Memorial da América Latina convida para Aranduú Poraã – Fotografia Guarani

- SANDÁLIA DE PRATA LANÇA LP

- PROGRAMAÇÃO BIBLIOTECA BELMONTE – SETEMBRO/2010

CAMPINAS/SP

- Encontro do Projeto Duas Marias e Uma Edite

- 10° Caruru de Minino

- Centro de Cultura Popular Brasileira Apresenta: Festival de Capoeira “Produção de Saberes”

- PENSANDO/FAZENDO JUNTO: A CONTEMPORANEIDADE DOS POVOS TRADICIONAIS

SOROCABA/SP

- Mostra SESC de Teatro de Rua promove um grande encontro em Sorocaba

OSASCO/SP

- A Civilização Yorubá a partir de seus Mitos e Orikis

CANANÉIA/SP

- Troca de Saberes Populares sobre Plantas Medicinais

São Bernardo do campo/sp

- Residência Artística na Câmara de Cultura de São Bernardo do Campo

TODO O BRASIL

Seleção para Pontos de Cultura Indígenas

OSCIPs podem se inscrever até o dia 1º de novembro

Foi publicado ontem (15), no Diário Oficial da União (DOU), o Edital para selecionar Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) para implementar 92 Pontos de Cultura Indígenas. As propostas para o Edital, lançado pela Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SID/MinC), podem ser encaminhadas até o dia 1º de novembro.

O objetivo do edital é celebração de parcerias com as OSCIPs para que possam ser criados Pontos de Cultura que visem à promoção e o fortalecimento das identidades e da diversidade cultural dos povos indígenas no Brasil. Além de ações que potencializem os processos de criatividade culturais das comunidades beneficiadas pelos Pontos de Cultura Indígena.

O valor para os Pontos de Cultura fora da Amazônia Legal é de cerca de R$ 195,5 mil e, para os Pontos que ficarão dentro da Amazônia Legal de cerca de R$ 226,5 mil. Esse valor será dividido em três parcelas, sendo 90% dos recursos para implantação e funcionamento dos Pontos e 10% para taxas de administração e gestão da OSCIP. A primeira parcela será efetuada após a publicação do Termo de Parceria para subsidiar o início dos trabalhos. Cada OSCIP poderá apresentar a sua proposta de implantação dos Pontos de Cultura Indígena em, no máximo, duas regiões do Brasil.

Para concorrer, as entidades deverão cumprir as cláusulas de habilitação jurídica, regularidade fiscal e qualificação econômico-financeira, bem como cumprir todas as exigências do Edital.

Mais informações pelo e-mail: identidadecultural@cultura.gov.br

Concurso: “Conheça e avalie seu Patrimônio Imaterial”

O concurso é aberto a universitários brasileiros com idades entre 18 e 26 anos cursando qualquer área ligada ao patrimônio imaterial.

Reunidos em grupos de 2 a 6 membros, os estudantes devem redigir um ensaio sobre um dos seguintes bens do patrimônio imaterial do Brasil:

a) Arte Kusiwa – Pintura corporal e arte gráfica Wajãpi

b) Samba de Roda do Recôncavo Baiano

c) Matrizes do Samba no Rio de Janeiro: Partido Alto, Samba de Terreiro e Samba Enredo

Prêmio:

O grupo vencedor receberá um prêmio no valor de US$1.500 e terá seu trabalho publicado pela União Latina, junto com os premiados dos demais países participantes.

Outras informações:

Data limite para recebimento dos trabalhos:  28 de outubro de 2010

Cerimônia de premiação: 18 de novembro de 2010

REGULAMENTO: ul.concurso@yahoo.com.br / www.unilat.org/DCC/Patrimoine/index.fr.asp

V ENABET – Encontro Nacional da Associação Brasileira de Etnomusicologia

MODOS DE PENSAR, MODOS DE FAZER ETNOMUSICOLOGIA

Belém do Pará, 24 a 27 de maio de 2011

Abertura inscrições: 29/09/2010

Prazo para envio dos trabalhos: até 14/11/2010

Previsão de envio das respostas aos selecionados: 22/12/2010

Prazo para revisão dos trabalhos selecionados: até 21/01/2011

O V ENABET tem como objetivo principal dinamizar as discussões em torno da pluralidade de perspectivas teóricas e de métodos que vêm caracterizando o incremento da produção científica da área de música no Brasil e em outros centros acadêmicos.

Procura-se idealmente, com os eixos temáticos escolhidos, incentivar a busca de um melhor aproveitamento de temas/problemas historicamente tratados na literatura etnomusicológica internacional e o seu confronto, quer seja à luz de novos objetos empíricos, quer seja de questões conceituais emergentes nas redes disciplinares nas quais a Etnomusicologia se insere. Congregar diferentes gerações, saberes e práticas acadêmicas em torno de marcos reflexivos que impulsionem o desenvolvimento da área, é o compromisso que o V ENABET deseja cumprir.

Desse modo, espera-se que as comunicações a serem inscritas no V ENABET priorizem a discussão de problemas de natureza teórica/epistemológica, em uma das quatro áreas temáticas abaixo elencadas, ou exponham pesquisas recentes ou em andamento relevantes para a consolidação do campo da Etnomusicologia no Brasil.

Tema 1: Modos de pensar: a Etnomusicologia e a construção de saberes, em perspectiva histórica e/ou contemporânea

Tema 2: Modos de fazer: métodos de pesquisa de campo, em arquivos, coleções fonográficas, audiovisuais e/ou espaços virtuais

Tema 3: Modos de agir: políticas públicas, propriedade intelectual e conduta ética na pesquisa

Tema 4: Modos de sentir: sensibilidades e corporalidades

Tema 5: Pesquisas recentes

Os trabalhos poderão ser enviados por qualquer pessoa interessada na área independentemente de ser sócia ou não da ABET, desde que se enquadrem em uma das temáticas acima descritas. Só será aceita a inscrição de UM trabalho por autor/a, podendo ele/ela participar ainda como co-autor/a de outro trabalho.

As inscrições para submissão de trabalhos estarão abertas no período de 29/09/2010 a 14/11/2010. Para enviar o trabalho ao Comitê Científico os interessados deverão registrar a sua inscrição no evento preenchendo a ficha no link “Inscrições V ENABET” no site da ABET (www.abetmusica.org.br ) e realizar o respectivo pagamento, conforme as instruções ali referidas. A divulgação dos trabalhos aceitos para apresentação no evento está prevista para o dia 22 dezembro de 2010, e a comunicação de aceitação ou não do trabalho será enviada por e-mail aos autores. O pagamento não será devolvido caso o trabalho não seja aceito, pois o mesmo dá direito à participação no evento, que constará de conferências, mesas redondas, debates, sessões de comunicações e apresentações musicais.

Os participantes que tiverem os seus trabalhos aceitos para apresentação somente serão incluídos na programação do evento e na publicação dos Anais do V ENABET mediante o cumprimento dos seguintes requisitos:

1) Sócios: deverão estar com todas as suas anuidades (até 2010) quitadas até 21/01/2011

2) Não-sócios: deverão associar-se à ABET até 21/01/2011 (valor anuidade 2011)

►Valores anuidades até 31/12/2010: Estudantes – R$35,00 / Sócios efetivos – R$ 60,00

►Valores anuidades após 01/01/2011: Estudantes – R$35,00 / Sócios efetivos – R$ 70,00

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO/PUBLICAÇÃO DOS TRABALHOS

As comunicações a serem encaminhadas ao V ENABET poderão basear-se em reflexões de cunho eminentemente teórico e/ou de natureza empírica desde que metodologicamente fundamentada. Em ambos os casos, será imprescindível o amparo em pesquisa bibliográfica de relevância na área de Etnomusicologia. A duração das comunicações será de no máximo 20 minutos, com mais 10 de discussão, totalizando 30 minutos para cada participante.

Normas Técnicas

Em função da publicação dos trabalhos selecionados nos Anais do V ENABET, enfatizamos a especial atenção às seguintes indicações:

a) As comunicações a serem enviadas ao Comitê Científico deverão apresentar uma extensão total entre 3.000 e 4.000 palavras (incluindo referências bibliográficas e notas de rodapé);

b) Serão aceitas comunicações em português e espanhol;

c) Os textos serão digitados em fonte Times New Roman, tamanho 12, espaço 1.5; as notas de rodapé, indicadas em algarismos arábicos e contínuos, serão digitadas em fonte Times New Roman, tamanho 11, espaço 1; referências bibliográficas abreviadas no corpo do texto com indicação do sobrenome em caixa baixa, ano de publicação e página, entre parênteses. Por exemplo: (Merriam, 1964, p. 57).

d) As referências bibliográficas por completo serão inseridas ao final do texto. Serão apresentadas obedecendo a ordem alfabética, em espaço simples, com alinhamento apenas à esquerda, seguindo as normas da ABNT/2000 (NBR 6023), abaixo exemplificadas. Tabelas, quadros, exemplos musicais devem fazer parte do texto, com a devida numeração (por exemplo, “Tabela 1”, etc.).

MERRIAM, Alan. The Anthropology of Music. Evanston: Northwestern University Press, 1964.

e) A primeira página do texto deve conter:

Título centralizado, em caixa alta, TIMES NEW ROMAN 14;

Resumo em português ou espanhol (no caso de comunicações nesse idioma) com cerca de 250 palavras, alinhamento à esquerda, contendo campo de estudo, objetivo, método, resultados e contribuição para a área. O resumo deve ser colocado logo abaixo do título e acima do texto principal;

Três (3) palavras-chave, alinhamento à esquerda, em português ou espanhol (no caso de comunicações nesse idioma);

Resumo em inglês (Abstract), com cerca de 200 palavras, alinhamento à esquerda, contendo campo de estudo, objetivo, método, resultado e conclusões. O Abstract deve ser colocado logo abaixo do resumo em português ou espanhol;

Três (3) palavras-chave, alinhamento à esquerda, em inglês.

OBS.: O nome do/s autor/es NÃO deverá constar do trabalho para preservar o anonimato na avaliação. O nome do autor do texto será solicitado em campo específico na ficha de inscrição.

f) Não serão aceitas comunicações que estiverem fora das normas editoriais.

A critério do Comitê Científico, poderá ser solicitado que o(s) autor(es) efetue(m) uma revisão final (correções de referências, citações, gramática e estilo) do texto a ser publicado nos Anais do V ENABET. Nesse caso, o não cumprimento do prazo e/ou a inadequação da revisão poderá implicar no cancelamento da aceitação do trabalho.

Edital de Idéias Criativas para 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra 2010

Foram prorrogadas as inscrições para concorrer ao Edital de Idéias Criativas para 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra 2010. Inicialmente previsto para ser encerrado no dia 16/09/2010, o prazo para a II Seleção Pública para Apoio a Projetos Culturais foi dilatado para o próximo dia 01 de outubro, o que dará aos interessados maior tempo para providenciar a documentação necessária.

O edital, promovido pela Fundação Cultural Palmares (FCP), chega à sua segunda edição conclamando, mais uma vez, a comunidade afro-brasileira a celebrar o Dia da Consciência Negra de maneira… criativa! As inscrições começaram em 03 de agosto e deverão ser enviadas somente por meio dos Correios. O montante de recursos a serem liberados é da ordem de R$ 500 mil.

O Ideias Criativas premiará um total de 15 projetos em todas as regiões do País. O objetivo é apoiar ações inovadoras, que valorizem ainda mais a cultura afro-brasileira. “A concepção de que o 20 de novembro é o dia de fazer a diferença vem se consagrando no meio cultural afro-brasileiro. O exemplo vem de nossos ancestrais africanos aportados no Brasil, que, por mais de três séculos, elaboraram formas criativas para resistir à desumana escravidão e manter suas tradições”, explica Elísio Lopes, diretor da Palmares.

Estão aptos a concorrer ao edital produtores, professores, agentes culturais que trabalham com a cultura afro-brasileira e entidades privadas sem fins lucrativos, de natureza cultural ou não, com experiência comprovada em ações culturais afro-brasileiras e que preencham todos os requisitos exigidos. Os projetos podem ser elaborados como intervenção urbana, atividade sócio-educativa, seminário, palestra, evento cultural, cultura popular, debate ou qualquer outra forma de expressão, contanto que a idéia seja inovadora.

Para cada região brasileira serão selecionados dois projetos na categoria Individual, que receberão até R$ 20 mil, cada; e um na categoria Entidade, com um prêmio de até R$ 60 mil. O Edital de Ideias Criativas busca estimular novas formas de celebrar o 20 de novembro (Dia Nacional da Consciência Negra), apoiando projetos desenvolvidos a partir de uma concepção inovadora, que comporte criatividade e excelência artística, alinhamento de conteúdo à questão afro-brasileira, e, claro, qualidade técnica.

Os formulários de inscrição e um Guia do Proponente estão nos anexos desta mensagem.

Dúvidas e informações referentes a este edital poderão ser esclarecidas e/ou obtidas na Fundação Cultural Palmares, por meio do endereço eletrônico: edital20denovembro2010@palmares.gov.br.

Chamada Pública para Talentos do Brasil Rural – Agricultura Familiar

As propostas podem ser enviadas até 27 de setembro

Jéssica Paiva – Jornal iTeia

De 06 a 27 de setembro de 2010, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, o Ministério do Turismo e o SEBRAE/RS, com apoio da Agência de Cooperação Técnica Alemã (GTZ), convidam empreendimentos, por meio de chamada pública, a participarem do “Projeto Talentos do Brasil Rural: Turismo e Agricultura Familiar a caminho dos mesmos destinos”, que visa inserir produtos e serviços da agricultura familiar no mercado turístico. Esta chamada selecionará 101 empreendimentos da agricultura familiar para ofertarem produtos para meios de hospedagem, bares, restaurantes e lojas de artesanato.

O projeto é direcionado para os mercados de 12 capitais brasileiras (Belo Horizonte/BH, Brasília/DF, Cuiabá/MT, Curitiba/PR, Fortaleza/CE, Manaus/AM, Natal/RN, Porto Alegre/RS, Recife/PE, Rio de Janeiro/RJ, Salvador/BA e São Paulo/SP) e seus respectivos entornos. Serão investidos mais de R$ 3 milhões para aprimorar os empreendimentos selecionados.

O formulário com a proposta de participação no “Talentos do Brasil Rural” deverá ser preenchido e enviado em duas cópias, sendo uma em meio físico, para SEBRAE/RS – Projeto Talentos do Brasil Rural – , Rua Sete de Setembro, 555, CEP 90010-190, Porto Alegre/RS, A/C: Amanda Paim, e uma em meio digital para o endereço eletrônico editaltalentosdobrasilrural@sebrae-rs.com.br, até as 18 horas do dia 27 de setembro de 2010.

As propostas em meio físico poderão ser entregues pessoalmente ou enviadas por SEDEX, no endereço anteriormente referido, sendo que no caso de SEDEX, será considerado como data de recebimento o dia da postagem. Os resultados serão publicados a partir do dia 25 de outubro de 2010

Jornal iTEIA – PE

13/09/2010

Bolsas de estudos em mestrado voltadas à diversidade

Parceria entre Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Fundação Carlos Chagas cria bolsas de estudos direcionadas para quem cursar o mestrado em período integral de Direito e Desenvolvimento com temas de pesquisa voltados à diversidade.

“A ideia é contemplar tanto os pesquisadores que se debruçam sobre temas como raça e gênero como o próprio alvo dos estudos – mulheres, negros, jovens oriundos de famílias pobres ou que pertençam a grupos discriminados podem ser beneficiados.”

“Serão poucas bolsas, apenas cinco. Mas que podem ajudar pesquisadores a dar visibilidade a temas raros de aparecer no mundo jurídico, como as questões de gênero.”

“A bolsa será concedida, entretanto, apenas aos que, além de serem aprovados no processo seletivo, consigam a bolsa Mario Henrique Simonsen. O candidato deve optar por concorrer aos dois benefícios no momento da inscrição. As inscrições começaram na última quarta-feira e vão até o dia 15 de outubro. As regras para o processo seletivo estão no site da instituição (www.fgv.br/vestibulares).”

Seleção para Pontos de Cultura Indígenas

OSCIPs podem se inscrever até o dia 1º de novembro

Foi publicado ontem (15), no Diário Oficial da União (DOU), o Edital para selecionar Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIPs) para implementar 92 Pontos de Cultura Indígenas. As propostas para o Edital, lançado pela Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SID/MinC), podem ser encaminhadas até o dia 1º de novembro.

O objetivo do edital é celebração de parcerias com as OSCIPs para que possam ser criados Pontos de Cultura que visem à promoção e o fortalecimento das identidades e da diversidade cultural dos povos indígenas no Brasil. Além de ações que potencializem os processos de criatividade culturais das comunidades beneficiadas pelos Pontos de Cultura Indígena.

O valor para os Pontos de Cultura fora da Amazônia Legal é de cerca de R$ 195,5 mil e, para os Pontos que ficarão dentro da Amazônia Legal de cerca de R$ 226,5 mil. Esse valor será dividido em três parcelas, sendo 90% dos recursos para implantação e funcionamento dos Pontos e 10% para taxas de administração e gestão da OSCIP. A primeira parcela será efetuada após a publicação do Termo de Parceria para subsidiar o início dos trabalhos. Cada OSCIP poderá apresentar a sua proposta de implantação dos Pontos de Cultura Indígena em, no máximo, duas regiões do Brasil.

Para concorrer, as entidades deverão cumprir as cláusulas de habilitação jurídica, regularidade fiscal e qualificação econômica-financeira, bem como cumprir todas as exigências do Edital.

Confira o Edital.

Mais informações pelo e-mail: identidadecultural@cultura.gov.br

EMPODERAMENTO POPULAR com autonomia CIDADÃ

Empoderamento Popular via Internet Banda Larga autonoma e custo baixo nas
Comunidades

Saiba mais: http://juntosomos-fortes.blogspot.com/
“Inclusão Digital não é dar internet de graça à população. Inclusão Social é dar
uma finalidade ao uso dessa internet” (Marcelo Salgado).

E é ele, uma pessoa impar, transparente e super envolvido no desenvolvimento
social usando a inclusão digital, que tive o prazer de conhecer pessoalmente em Campos – RJ onde fui para conhecer o projeto e os parceiros da Universidade Norte Fluminense (uauau a criada por Darcy Ribeiro), quem cuidará aqui deste tópico importante INCLUSÃO DIGITAL CIDADÃ.

Aqui,diariamente, vamos construir, difundir e programar a concretização das TIs comunitárias autonomas e a custo baixo ( no máximo r$ 5,oo/mês)

Participem, divulguem.

Juntos Somos Fortes

Um rápido resumo do que consiste o Projeto QUE VC PODE E DEVE BUSCAR IMPLANTAR EM SUA COMUNIDADE:

TI em Comunidade
A Inclusão Digital com acesso a todos, precisa ser uma Gestão Popular pois ao
contrário o POVO não terá autonomia de organização segundo suas necessidades e também não servirá para vencer barreiras de comunicação e cumprir um papel de multiplicador social além de EMPODERAMENTO popular.
Após instalada e distribuída a NET deverá possibilitar a comunidade:

1 Criar mecanismo para que seja ampliada a participação popular que dentre
outras coisas, possa promover a inclusão e desenvolvimento social a partir de
sua rua, bairro ou comunidade e usá-los para garantia de direitos Fundamentais .
(Olha o PAC na integra aí gente…)

- Fomentar expansão de infra-estrutura local, sendo ator, gerenciador,
fiscalizador dos programas de benefícios locais ( Blogs e portais de cidadania
comunitária)

-Criar rede local de estudos e colaborações tecnológicas em parcerias por
exemplo com Universidades
_ manter centro Estudos a distancia

- Construção gradativa de cooperativas de Trabalho, agricultura familiar,
Através de cursos a distancia e via empoderamento popular, parcerias para
implantação.

Sobre Autonomia Popular Virtual:

É importante falar que a internet não pode e nunca poderá ser uma ferramenta
restrita, pois, isso causaria um atraso enorme no desenvolvimento do país,
tenha-se como exemplo o desenvolvimento que vivemos hoje, e que sem a internet não seria nem 10% do que temos.Uma revolução está acontecendo, assim como aconteceu na era industrial; e a colaboração será o novo trilho para o futuro, pois, a cada geração que entra no cyber espaço, será uma massa que irá gerar colaboração, querendo ou não é assim que já está funcionando e que irá cada vez mais impulsionar o mercado, empurrando as empresas e governos para dentro da colaboração.Quero citar o exemplo de uma rede onde a comunidade possa fazer uma vaquinha e montar seu provedor comunitário local e rachar a conta do link, que sem dúvida ficará mais barato que 35,00 por mês, e sem dizer que será uma rede do povo e não de uma empresa ou prefeitura. Fazemos parte do movimento de democratização da internet e as vezes nos vemos levantando esta bandeira sozinhos, pois, parece ser alheio a sociedade civil que esta rede de ultima milha não tem muita importância, bastando que ela leve internet pro gado, opss pro povo. Faço estes trocadilhos porque em nossos estudos vimos que a convergência das mídias para a rede é iminente e já sabemos o que uma mídia pode fazer e no caso da internet a coisa é simplesmente gigantesca, pois, é o único meio de comunicação de massas com interatividade, então reflitam bastante sobre o
seguinte:
Se deixarmos o PNBL fazer o papel dele como está hoje, qual a garantia que
teremos depois que as redes de ultima milha nas cidades já estiverem formadas por empresas e prefeituras ?Como fazer com que o povo, em cada comunidade, possa usar esta rede para fins maiores que o simples acesso a internet? Melhor, como garantir que as empresas e prefeituras abram estas redes, de forma gratuita, para que o povo possa usá-la para fins de controle social, debate sobre políticas publicas de relevância popular, reivindicações locais, criação de rádios e tvs comunitárias online, enfim usar a banda sem custos, para fins sociais e livre de restrições ou censuras ?
Nós fazemos esta pergunta todos os dias, pois, ate agora ninguém conseguiu
responder de forma plausível estas questões e, sendo assim, se faz necessário
que NÓS tenhamos este senso crítico e façamos pressão para que tenhamos sim um PNBL democrático e justo e que não seja mais um meio de comunicação de alienação (Marcelo Salgado).
E, é claro, a partir daqui muitas questões a serem respondidas.

Participe , construa, se LIBERTE do domÍnio de um topo opressor .
Somos a base da pirâmide, 180 milhões de brasileiro, só falta fazermos uso dessa força e assim evitar que o topo nos manipule.

Bjs
Nanda Tardin

Contatos:
Marcelo Saldanha – Instituto Bem Estar Brasil Cel.: (22) 88118138/ 88118138

Skype : marcelo_secante
MSN : marcelo_secante@hotmail.com

Fernanda Tardin
Cel: 32 91363332-
mail :nanda-igrat@hotmail.com / nandatardin@yahoo.com.br
SKYPE: fernandatardin
facebook:
http://www.facebook.com/home.php?#!/profile.php?id=1749553462

Parceiros e Patrocinadores
Laboratório Plínio Bacelar
UENF – Universidade Estadual do Norte Fluminense
IPED Social – Instituto Pioneiro de Ensino a Distância no Brasil
GM Soft Design
Purac Sínteses
Entidades de Fomento
FAPERJ  Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro
FINEP- Financiadora de Estudos e Projetos

REGIÃO NORTE

Belém/PA

Seminário “Eleições e os Compromissos com os Quilombolas”

Com o objetivo de reafirmar para os futuros gestores públicos a necessidade de uma política afirmativa para a população negra com ênfase na população quilombola, a Malungu, Coordenação das Associações das Comunidades Remanescentes de Quilombo do Pará, realiza no período de 22 a 24 de setembro de 2010, no auditório do Clube de Lojistas, em Belém – PA, o Seminário “Eleições e os Compromissos com os Quilombolas.

Durante o Seminário será elaborada uma Carta de Compromissos em que os quilombolas farão as seguintes reivindicações:

- Criação de um órgão de Autarquia: Instância de coordenação da política estadual quilombola;

- Garantia de recursos específicos e agilidade para a titulação e proteção dos territórios quilombolas;

- Apoio ao desenvolvimento sustentável com assistência técnica e extensão rural;

- Políticas de inclusão para juventude e mulheres quilombolas;

- Melhoria na saúde e educação quilombola;

- Valorização da cultura negra e quilombola.

A coordenação do evento espera que os candidatos se sensibilizem, e assine a carta comprometendo-se com a causa quilombola.

Este seminário conta com o apoio de ICCO: Programa Direito a Terra, Água & Território, Comissão Pró-Índio de São Paulo, ICCO, CESE, FASE/FUNDO DEMA/ FUNDAÇÃO FORD.

SERVIÇO

O que: Seminário “Eleições e os Compromissos com os Quilombolas”

Onde: Auditorio do Clube dos Lojistas. Rua 28 de setembro nº 16 entre 1º março e padre Prudêncio. Bairro do Comercio. Belém – PA

Quando: De 22 a 24 de setembro de 2010.

Contato:

Secretária Executiva da MALUNGU.

Érica – (91) 32232429

malungu.pa@hotmail.com

PROGRAMAÇÃO

Dia 22/09 (4ª feira) – aberto ao público?

14hs – Abertura do seminário pela Coordenação da Malungu

14:30/16:00hs – Mesa 1: A sociedade e as eleições

- Representante da ABONG

- Representante do Comitê Nacional de Combate a Corrupção Eleitoral

- Representante do Centro Feminista de Estudos e Assessoria

- Representante do Fórum Amazônia Sustentável

- Representante do Grupo de Estudo Afro – Amazônicos

- Representante da FASE/FUNDO DEMA.

Perguntas e Debates

16:00/18:00hs – Mesa 2: O Movimento Negro e as Eleições

- Representante da MALUNGU

- Representantes do CEDENPA

- Representante do Mocambo-

- Representante da CONEN

- Representante dos Afro Religiosos

- Representante da CONAC

- Representante da UNEGRO

Perguntas e debates

Dia 23/09 (5ª feira) – Restrito aos Quilombolas

8:30hs – Divisão da plenária em grupos:

- Instância de coordenação da política estadual quilombola

- Titulação e proteção dos territórios

- Apoio ao desenvolvimento sustentado

- Educação

- Cultura

- Juventude Quilombola

- Mulheres Quilombolas

- Saúde

10:30hs – Apresentação das propostas dos grupos para a plenária

14:30hs – Debate e aprovação das propostas

16:00hs

Redação da carta compromisso:

Preparação da cerimônia de apresentação da carta.

18:00hs – Leitura da carta compromisso.

Dia 24/09 (6ª feira) – aberto ao público

9:00hs – Apresentação da Carta Compromisso com os Quilombolas do Pará

9:30hs – Palavra aos candidatos ao governo do Estado do Pará (ou seus representantes).

14: 00hs: Reunião Interna da MALUNGU (Restrito aos Quilombolas)

18:00hs – Encerramento

Marquinho Mota

Assessoria de Comunicação – Rede FAOR

faor.comunicacao@faor.org.brwww.faor.org.br

www.xingu-vivo.blogspot.com(91) 32614334 – FAOR

(91) 8268 4457 – Belém

Pai da Iamã, da Anuã e do Iroy

Assessoria à Rádios Comunitárias

Viva os Nossos Rios, Vivos e sem Barragens!!!

MOVA-CI na Feira Panmazônica do Livro em Belém do Pará

28, 29 e 30/10 o Movimento de Vanguarda da Cultura Icoaraci MOVA-CI, estará participando da Feira Panmazônica do Livro em Belém do Pará

com o Projeto “Curtas Falas” consta de trabalho baseado na oralidade dos Mestres de Cultura, os quais identificamos por seus saberes e fazeres na área da Cultura Popular e apresentação de documentários que registraram esses fazeres, segue programação:

28/10 – 14 às 16:30h

Fala do mestre Nonato (Organizador da Festa de São e São Pedro no bairro do Tenoné – Icoaraci)

Filme – Festa de Mestre

29/10 – 14 às 16:30h

Fala da Cantora Nazaré Pereira e do Músico de carimbó Tomaz

Filme – Música de Mestre

30/10 – 14 às 16:30h

Performance baseada nas falas dos mestres, encenada pelo grupo de teatro “Monturo”

Filme – Arte de Mestre

Campanha para o CENSO 2010: “Quem é de Axé, diz que é”

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

http://institutonangetu.blogspot.com/2010/08/campanha-para-o-censo-2010-quem-e-de.html

Uma roda de conversas reuniu no Mansu Nangetu reuniu 13 representantes de várias comunidades tradicionais de terreiros para traçar estratégias para lançar, no Estado do Pará, a campanha para o CENSO

2010: “Quem é de Axé, diz que é”.

O Dr. Jaime Santos, da Comissão de Igualdade Racial da OAB-PA, iniciou a reunião falando do Estatuto da Igualdade Racial e das vantagens legais que essa Lei trás para as Comunidades Tradicionais de Terreiros. Depois a Iyalorixá, que é a professora que responde pelos assuntos de igualdade étnica e racial na UFPA e que é membro do Grupo Afro-amazônico, Marilu Campelo, conduziu a reunião e deu as explicações sobre o que se pretende alcançar com esta ação, depois ela falou das estratégias nacionais da campanha, e disse que cada estado da federação tem firmado as identidades locais tanto nas nomenclaturas das religiões de matrizes africanas, quanto nos rostos dos sacerdotes que apareciam nos cartazes.

O Babalorixá Edson Catendê apresentou uma proposta de cartaz elaborada pela AFAIA, e o grupo, depois de debater a visualidade da campanha no Pará, decidiu por aguardar o envio de fotografias de sacerdotes e demais religiosos locais para a construção da imagem da nossa campanha. Os interessados em figurar no cartaz devem enviar fotos no estilo 3×4 para o email: afaia@afaia.org.br .

Mas ai veio a questão prática, como lidar com as pessoas do censo?

Mametu Nangetu e Babá Edson Catendê declararam já haver recebido a visita do IBGE e que o questionário que responderam não continha pergunta sobre a religião. Táta Kinamboji falou que só valia a pena responder o formulário completo, que era neste que haviam as perguntas de identidade (racial, religiosa, sexual e etc), e que quando o agente do censo lhes batesse a porta, que cada um negociasse para responder ao formulário completo, disse que ele mesmo fez isso e que pediu ao agente do IBGE que lhe fornecesse uma senha que responderia ao formulário completo pela internet. Sobre esse procedimento, a Ndumbe do Mansu Nangetu, Kate Wasques, pediu a palavra e falou que também se recusou a responder o formulário básico quando o IBGE visitou a sua casa, e que sua mãe até lhe perguntou o por quê de não querer aparecer como católica, ao que foi respondido com argumentos defendendo a importância da afirmação da identidade religiosa.

Babá Edson Catendê ainda fez uma reflexão sobre o sorteio do CENSO dizendo que “O CENSO 2010 PASSOU EM MINHA CASA E NÃO PERGUNTOU QUEM EU SOU…, PASSOU NA CASA DE MAMETO NANGETU E NÃO PERGUNTOU…, PASSOU NA Casa da Iyalorixá Nalva e não perguntou…, passou na casa de Pai Tayandô e não perguntou também. E na sua? Temos que interferir, calados não podemos ficar!”

O lançamento da campanha será no dia 3 de setembro, as 17h, no auditório da OAB-PA, e será uma plenária do Fórum Afro-religioso do Pará – FORUMPUAR, e o programa está se construindo assim:

1. Data de Lançamento da Campanha: 03 de setembro de 2010 – sexta-feira

2. Horário: 17 h

3. Local: Auditório da OAB

4. Publico Alvo: comunidade-terreiros

5. Programação:

Saudação das Nações – Homenagem a Oxalá

Mesa de abertura -

Relato Experiências das Comunidade-terreiros de suas ações

- O que as comunidades podem apresentar ou fazer.

Instituto Nanjetu: cartaz e video

Aciyomi:

Afaia:

Aaro:

E outras associações

- Mandar uma foto 3×4 para e-mail: afaia@afaia.org.br para o cartaz.

- Chamar outras comunidade-terreiros para participar, os mineiros e os umbandistas.

III ENCONTRO LATINOAMERICANO CIÊNCIAS SOCIAIS E BARRAGENS

www.ecsbarragens.ufpa.br/site/index.php?p=frente

Durante muito tempo, barragens foram tema de encontros de engenheiros.

Vistas como eventos essencialmente técnicos, o debate a seu respeito desconhecia as dinâmicas sociais e ambientais deflagradas pelos processos de decisão, planejamento, implantação e operação destes grandes projetos de investimento. Em seguida, também os economistas, sobretudo aqueles dedicados ao planejamento do desenvolvimento regional, debruçaram-se sobre o tema e apostaram que estes grandes empreendimentos, mormente quando associados a complexos mínero-metalúrgicos, poderiam constituir polos de desenvolvimento que iriam, enfim, levar o progresso às regiões periféricas. Aos poucos, as questões ambientais começaram a ser contempladas, inclusive porque o próprio desempenho técnico-econômico de muitos aproveitamentos hidrelétricos se via ameaçado pela deterioração ecológica dos reservatórios.

O I Encontro Ciências Sociais e Barragens inaugurou uma nova etapa, voltada para reunir, sistematizar e comparar os resultados de pesquisa.

Sediado pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Reional (IPPUR-UFRJ), foi realizado na cidade do Rio de Janeiro, de 8 a 19 de junho de 2005. O II Encontro Ciências Sociais e Barragens foi realizado na cidade de Salvador, de 19 a 22 de novembro de 2007 e conseguiu ampliar o campo de abrangência do debate e da articulação acadêmica, realizando concomitantemente o I Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Represas. Estes eventos evidenciaram a riqueza e a qualidade da produção científica sobre barragens nas Ciências Sociais latino-americanas, além de propiciar uma maior articulação e intercâmbio entre pesquisadores, assim como entre estes e demais agentes envolvidos com a problemática das barragens. No âmbito acadêmico foram dados os primeiros passos para a estruturação de uma “Rede Latinoamericana Ciências Sociais e Barragens”, em torno da qual começam a se reunir a pesquisadores, acadêmicos e não acadêmicos, profissionais e ativistas, de distintas áreas das Ciências Sociais que estudam, trabalham ou se interessam pela problemática.

O III Encontro Latinoamericano Ciências Sociais e Barragens / III Encuentro LatinoAmericano Ciencias Sociales y Represas, agora unificado na perspectiva abrangente de América Latina, será realizado em Belém, de 30 de novembro a 3 de dezembro de 2010. Apresenta-se como continuidade do profícuo diálogo inaugurado no Rio de Janeiro, em 2005, e continuado em Salvador, em 2007.

A indicação de Belém para a realização do III Encontro Latinoamericano Ciências Sociais e Barragens/III Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Represas não é aleatória. Esta opção ressalta a preocupação dos cientistas sociais latinoamericanos com os desafios sociais e ambientais que se colocam para a Amazônia, região para a qual se projetam novas e inúmeras grandes barragens para aproveitamento hidrelétrico nos próximos anos, demarcando profundas mudanças no território, nas sociedades e nos rios da Amazônia, como de par em outras regiões e em países latinoamericanos.

Isto posto, gostaríamos de contar com a Associação Latinoamericana de Sociologia como integrante das Instituições científicas que apoiam o referido Encontro, no sentido de evidenciar a importância deste evento para as Ciências Sociais e para as sociedades. Como contrapartida, a Comissão Organizadora terá o prazer de divulgar o nome da ALAS em todas as publicações (anais, site, folder, etc.).

Para maiores informações sobre o Encontro e sobre as Associações que o apóiam favor consultar: http://www.ecsbarragens.ufpa.br/site/index.php?p=prog.

Atenciosamente,

COORDENADORES DO EVENTO

Edna Ramos de Castro – NAEA/UFPA

Carlos Vainer – IPPUR/UFRJ

Projeto do Encontro:

http://www.jornaldomauss.org/periodico/wp-content/uploads/2010/08/Projeto.doc

REGIÃO CENTRO-OESTE

CUIABÁ/MT

9º Festival de Cururu Siriri de Cuiabá começa nessa quinta-feira

Redação 24 Horas News

A 9ª edição do “Festival de Cururu Siriri” começa nessa quinta-feira, dia 23, e vai até 26 de setembro. Este ano, o evento será realizado no Parque de Exposições da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), em Cuiabá. O maior Festival de cultura popular do estado é uma iniciativa da Prefeitura Municipal de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, e em parceria com a Secretaria Estadual da Cultura e a Federação das Associações dos Grupos de Cururu e Siriri. O tradicional evento reunirá 27 grupos de Siriri, além de 10 grupos de Cururu, sete grupos infantis, dois da terceira idade, e um grupo de quilombola Mata Cavalo.

Há nove anos, a festa elaborada para celebrar manifestações culturais típicas reúne grupos de todo o Estado e resgata a origem das culturas da região pantaneira. Os cururueiros e as siririeiras lutam para resgatar e fortalecer a cultura que é tradição da capital. Na edição deste ano, o tema do evento vai retratar a fé e alegria, que promete deixar todo o público emocionado, com as belas apresentações.

Segundo a organização do evento, a expectativa de público é de 100 mil pessoas circulando pelo local, a entrada do Festival é gratuita. Comidas típicas e artesanatos regionais também poderão ser conferidos pelos apreciadores da arte e cultura mato-grossense. Vale destacar que há nove anos, a da Prefeitura Municipal de Cuiabá vem trabalhando e fortalecendo o evento em prol do segmento cultural. Nesse período foram investidos R$ 3,5 milhões, em todas as edições do Festival. Neste ano, a Prefeitura através da Secretaria Municipal da Cultura é a maior patrocinadora do evento, com investindo no valor de R$ 300 mil.

CÁCERES/MT

FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DE MATO GROSSO

QUERIDOS AMIGOS,

DE 22 A 26 DE SETEMBRO DE 2010, CÁCERES SEDIARÁ O FIFOLK/MT – FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DE MATO GROSSO, PRESENÇA CONFIRMADA DOS PAÍESES DA ESLOVAQUIA, EQUADOR, PERU, BOLIVIA, PARAGUAI E BRASIL REPRESENTADO PELOS ESTADOS DO MATO GROSSO E RIO GRANDE DO SUL.

SERÃO CINCO DIAS DE INTENSAS ATIVIDADES QUE INVOLVERÃO TODA A COMUNIDADE, COM DESFILES PELAS RUAS DE CÁCERES, INTERCÂMBIOS COM A REDE DE ENSINO PÚBLICA E PRIVADA, COM O PÚBLICO DA 3a. IDADE E ESPETÁCULOS DIÁRIOS, COM ACESSO GRATUITO, NA PRAÇA DE EVENTOS DA SEMATUR. ALEM DAS ATIVIDADES CULTURAIS FORAM RESERVADOS AOS GRUPOS VISITANTES PROGRAMAÇÕES TURISTICAS, DE ENTRETENIMENTO E LAZER. CÁCERES ESTARÁ REPRESENTADA PELOS GRUPOS CHALANA, TRADIÇÃO, RAIZES, GUATÓ, DIGORESTE, VITORIA REGIA E CARAMURÚ. ESTÃO CONVIDADOS OS GRUPOS FOLCLORICOS DE PORTO ESPERIDIÃO, LIVRAMENTO, POCONÉ E BARRA DO BUGRES.

MAIORES INFORMAÇÕES É SÓ ACESSAR www.caceres.mt.gov.br/folclore

CONTAMOS COM A SUA HONROSA PRESENÇA E DIVULGAÇÃO.

ABRAÇOS,

LUIZ TOLOTTI

BRASÍLIA/DF

Encontro de Saberes

Sobre o Projeto Encontro de Saberes, resultado de uma parceria entre o Ministério da Cultura e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa, do CNPq, sediado na UnB. O objetivo do projeto é promover a presença dos mestres dos saberes tradicionais brasileiros (indígenas, afro-brasileiros, quilombolas, populares e de outras comunidades tradicionais) nas universidades na condição de professores.

Disciplina: Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais

ORIENTAÇÃO PARA A MATRÍCULA 2010/2

O Departamento de Antropologia ofertará neste segundo semestre de 2010 a disciplina da graduação Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais, valendo 6 créditos, na Modalidade Livre, em nome do Professor José Jorge de Carvalho. Esta disciplina representa a parte principal do projeto Encontro de Saberes, resultado de uma parceria entre o Ministério da Cultura e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Inclusão no Ensino Superior e na Pesquisa, do CNPq, sediado na UnB. O objetivo do projeto é promover a presença dos mestres dos saberes tradicionais brasileiros (indígenas, afro-brasileiros, quilombolas, populares e de outras comunidades tradicionais) nas universidades na condição de professores. Espera-se, desse modo, expandir o nosso saber acadêmico e promover um diálogo positivo e criativo entre as tradições escritas (em geral de origem eurocêntrica) e as tradições orais, tanto nas ciências como nas artes.

Diferente do modelo atual de transmissão acadêmica, cada vez mais dependente de tecnologias virtuais e no distanciamento interpessoal por elas gerado, o Encontro de Saberes privilegiará a relação face a face entre os mestres e os alunos e as técnicas de transmissão oral. A disciplina será dividida em 5 módulos subseqüentes, ministrados por 5 mestres oriundos de 4 regiões do país, todos apoiados por  professores parceiros da UnB que atuam nas suas mesmas áreas de sabedoria, de modo a facilitar um triplo diálogo de saberes – entre os mestres, os professores e os estudantes.

A sequência de módulos com seus respectivos mestres docentes e professores parceiros:

Módulo I – Mestre Biu Alexandre – Dança, Música e Teatro do Cavalo Marinho

Professoras parceiras: Rita de Cássia Castro e Luciana Hartmann (Artes Cênicas)

Módulo II – Mestre Benki Ashaninka – Educação Ambiental e Reflorestamento: Saber Viver na Terra

Professora parceira: Nina Laranjeira (FUP/UnB)

Módulo III – Mestra Lucely Pio – A Sabedoria das Plantas Medicinais na Tradição Afro-Brasileira

Professora parceira: Silvéria Santos (Enfermagem)

Módulo IV – Mestre Zé Gerome – Saberes Sócio-Musicais: Congado e Moçambique

Professor parceiro: Antenor Ferreira (Música)

Módulo V – Mestre Maniwa Kamayurá – A Arquitetura da Casa Tradicional Xinguana

Professor parceiro: Jaime Almeida (Arquitetura)

MATRÍCULA

Os alunos interessados deverão fazer sua inscrição durante o PERÍODO DE AJUSTE, de 21 a 23 de setembro de 2010/2. A seleção será decidida no dia 24 de setembro e a preferência será dada aos alunos a partir do quarto semestre.

A matéria terá duas turmas, dividindo-se em Turma A (10 às 12hs, segunda, quarta e sexta) e Turma B (16 às 18hs, segunda, quarta e sexta) sendo oferecidas 35 vagas por turma. Dessas 70 vagas, 10 serão oferecidas para cotistas, cinco na Turma A e cinco na Turma B, das quais três para negros e duas para indígenas.

Ocasionalmente, em alguns módulos serão ministradas aulas no sábado.

CRONOGRAMA DOS MÓDULOS

Módulo I Módulo II Módulo III Módulo IV Módulo V AVALIAÇÃO
Período 27/09, 29, 01/10, 04, 06 e 08/10 13/10, 15, 16, 18 e 20/10 25/10, 27, 29, 01/11, 03 e 05/11 08/11, 10, 12, 17, 19 e 22/11 24/11, 26, 29, 01/12, 03, 06/12. Janeiro/Fevereiro de 2011.
Local Núcleo de dança;

Ateliê 06 – Lab. de Cerâmica da Maquete

BT 260 (a confirmar);

Chácara Semente – Lago Oeste (sábado: manhã e tarde )

Sala da Saúde Núcleo de dança; Ateliê 06 – Lab. de Cerâmica da Maquete Sala 01 do Ateliê de Arquitetura

Centro De Bambu – Espaço Granja do CPAB

PROCESSO AVALIATIVO

Avaliação final com preparação/orientação pedagógica e apresentação (6 encontros).

1) Produção individual com apreciação processual (relatórios parciais ou diários reflexivos).

2) Trabalho final e apresentação coletiva dos(as) alunos(a): mínimo de três e máximo de 4 alunos(as).

Seminário Nacional Territórios e Territorialidade da Educação Quilombola

Arísia Barros

http://www.cadaminuto.com.br/blog/blog-raizes-da-africa

Potencializar o debate e assim contribuir para a superação do racismo e da discriminação racial, bem como criar territórios para a igualdade racial nos sistemas de ensino das comunidades quilombolas, eis um dos objetivos do I Seminário Nacional de Educação Quilombola: “Territórios e Territorialidade da Educação Quilombola”, que acontece em Brasília, no período de 09 a 11 de novembro próximo.

Uma realização do Ministério de Educação, por meio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, Ministério da Igualdade Racial/SEPPIR, INCRA e Fundação Palmares, o I Seminário subsidiará o Conselho Nacional de Educação na produção das Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Quilombola, com a construção dos alicerces para o Plano Nacional para a educação das comunidades remanescentes.

Tendo como público gestor@s estaduais e municipais indicados pela Coordenação Nacional das Comunidades Negras Rurais Quilombola, como também a participação de professor@s,coordenador@s pedagógic@s, diretor@s, pesquisador@s que trabalham diretamente com as comunidades quilombolas.

Professor@s das comunidades quilombolas poderão inscrever seus trabalhos e experiências através do site http://educacaoquilombola.mec.gov.br/

PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO

09 de Novembro de 2010

15h – 17h – Reunião com os coordenadores e relatores dos grupos de trabalho

18h30min – Abertura do Seminário com a presença de autoridades

Premiação dos trabalhos dos professores/as, coordenadores/as pedagógicos/as, orientadores/as educacionais classificados no Concurso de Experiências exitosas em Educação Quilombola.

19h30min – Apresentação do Coral: Família Alcântara

20h – Conferência de abertura: Territórios e territorialidade da Educação Quilombola

10 de Novembro de 2010

8h – Mesa 1: Panorama institucional sobre Educação Quilombola no Brasil

10h30min – Intervalo

11h00min – Mesa 2: A Educação Quilombola no Brasil: Ações das Redes

Estaduais e Municipais

12h30min – Almoço

14h – 15h – Mesa 3: Políticas Públicas de Educação Quilombola: Um olhar do Movimento Social Organizado

15h – Intervalo

15h30min – 18h30min -Grupos de trabalho

Grupo Tambor: Transferência Obrigatória e Políticas para Educação Quilombola – Construção, alimentação e transporte escolar.

Grupo Sapé do Norte: Diretrizes Curriculares para Educação Quilombola

Grupo Kalunga: Formação continuada de professores e professoras

Grupo Saracura: Gestão democrática e educação quilombola

Grupo Alcântara: Marco Legal – (Institucionalidades / associações)

Grupo Família Santos: Material didático e praticas pedagógica

Grupo União de Palmares: Universidades e programas de educação

superior (Formação inicial, extensão e pesquisa)

19h –20h – Jantar

20h – atividades culturais (apresentação dos Estados e Municípios)

11 de novembro de 2010

08h30min – 10h30min – Sistematização dos trabalhos em grupo

08h30min – 10h30min – Apresentação dos trabalhos dos professores/as, coordenadores/as pedagógicos/as, orientadores/as educacionais classificados no Concurso de Experiências Exitosas em Educação Quilombola

10h30min – 11h00min – Intervalo

11h – Plenária final e aprovação do plano

12h – 14h – Almoço

14h – 18h – Continuação da Plenária final e aprovação das diretrizes

19h- 20h – Jantar

20h – Atividade cultural de encerramento

Encontros pró-capoeira

Fonte: IPHAN

Em mais uma etapa dos trabalhos pelo fortalecimento das práticas da capoeira como um bem cultural brasileiro, o Grupo de Trabalho Pró-Capoeira (GTPC) dá início a uma série de encontros que têm como objetivo a sistematização de demandas e ações para o Programa Nacional de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira – Pró-Capoeira.

Pessoas e instituições representativas desta prática na Região Nordeste estarão reunidas em Recife (PE), entre os dias 8 e 10 de setembro, para o primeiro encontro. As regiões Norte e Centro-Oeste e Sul e Sudeste farão seus encontros em Brasília, de 28 a 30 de setembro,e no Rio de Janeiro, de 27 a 29 de outubro.

O GTPC é formado por representantes da Fundação Cultural Palmares (FCP), das secretarias da Identidade e da Diversidade Cultural (SID) e de Políticas Culturais (PC) do Ministério da Cultura (MinC), sendo coordenado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Como uma das prioridades do MinC é o estabelecimento de políticas públicas que afirmem a capoeira como saber, arte, tradição cultural e instrumento pedagógico de desenvolvimento físico e social, diversas ações de reconhecimento e incentivo a este bem cultural têm sido empreendidas, entre elas, o lançamento do Edital Capoeira Viva e o estabelecimento de pontos de cultura voltados para a prática em vários estados brasileiros.

Apesar desse conjunto de ações, ainda existe a necessidade de uma atuação mais ampla e integrada. Nesse sentido, o Programa de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira tem como objetivo geral promover a implementação de uma política participativa com vistas à promoção das diversas formas de produção e reprodução deste bem cultural.

BEM IMATERIAL – Em outubro de 2008, a Roda de Capoeira e o Ofício dos Mestres de Capoeira foram reconhecidos como Patrimônio Cultural do Brasil. A Roda de Capoeira foi registrada como Bem Cultural de natureza Imaterial no Livro das Formas de Expressão.

Elemento estruturante da capoeira, a Roda é o espaço-tempo de expressão simultânea do canto, do toque dos instrumentos, da dança, dos golpes, do jogo, da brincadeira, dos símbolos e dos rituais de herança africana, recriados no Brasil. Profundamente ritualizada, congrega cantigas e movimentos que expressam uma visão de mundo, uma hierarquia e um código de ética que são compartilhados pelo grupo.

Já o Ofício dos Mestres de Capoeira foi registrado como Bem Cultural de natureza imaterial no Livro dos Saberes. O conhecimento produzido para a instrução do processo permitiu identificar os principais aspectos que constituem a capoeira como prática cultural desenvolvida no Brasil, como o saber transmitido pelos mestres formados na tradição da capoeira.

O Ofício dos Mestres de Capoeira é exercido por aqueles detentores dos conhecimentos tradicionais desta manifestação e responsáveis pela transmissão oral das suas práticas, rituais e herança cultural.

SERVIÇO

O quê: Encontros pró-capoeira

Onde e quando: Brasília – 28 a 30/9/10; Rio de Janeiro – 27 a 29/10/10

Mais informações: www.encontrosprocapoeira.org.br

Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br

Daniel Hora – daniel.hora@iphan.gov.br

Mécia Menescal – mecia.menescal@iphan.gov.br

(61) 2024-6187 / 3326-6864

(61) 2024-6194 / 3226-8907

Brasília sediará o I Congresso Internacional dos Povos Indígenas sobre Trabalho e Emprego

No primeiro semestre de 2011, a Federação Indígena Brasileira – FIB organizará o I Congresso Internacional dos Povos Indígenas para debater a situação de trabalho, organização produtiva e inserção da mão de obra indígena nos mercados de trabalho no Brasil e na América.

O evento faz parte da estratégia da organização em criar espaços de debate e construção de políticas públicas para apoiar a economia dos povos indígenas, o combate à pobreza , a indigência e a exclusão do mão de obra indígena nos mercados de trabalho. A proposta é colocar em Brasília, cerca de 1500 participantes, divididos entre empreendedores indígenas, mulheres empreendedoras e jovens empreendedores. Além das delegações do país, o evento visa a troca de experiências com povos de outros países da América e de outros continentes.

A FIB trabalha com a perspectiva de que, aproveitando o evento, seja assinado a portaria que criará o Selo Nacional de Produtos Indígenas que vem sendo construído em parceria com a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR e outros parceiros indígenas e não indígenas.

fibbrasil@gmail.com

Projeto TambOres do Brasil

Gostaria de convidá-lo a participar do projeto TambOres do Brasil, um projeto idealizado pela Alecrim Produções Artísticas, com o patrocínio da Caixa Cultural.

Nesta edição de 2010, os artistas convidados para ministrar os workshops são: Naná Vasconcelos; Grupo PRACATUM com a oficina BANDODIPAPEL (confecção de instrumentos artesanais); Marcos Suzano e o brasiliense Leander Motta.

O projeto será dividido em 4 ações comandadas pelos artistas citados acima. Segue abaixo o cronograma.

1 – 04 e 05 de Setembro

Workshop orgânico com Naná Vasconcelos

Estacionamento da Caixa Cultural das 10 às 13h.

Aberto para a população em geral (músicos, atores, bailarinos, artistas e “não artistas”…) / 300 vagas

2 – 13 a 19 de Setembro

Oficina BANDODIPAPEL – Destinado a jovens e representantes de grupos sociais que trabalham com ações no setor musical / 30 vagas

13 a 17/09 – 14h. às 18h. – Confecção dos instrumentos / local a definir.

18 e 19/09 – 14 às 18h. – Apreensão dos ritmos e toques (instrumentos) / Tenda Caixa Cultural

19/09 – 19h. Abertura da exposição e apresentação musical dos participantes da oficina / Caixa Cultural.

3 – 26 de Setembro

Oficina de pandeiro com Marcos Suzano

26/09 – Workshop das 10h até às 18h (com intervalo para o almoço)

Turma 2: turma de iniciados (jovens oriundos da oficina PRACATUM e representantes de grupos de Brasília)

Local: Tenda no estacionamento da Caixa Cultural

4 – 27 e 28 de Setembro

Oficina de pandeiro com Marcos Suzano / 30 vagas

Turma 1 – Avançada (turma de qualificação profissional)

Horário a definir (vespertino ou noturno)

Local: Teatro da Caixa Cultural

5 – 09 e 10 de Outubro

Oficina de percussão com Leander Motta

Local: Tenda no estacionamento da Caixa Cultural

Turma 1 – Avançada (turma de qualificação profissional) / 10 às 13h. / 30 vagas

Turma 2: turma de iniciados (jovens oriundos da oficina PRACATUM e representantes de grupos de Brasília) / 15 às 18h.

10 DE OUTUBRO – 19H. Estacionamento da CAIXA CULTURAL

Encerramento final – Leander Motta irá compor uma apresentação com os diferentes grupos e profissionais que participaram do projeto em uma grande festividade da classe.

Inscrições, dúvidas e maiores informações:

musica@alecrim.art.br

3367-5432 / 8172-5321 falar com Luana Fonteles.

Obrigada!

Alecrim Produções Artísticas

Cond. Ville de Montagne, qd.11, cs.25, Lago Sul.

Brasília DF CEP: 71.680-357

Tel.:61 3367 5432 Fax.:61 3367 0402

e-mail: alecrim@alecrim.art.br

teatro@alecrim.art.br

musica@alecrim.art.br

danca@alecrim.art.br

financeiro@alecrim.art.br

Curso de Viola e Violão Caipira

Inscrições abertas

Olá caboclada amante da viola caipira e da nossa música raiz!

O Clube do Violeiro Caipira de Brasília está lançando um curso de viola caipira e violão no mesmo estilo.

Inscrições abertas

Maiores Informações:

61 3301 1267

61 3301 5888

61 9697 4045

61 8401 6876

Att.,

Clube do Violeiro Caipira de Brasília

QOF (Setor de Oficinas) Conjunto C Lote 7

CEP: 71727 – 503

Candangolândia – DF

Telefone: 61 – 3301 5888

Fax: 61 – 3301 1267

Volmi Batista: 61 – 9964 7945

Geralda Luzia: 61 – 8401 6876

Visite Nosso Site

http://www.clubedovioleirocaipira.com.br/

PARANOÁ/DF

Segunda etapa do Projeto Intervalo Cultural leva música brasileira às Escolas Rurais do DF em setembro e outubro.

Coordenado pelo violeiro Cacai Nunes, o Projeto Intervalo Cultural visitará 10 Escolas Rurais do DF, nos meses de setembro e outubro, apresentando um repertório variado de música brasileira para alunos da rede pública.

O Violeiro Cacai Nunes, acompanhado por George Lacerda na percussão e Vavá Afiouni no baixo elétrico irão compartilhar conhecimentos a respeito da música brasileira, exemplificando ritmos e gêneros, como baião, choro, música caipira e a utilização de seus respectivos instrumentos nestes gêneros musicais.

Para o mês de setembro, já estão definidas as seguintes escolas nas datas e horários abaixo:

24/09 – Sexta-Feira

8:30h – E.C Sobradinho dos Melos (DRE – Paranoá)

10:30h – E.C Natureza (DRE – Paranoá)

14:30h – E.C Café sem Troco (DRE – Paranoá)

28/09 – Terça-Feira

8:30h – CED PAD-DF (DRE – Paranoá)

10:30h – E.C Capão Seco (DRE – Paranoá)

14:30h – E.C Itapeti (DRE – Paranoá)

Na primeira etapa, realizada em 2007, a equipe do Projeto visitou sete escolas localizadas em Núcleos Rurais do Paranoá e Planaltina, e agora em 2010 o Projeto visitará 10 Escolas.

O Projeto tem patrocínio do Fundo de Arte e Cultura (FAC) do GDF e é realizado pela produtora Acervo Origens, que é responsável pelos trabalhos do violeiro. Dentre os projetos atuais da produtora, incluem-se o Blog Acervo Origens (www.acervoorigens.com) e o Programa de Rádio de mesmo nome, aos sábados às 19 horas na Rádio Nacional FM 96,1.

Ficha Técnica

Realização: Acervo Origens

Coordenação Geral: Cacai Nunes

Coordenação Pedagógica – Danielle do Vale

Assistente de Produção: Daniel Black

Arte: Bruna Daibert – Uha Design

Sonorização: Maty Produções

Patrocínio: FAC – Secretaria de Cultura do DF

Músicos:

Cacai Nunes – Viola Caipira

George Lacerda – Percussão

Vavá El Afiouni – Baixo Elétrico

Contatos:

acervoorigens@gmail.com

(61) 3202.0081 – 7813.6248

CUFA DF realiza final do campeonato de skate no Paranoá!

3ª etapa do DF STREET decide quem é o vencedor do circuito de skate de rua

A Central Única das Favelas do Distrito Federal (CUFA DF) realiza nos dias 25 e 26 de setembro de 2010 ao lado da Administração do Paranoá, a 3ª e última Etapa do Circuito de Skate de Rua DF STREET, a partir das 10h.

O campeonato visa disseminar a prática do skate na cidade, ocupar os espaços públicos com atividades sadias e tornar estes ambientes saudáveis. Além disso, estimula o protagonismo juvenil dentro das periferias.

No dia 25 de setembro será realizada a competição das categorias mirim, iniciante e feminino. No dia 26 de setembro é dia da disputa do amador e da entrega dos prêmios para os vencedores do circuito. Além do campeonato, também será realizada oficina paralela de skate para o público que for conferir o evento.

É importante ressaltar que o Circuito CUFA de Skate de Rua vai promover um momento de lazer diferenciado para a comunidade local.

Por seu caráter social, as inscrições para o Circuito são gratuitas e serão feitas apenas no dia do evento, no local.

Mais informações:

O Circuito DF STREET realizou 1ª etapa no Skatepark da Ceilândia Norte, a 2ª etapa foi relaizada na Cidade Estrutural. As informações sobre todo o Circuito DF STREET estão disponíveis no blog www.cufadf.org/dfstreet.

Assista ao vídeo promocional do evento: http://www.youtube.com/watch?v=Q4uGEbYFivs

“CAMARÃO QUE DORME A ONDA LEVA”

O BARATO DA VIDA É VIVER

CUFA -BRASIL-DISTRITO FEDERAL-DF

MAX MACIEL- Coordenador Geral

SBS – QD:02 – ED. SEGURADORAS 1213 CEP: 70.093.900

Tels: 55-61-3224-6557

55-61-9949-4995 ID: 55*83*33696

Email: max.cufadf@gmail.com

Twitter: maxmacieldf // Skype: max.maciel

www.cufadf.org

“O BARATO da Vida é Viver

GOIÂNIA/GO

Simpósio Internacional de Saberes Tradicionais, Biodiversidade, Biotecnologia e Dinâmicas Territoriais – SINBIOTEK

Prezados (as),

O Laboratório de Estudos e Pesquisas das Dinâmicas Territoriais – LABOTER – do Instituto de Estudos Sócio-ambientais (IESA) da Universidade Federal de Goiás (UFG), em parceria com o Institut de Recherche Pour le Dèveloppment – IRD (França) e Agence nacionale de la Recherche – ANR (França), realizarão no período de 3 a 5 de novembro de 2010 o Simpósio Internacional de Saberes Tradicionais, Biodiversidade, Biotecnologia e Dinâmicas Territoriais – SINBIOTEK, em Goiânia-GO / Brasil.

Estão abertas inscrições de trabalhos até o prazo de 20 de setembro de 2010.

Para mais informações acesse www.iesa.ufg.br/biotek(clicar no link do Simpósio).

Cordialmente,

Comissão Organizadora do SINBIOTEK ”

PIRENÓPOLIS/GO

BATIZADO DE COSME E DAMIÃO

dia 27 de setembro de 2010 /2ª feira

Boi boi boi

que chegou pra vadiar

ele veio pra Pirenópolis

e chegou foi pra ficar

O boi fugiu do pasto

e andou pelo caminho

encontrou Cosme e Damião

para ser o seu padrinho

O boi saiu do pasto

e parou lá no curral (currá)

esperou Cosme e Damião

que vinha pra batizá

A festa do boi

já é uma tradição

quem batizou este boi

foi São Cosme e Damião

Boi boi boi

que anda pela cidade

esse boi já tá urrando

trazendo a Liberdade

A festa de batizado do Boi do Rosário é uma tradição que se inicia este ano em Pirenópolis e que veio pra ficar! Faz parte das andanças, descobertas e raízes do Quintal da Aldeia e da Guaimbê, que nasceu e foi alimentada pelas fontes de tradição oral do Maranhão.

Por ser uma festa coletiva e organizada pela comunidade do Bonfim e do Quintal da Aldeia, gostaríamos de contar com sua colaboração pra que esta festa seja realmente muito linda e iluminada.

Todos estão convidados e sintam-se à vontade para vir, chegar e participar.

A partir das 9h30 estaremos dando início aos preparativos da confraternização.

PROGRAMAÇÃO (27 de setembro de 2010):

9h30 – QUINTAL DA ALDEIA – arrumação do espaço para o batizado

INTERVALO PARA AO ALMOÇO

15h – PÇA DO ZÉ DA KOMBI /Alto do Bonfim: Abertura do evento

15h30 – CATIRA

16h – FLOR DE PEQUI – com distribuição de doces

17h – CORTEJO FLOR DE PEQUI DE VOLTA À SEDE

17h30 – MUAY THAI

18h – CAPOEIRA ANGOLA

18h30 – ZOUK

19 h – BATIZADO DO BOI com a presença do batalhão de Anápolis:

LANCHE COLETIVO

Se você quiser contribuir, ou imprima o anexo e junte a contribuição entre seus amigos (uma vaquinha pro boi!) ou faça seu depósito – de qualquer valor – de preferência IDENTIFICADO, na conta da Guaimbê:

Banco do Brasil

Ag. 1114-2

Cc. 13.195-4*

REGIÃO NORDESTE

Chorozinho, Russas e Jaguaruana/CE

Vivências de Iniciação Musical em assentamentos no Ceará

A banda Dona Zefinha a convite do projeto: “Arte e cultura na reforma agrária”, por meio do convênio de capacitação artística INCRA/SEBRAE, leva aos assentamentos da reforma agrária uma vivência artística em música.

De 20 de setembro a 02 de outubro/2010 os integrantes da banda embarcam numa viagem ao Ceará mais profundo, visitando os assentamentos de Zé Lourenço e Menino Jesus em Chorozinho, Santa Fé em Russas e Bela Vista em Jaguaruana.

Para 2011, a banda prepara o terceiro álbum para celebrar os 10 anos de atividades musicais.

O disco ainda em processo de pesquisa e ensaios aponta novidades.

Vivências de Iniciação Musical

De 20/09 a 02/10/2010

Com banda Dona Zefinha

Assentamentos de Zé Lourenço e Menino Jesus em Chorozinho (CE)

Assentamento Santa Fé em Russas (CE)

Assentamento Bela Vista em Jaguaruana (CE)

(85) 3299.1344

Caldeirão das Artes

fone: 85 3265.1477 | 9997.7378

contato@caldeiraodasartes.com.br

www.caldeiraodasartes.com.br

SÃO LUÍS/MA

31º Aniversário do Centro de Cultura Negra do Maranhão – CCN

C O N V I T E

O Centro de Cultura Negra do Maranhão – CCN, desde a sua fundação (em 19 de setembro de 1979), tem investido em ações de formação que possibilitem instrumentos para que os afros descendentes desse Estado se percebam enquanto um segmento social que pode criar condições a partir de sua organização, de atuar por si mesmo na transformação da realidade de opressão social baseada no racismo a que foi relegado.

Por essa razão o Centro de Cultura Negra do Maranhão tem a honra de convidar Vossa Senhoria, para participar das comemorações do seu 31º Aniversário a ser realizado nos dias 17 a 24 de setembro de 2010, na sede do CCN-MA, localizado na Rua dos Guaranis, S/N – Barés – João Paulo (próximo a feira do bairro do João Paulo) Fone/Fax: (98) 3243-9707/(98) 3249-4938.

Saudações Quilombolas!

Coordenação Geral do CCN-MA.

Programação dos 31º anos do CCN-MA.

De: 17 a 24 de setembro de 2010.

Dia: 17 de setembro

Horário: 15h00min.

Lançamento do Proj. Ponto de Cultura / CCN.

Apresentação de Recital de Poesia e Apresentação da Bateria Akomabu.

Dia: 18 de setembro

Horário: 08h00 às 12h00min.

1ª atividade do Plano de Formação Política e Cultural do CCN.

Seminário: Tema/Política de Igualdade Racial Ações Afirmativas: Avanços e Perspectivas?

Atividades c/adolescentes e jovens atendidos p/PROTEJO-SSP-MA.

Dia: 19 de setembro

09h00 às 16h00min – Gincana Cultural: “Negro Cosme”

18h00min – premiação dos participantes da Gincana Cultural;

18h30min – Recital de Poesia (Abanjá)

18h40min – Espetáculo Bumba-Crioula (Abanjá)

19h30min – Relançamento do Cd/Cartilha de MAGNO CRUZ “Cantando Histórias e Lutas do Povo Negro”

20h00min – Corte do bolo

20h30min – Lançamento do Tema/Arte do Akomabu 2011, com a bateria e cantores(as).

22h30min – encerramento.

Dias: 22 e 23 de setembro

Visitas e palestras internas.

Local: sede do CCN.

Dia: 23 e 24 de setembro

08h30 às 17h00min.

Local: sede do CCN.

Mesa de Dialogo Direitos dos Territórios Quilombola

JOÃO PESSOA/PB

Seminário Regional de Combate às Desigualdades Raciais entre Brancos e Negros

Data: 24 a 29 de setembro

O Núcleo de Estudantes Negras e Negros da UFPB (NENN/UFPB) combate todas as formas de discriminação, e preza por uma postura propositiva na luta por uma sociedade que seja educada e orientada a respeitar a pluralidade étnico-cultural do nosso país. Nesse sentido, visando contribuir para fortalecer a luta antirracista na Paraíba, o NENN convida a todos (as), para participar do Seminário Regional de Combate às Desigualdades Raciais entre Brancos e Negros – pela reparação e contra o genocídio da população negra, ao qual chamamos de SETEMBRO NEGRO. Esperamos a presença dos ilustres companheiros(as) de luta, pesquisadores(as) e de todos aqueles (as) que se interessam pela temática.

PROGRAMAÇÃO

Dia 24, das 14h às 18h

Mesa Redonda: “Brasil e África: Encontros Historiográficos, Pan-africanistas e Afrocentrados”. Palestrantes: Prof. Dr. Élio Chaves Flores (PPGH/UFPB); Yedo Ferreira (MNU/RJ); Prof. Dr. José Bento Rosa da Silva (UFPE).

Dias 25 e 26, Ciclo de Debates sobre Reparação e Genocídio da Juventude Negra:

Dia 25 – Reparação e Genocídio da Juventude Negra:

MANHÃ, 9h às 12h – Exposição do tema por Yedo Ferreira (Militante Comunista até a década de 1960 e um dos fundadores do MNU), sob a mediação da representação do NENN/UFPB.

TARDE, 14h às 18h – Exposição do tema por Arnaldo Vicente (MNU/PE), sob a mediação do MNU/PE.

NOITE, 19h às 24h – Programação cultural com visita a Comunidade Quilombola do Ipiranga para participar de uma roda de coco.

Dia 26 – Projeto Político do povo negro para o Brasil:

MANHÃ, 9h às 12h – Exposição do tema por Reginaldo Bispo (Ativista do MNU de São Paulo e membro da direção nacional do MNU), sob a mediação do MNU/CE.

TARDE, 14h às 18h – Redação de uma carta de princípios de luta, que reflita no Projeto Político do povo negro para o Brasil o anseio de reparação contra a escravidão, contra o racismo e contra o genocídio da população jovem negra.

Dias 27, 28 e 29. Mini Curso – “Introdução à Historiografia Africana e à Imprensa Negra no Brasil”:

Expositores e abordagens do Mini Curso:

Dia 27, TARDE, das 14h às 18h. Prof. Dr. Elio Chaves Flores (PPGH/UFPB): Introdução a Historiografia Africana;

Dia 28, TARDE, das 14h às 18h. Prof. Dr. Luis Tomás Domingos (UEPB/Guarabira): Introdução à vida intelectual, política e ao pensamento de Cheikh Anta Diop;

Dia 29, TARDE, das 14h às 18h. Prof. Ms. Edson Cardoso (UnB): Imprensa Negra: as experiências do pensamento negro brasileiro nos Jornais do MNU e Ìrohìn.

Dia 29, NOITE, 19h às 21h – Palestra com o Prof. Ms. Edson Cardoso (UnB), sobre o tema: “Pensamento Negro Contemporâneo”.

PÚBLICO ALVO:

Alunos de Mestrado e Graduação em História; ativistas ligados ao MN0PB e suas entidades filiadas.

INSCRIÇÕES:

Período/Local: 13 a 22 de setembro, no ambiente 13 dos professores/CCHLA, das 19h às 21h.

VALOR

Seminário: R$ 5,00 (alunos secundaristas e de graduação); R$ 10,00 (alunos de pós e professores das redes municipal e estadual); R$ 50,00 (a título de doação, para professores universitários). Mini Curso: R$ 5,00 (todas/os).

INFORMAÇÕES:

NENN/UFPB, pelo tel. (83) 8893-2354 ou pelo e-mail: Núcleo de Estudantes Negras e Negros da UFPB nenn.ufpb@gmail.com

II Encontro da ABET Regional Nordeste

De 18 a 20 de novembro de 2010 – João Pessoa – UFPB

Chamada de trabalhos

A Comissão Organizadora do II Encontro da ABET Regional Nordeste informa que o Evento acontecerá em João Pessoa, nos dias 18, 19 e 20 de novembro de 2010 e terá como tema “Etnomusicologia e Música Popular”. Assim, convidamos pesquisadores, professores e alunos da área de Etnomusicologia, bem como de estudos musicais em geral, para submeterem propostas de trabalhos para o Encontro, conforme as especificações para a submissão (ver abaixo). O processo de recebimento e avaliação dos trabalhos ficará a cargo do Comitê Científico do Evento.

Os trabalhos poderão ser submetidos nos seguintes temas:

1. Gêneros e cenas da música popular

2. Espaços e políticas para a música popular

3. Análise da música popular

4. Performance, música e cultura

5. Música, tradição e patrimônio imaterial

6. Música e religião

7. Processos, situações e estratégias de transmissão musical

Os trabalhos devem ser enviados até o dia 20 de outubro de 2010, impreterivelmente, como proposta de comunicação ou pôster, e deverão estar enquadrados em uma das seguintes categorias:

1) Projeto de Pesquisa ou Pesquisa em Andamento

Os trabalhos inscritos nessa modalidade deverão abordar uma questão de pesquisa em música, explicitando os objetivos da investigação, os pressupostos teóricos e os procedimentos metodológicos previstos e/ou utilizados. A proposta deverá destacar, ainda, a contribuição que a pesquisa oferecerá para a área de Etnomusicologia e para a produção científica em geral.

2) Pesquisa Concluída

Nessa modalidade, as propostas deverão consistir em trabalhos originados de pesquisas concluídas, explicitando os objetivos da investigação, bem como os pressupostos teóricos e os procedimentos metodológicos utilizados. Os trabalhos devem destacar os resultados e as conclusões obtidas a partir do processo investigativo.

3) Relato de Experiência

Os trabalhos enviados para essa modalidade deverão descrever uma experiência em estudos musicais, já realizada ou em desenvolvimento, explicitando os fundamentos teóricos e práticos que alicerçaram a proposta.

Submissão de Trabalhos

Os trabalhos deverão ser submetidos à avaliação do Comitê Científico do II Encontro da ABET Regional Nordeste por meio do email abetnordeste2010@gmail.comaté às 24 horas (horário de Brasília) do dia 03 de outubro 2010. A aprovação das propostas estará condicionada à avaliação do Comitê Científico do Evento.

O texto não deve conter nome, filiação institucional, nem qualquer outro tipo de informação que permita a identificação do(s) autor(es).

Valor das Inscrições

Sócio da ABET R$ 30, 00

Não sócio da ABET R$ 50, 00

Estudante sócio da ABET R$ 15, 00

Estudante não sócio da ABET R$ 30, 00

Obs.: Os textos completos dos trabalhos aprovados serão publicados nos anais em CD-ROM. Todavia, tanto a publicação nos anais quanto a comunicação ou a exposição dos pôsteres estão condicionadas à inscrição no Evento, devendo ser observada a data limite (10 de novembro de 2010).

Datas e Prazos Importantes

Atividade Datas / Prazos

Envio de trabalhos 10 de setembro a 20 de outubro

Avaliação pelo Comitê Científico 21 a 30 de outubro

Divulgação dos resultados 03 de novembro

Revisão, pelos autores, dos trabalhos aprovados para a publicação nos anais 04 a 10 de novembro

Inscrição no evento para os trabalhos aprovados 10 de novembro

Atenciosamente,

Eurides de Souza Santos

Etnomusicóloga

Professora do Depto de Música UFPB

NATAL/RN

Griots: II Colóquio Culturas Africanas

http://www.ufrn.br/ufrn2/coloquioafricano/

Apresentação

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN e o Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem do Departamento de Letras realizarão no período de 25 a 27 de maio de 2011, na cidade de Natal-RN, o II Colóquio de Culturas Africanas – Griots, dando assim continuidade à iniciativa que em 2009 organizou o I Colóquio de Culturas Africanas: Linguagem, Memória e Imaginário.

Esse evento oportuniza diálogos importantes entre professores, pesquisadores, discentes e escritores interessados em discutir questões envolvendo África, A segunda edição do Colóquio “*Griots*” traz novos desafios não apenas envolvendo questões voltadas à literatura africana, mas visa ampliar debates sobre a importância das mídias em torno da luta contra todo tipo de violência, preconceito e racismo.

O racismo evidencia as consequências da opressão exercida por uma cultura dominante, que atinge as comunidades afro-descendentes, atinge a cultura, mas também a política e o ser psíquico. Nesse sentido, o Griots 2011 analisa a violência excedente em um mundo que subverte e altera tanto as coletividades quanto os sujeitos em seu devir pessoal.

Ao abrigar um evento dessa natureza, estamos falando sobre a desigualdade e a redução do sujeito em objeto, da substituição do ser pelo ter, estamos falando sobre o apagamento de línguas marginalizadas, estamos falando sobre as consequências da modernidade em um mundo desprovido de seu maior luxo: as relações humanas.

Se é pela cultura que se dá a criação das fagulhas do imaginário racista, é pelo discurso que ele se estabelece no meio de nós. Nos sistemas capitalistas, entre o explorado e o poder, interpõe-se uma multidão de discursos sobre a moral humana. Quadros e giz a postos nos muros das escolas públicas e particulares. Muro convite. Muitas vezes discriminação e preconceito também começam dentro da sala de aula: silêncio. Cale-se. Eu sou a voz, você apenas o ouvido, você é o meu não; eu sou o seu sim. E ponto final na lição. Na hora da prova: d’escola a cola que não descola.

Em meio a tudo isso, quem faz uso da escopeta, das balas perdidas, dos meninos “aviõezinhos”? Onde se esconde a violência que se estatela dos guetos aos semáforos? Por quais luxos batem em rostos plugados no mundo virtual? Por quais terras invadem a noite dos travestis naufragando a igualdade? Nos espaços para abreviar grafites, novos poemas se picham: “No mundo, não há vencedor, não há perdedor, há vidas vazias, vidas intensas de poesia”.

Como devemos abrir a porta da poesia para novos canais humanos? Acaso o trinco da porta largou o poema no último verso da escadaria do morro onde não há poesia mais linda do que o silêncio? Nosso modelo de civilização é um fabulário, em meio ao tecnicismo, demarcando a “vaziez” de indivíduos que conhecem de cor e salteado o mundo da tela de um blog, no entanto são desconhecedores do abismo da alma humana. Não conseguimos mais nos conhecer, só conseguimos reconhecer nossa imagem irrefletida num solilóquio sonhador.

O narcísico, que não deixa de olhar o lago. A imagem da imagem reflete várias imagens em um só espelho. Como diz Mia Couto [2008]: “Cura-me de sonhar, doutor”.

Conhecemos uma sobrecarga de informações, contudo não conhecemos o que há de nós em nós mesmos. A fome faz conhecer a Terra; a sede o mar. O grande desafio desse século é o de todos os séculos: “Conhece-te a ti mesmo”?

Atualmente vivemos os reflexos da caverna de Platão, adoecemos das sombras de imagens que jamais tocaremos a valer. Adoecemos de conhecimento, adoecemos por não sabermos viver mais o desconhecido. Adoecemos da falta de encantamento. Adoecemos da escassez de alumbramentos, do que nunca saberemos revelar. Adoecemos da falta de doação humanitária. Adoecemos dos ideais humanizadores. E por não nos sabermos conhecedores de nossa alma, violentamo-nos uns aos outros como se fôssemos bichos primatas,bestializados.

Hannah Arendt [2009], no livro *Sobre a violência*, diz que temos um excedente de violência na atualidade porque temos um excesso de burocracia no mundo. Vivemos amarrados a um sistema burocrático que nos aprisiona a todos de uma falsa liberdade. Tudo existe em nome da burocracia. Segundo Arendt, não sabemos mais nos dias de hoje como destronar esse tirano.

Nessa perspectiva, o evento *Griots* analisa a linguagem que nos intoxica pelo discurso da violência, do preconceito, do racismo, pois como salienta Inocência Mata: “os discursos oficiais são sonhos ritualizados, expressões, estereótipos criminosos com que se pretendiam esconder a realidade e erguer respeitáveis fachadas [das figuras públicas] e terríveis máquinas de guerra, que num espaço de um só dia se desmoronou”.

Em verdade, somos sujeitos de nossa história, quando somos atores de nossa história política. “Oh, meu corpo, faça sempre em mim um homem que interroga.” [Frantz Fanon]. E quando eu não interrogar, vigiai-me para não esquecer o furo da canoazinha na maré das sereias-respostas.

Inscrições

Inscrições com apresentação de trabalho: 01/08/2010 a 31/03/2011

Clique aqui: <http://www.rosangelatrajano.com.br/fichainscricao2011.doc> para abrir o formulário de inscrição.

VITÓRIA DA CONQUISTA/BA

1º SEMINÁRIO NACIONAL DE LIBERDADE DE CRENÇA E DIÁLOGO INTERRELIGIOSO

O Sacro e o Místico nas Religiões Tradicionais de Matrizes Africanas

Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista – BA

13 a 15 de outubro de 2010

I Eixo Temático – 13/10/2010

Referências Históricas, Políticas e Jurídicas: a diáspora africana, suas representações e repercussões na sociedade brasileira

II Eixo Temático – 14/10/2010

Referências Filosóficas, sociais e Culturais: compreensão das formas rituais de orgabnização social e a sua relação com as manifestações da natureza e da cultura

III Eixo Temático – 15/10/2010

Referências Religiosas: dimensões do místico e do sagrado nas religiões brasileiras de matrizes africanas

http://www.uesb.br/eventos/crenca/index.php

Promovido e realizado pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, no período de 13 a 15/10/2010, no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista/BA.

Informo-lhes que o evento já se encontra no site oficial da UESB- www.uesb.br, com inscrições abertas pela internet, no período de 08/09/2010 a 13/10/2010, e que toda a programação se encontra confirmada, sendo certificada aos participantes com 36 horas/aula.

Disponibilizamos, também, para contato, o email: liberdadedecrenca@gmail.com

Abraços fraternos

Marcelo Nogueira Machado

Membro da Coordenação do Seminário Nacional

(77) 9199-3500

A UESB disponibilizará um ônibus com capacidade para 46 passageiros para viabilizar a participação de uma delegação do Povo-de-Santo de Salvador e região Metropolitana no Seminário Nacional de liberdade de Crença e Diálogo Interreligioso – o sacro e o místico nas Religiões Tradicionais de Matrizes Africanas, a ocorrer em Vitória da Conquista/BA, no período de 13 a 15/10/2010.

Como critério preferencial, propomos que sejam contemplados na composição dessa delegação as representações dos Terreiros/Ilés/casas/comunidades/roças, cujos sacerdotes e oloye já estejam compromissados com a construção e participação do/no evento, de modo a prestigiar as comunidades representadas.

Informo-lhes que o ônibus sairá de Salvador no dia 12/10/2010(terça-feira) e retornará no dia 16/10/2010(sábado) e que o ônibus será adequado para uma viagem de 8 horas de duração.

Precisamos da definição dos nomes que comporão essa delegação para fins de comunicação à Agerba até o dia 08/10/2010, bem como os pontos de embarque/desembarque, roteiro e horários, de modo a facilitar a concentração da delegação em pontos estratégicos e agilizar com segurança a viagem.

Informo-lhes, que a hospedagem e alimentação da delegação deverão ser realizados nos Ilés de vitória da Conquista, numa iniciativa conjunta dos sacerdotes de vitória da Conquista e da Coordenação do Seminário, num acolhimento singelo, sincero e solidário, que propicie a integração e a interação.

Para organizar conjuntamente essa delegação, solicitamos aos sacerdotes e oloyes destinatários dessa mensagem, que articulem a melhor forma de viabilizar essa iniciativa.

Outrossim, aproveitamos a oportunidade para agradecer o empenho e a dedicação com que todos estão se engajando para divulgar, organizar, articular e viabilizar o nosso evento.

Do mesmo modo, aproveitamos, também, para esclarecer os questionamentos que nos foram encaminhados a cerca da natureza, conveniência, oportunidade e possibilidade de intervenção e interlocução dos sacerdotes e oloyes participantes. Entendemos que o evento é uma construção coletiva, em processo de aperfeiçoamento, onde todos integram a sua substância e corresponsabilizam pela sua essência, o que resultar como produto das vivências/experiências/interferências/referências/valores/princípios… mas, ousamos sugerir que essa participação ocorra de forma mais intensa e articulada nos debates, que se seguirão às exposições havidos nos 06 painéis; nos rituais cerimoniais diários, sobretudo nas saudações e reverências aos ancestrais; na roda de conversa (Padê Ofó’nlá – Encontro de Grande Encantamento) – reunindo os testemunhos, reflexões e meditações; e em todas os momentos que queiram se manifestar para afirmar e sustentar posições essenciais e contraditar respeitosamente outras posições controversas, estabelecendo o contraditório de um debate construtivo e necessário e desvelando as aparências na busca e encontro da essência na existência.

Informo-lhes que o evento já se encontra no site oficial da UESB- www.uesb.br, com inscrições abertas pela internet, no período de 08/09/2010 a 13/10/2010, e que toda a programação se encontra confirmada, sendo certificada aos participantes com 36 horas/aula.

Disponibilizamos, também, para contato, o email: liberdadedecrenca@gmail.com

Considerando a dificuldade de acesso a computadores interligados a internet, disponibilizamos, também, em anexo, formulário de inscrição impresso a ser entregue junto à Coordenação , em tempo hábil de ser transcrito para o formato online.

Abraços fraternos

Marcelo Nogueira Machado

Membro da Coordenação do Seminário Nacional

77- 9199-3500

Valdina Pinto

(71) 3203-6483

(71) 87445823

valdinapinto@gmail.com

I Seminário Nacional de Pesquisa sobre o Negro

Enviado por: Tatiana Dias Gomes –

Prezados(as),

Convidamos a todos para participarem do I Seminário Nacional de Pesquisa sobre o Negro que será realizado nos próximos dias 27, 28, 29, 30 de setembro e 1º de outubro na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB. Informações no site da UESB http://www.uesb.br/eventos/pesquisa_negro/index.php?pagina=apresentacao

Ao tempo em que solicitamos de divulguem o Evento.

Atenciosamente,

Prof. Dr. Francisco Carlos Cardoso da silva

Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa “Museu Pedagógico: Núcleo de Estudos Sobre a Diversidade Humana”

Museu Pedagógico da UESB / Casa Padre Palmeira- Vitória da Conquista-Bahia

homepage: www.museupedagogico.org

telefone: +55 77 3421-3894

SALVADOR/BA

1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Visuais

Dias 30/11, 01 e 02 de Dezembro

30/11 Lançamento do Site da Onipé Eró e Abertura do Evento

01 e 02/12 Seminário

Justificativa:

Com intuito de influenciar práticas educativas e políticas públicas do campo artístico, cultural e educacional que favoreçam o reconhecimento e a celebração da diversidade, considerando principalmente a equidade étnico-racial, este seminário vem discutir os principais aspectos que determinam a Arte Afro-brasileira e posteriormente seus principais representantes ao longo da História da Arte Brasileira. A preocupação central consiste em buscar compreender um pouco mais sobre a dinâmica do cotidiano artístico-cultural brasileiro no que tange às questões de sua formação político-social que influenciaram diretamente a sua formação artística, de forma que possa gerar recomendações que tornem o ambiente artístico mais favorável à implementação de políticas públicas para o estudo desta área, bem como mecanismos de promoção de exposições e publicações específicas.

Faz-se necessário abordar: o conhecimento da História da Arte Brasileira, as diferentes visões sobre processos que envolvem as relações étnico-raciais dentro e fora da escola, a proximidade com a temática relacionada á África, à cultura afro-brasileira e indígena, o processo de construção da imagem do índio e do negro no Brasil, o conhecimento e o contato com materiais didáticos e as atividades com eles desenvolvidas, o uso de materiais imagéticos e audiovisuais que visam provocar a reflexão sobre aspectos presentes nas relações étnico-raciais.

Objetivo Geral:

Realizar o I Seminário Afrobrasileiro de Artes Visuais,como parte integrante da elaboração e organização do I Salão Afrobrasileiro de Artes Visuais discutindo diretamente com os artistas plásticos, historiadores , pesquisadores em artes e comunidade em geral os aspectos preponderantes que compõem a Arte Afro-brasileira.

Objetivos específicos:

1. Entender, problematizar e esmiuçar como foram construídas histórica e socialmente as concepções artísticas e como em torno delas são engendrados os esquemas interpretativos que informam e orientam a leitura da obra de arte.

2. Influenciar práticas educativas e políticas públicas do campo artístico, cultural e educacional que favoreçam o reconhecimento e a celebração da diversidade, considerando principalmente a equidade étnico-racial.

3. Realizar um inédito levantamento dos artistas afro-brasileiros e/ou afro-inspirados e suas obras na contemporaneidade.

4. O debate sobre promoção da igualdade das relações étnico-raciais nas escolas e universidades e as Leis nº. 10.639/03 e 11.645/08, através das artes.

5. Apresentar dados que forneçam e procurem embasar uma reflexão sobre o papel da escola/universidade e dos (as) arte-educadores (as) na reprodução das desigualdades étnico-raciais.

Público Alvo

Direcionado a educadores (as), gestores, coordenadores pedagógicos, artistas e pesquisadores em artes e comunidade afro-brasileira e índio-brasileira em geral, áreas afins.

Programação

Abertura: Casa do Benin na Bahia

Horário: 18 horas

Rua Padre Agostinho Gomes, nº 17, Pelourinho. Salvador – BA

Seminário: Faculdade de Medicina da Bahia

Largo do Terreiro de Jesus, s/n°, Pelourinho. Salvador – BA

Horário: 08 horas

Inscrições:

De 04 a 18 de Outubro via e-mail: onipeero@gmail.com, sob o título: Inscrição 1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Plásticas.

Enviar nome completo, data de nascimento, e-mail, endereço, telefone(s), nome da entidade que representa e função.

Confirmação de Inscrição via e-mail: De 01/11 a 08/11/10

Divulgação da Programação: 08/11/10 através do site da instituição, Twitter, orkut e facebook.

Contato: Lívia de Brito (71)8727-9603

Fórum Nacional de Crítica Cultural: Educação básica e cultura: diagnósticos, proposições e novos agenciamentos

Universidade do Estado da Bahia – UNEB de 18 a 21 de Novembro de 2010

Apresentação:

O Fórum Nacional de Crítica Cultural 2 tem como objetivos gerais mapear e descrever aspectos da relação entre a educação e a cultura, sobretudo a educação básica, situando o compromisso teórico da pesquisa científica na grande área de linguística, letras e artes, ciências humanas, ciências sociais aplicadas, e multidisciplinar, na articulação de encontro entre comunidade científica e coletivos culturais e educacionais, além de empenhar-se na construção de uma agenda envolvendo estes coletivos e suas demandas quanto à afirmação da cultura como um bem simbólico, um direito de todos – inclusive aos modos de produção, e como possibilidade de geração de riqueza e renda, voltadas a uma desconstrução da noção de cultura veiculada pela escola enquanto aparelho de reprodução de uma noção de cultura imposta pela indústria cultural. Um evento, portanto, que sugere diagnósticos – como uma arqueologia; proposições – como um engajamento transvalorador; e novos agenciamentos – como a invenção de espaços produtivos e revolucionários nas instituições educacionais e culturais existentes.

http://www.forumdecriticacultural.com/Index.html

I Mostra Audiovisual dos Pontos de Cultura da Bahia – Teatro Vila Velha

No período de 20 de maio a 20 de agosto de 2010, o Teatro Vila Velha teve em cena 50 jovens e adultos em formação no Projeto Oficinas Audiovisuais do Ponto de Cultura Teatro Vila Velha. Na Oficina de Vídeo, conheceram as linguagens, técnicas, produção, pós-produção e finalização audiovisual. Na Oficina de Edição Não-linear de Vídeo, aprenderam a trabalhar com o programa Final Cut Pro. Como resultado prático, ambas as oficinas produziram, em conjunto, quatro vídeos de curta duração e a I MOSTRA AUDIOVISUAL DOS PONTOS DE CULTURA DA BAHIA.

A MOSTRA é de caráter não competitivo e visa a exibição de vídeos realizados pelos Pontos de Cultura da Bahia que possuem atividades voltadas para o audiovisual. O evento consiste na exibição de vídeos e na discussão dos mesmos em mesas-redondas que, contarão com a participação de acadêmicos, cineastas, produtores e representantes das obras audiovisuais. O objetivo é discutir a produção audiovisual na Bahia, ao promover a troca de informações e experiências, identificando dificuldades e demandas no que diz respeito à produção, à exibição e distribuição, além de fomentar a produção técnico-artística baiana através dos Pontos de Cultura.

A programação está dividida entre os dias 6 e 7 de outubro de 2010. A participação é gratuita, mas é necessário inscrever-se, pois há limite de participantes. Para informações e inscrições visitem o nosso site www.teatrovilavelha.com.br/mostra.

Heide Costa

Núcleo de Comunicação

[71] 3083-4610/ 4622

comunicacao@teatrovilavelha.com.br

* www.teatrovilavelha.com.br

* www.teatrovilavelha.com.br/blog

* twitter.com/teatrovilavelha

Pontos de cultura da Bahia

1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Visuais
Dias 30/11, 01 e 02 de Dezembro
30/11 Lançamento do Site da Onipé Eró e Abertura do Evento
01 e 02/12 Seminário

Justificativa:

Com intuito de influenciar práticas educativas e políticas públicas do campo
artístico, cultural e educacional que favoreçam o reconhecimento e a
celebração da diversidade, considerando principalmente a equidade
étnico-racial, este seminário vem discutir os principais aspectos que
determinam a Arte Afro-brasileira e posteriormente seus principais
representantes ao longo da História da Arte Brasileira. A preocupação
central consiste em buscar compreender um pouco mais sobre a dinâmica do
cotidiano artístico-cultural brasileiro no que tange às questões de sua
formação político-social que influenciaram diretamente a sua formação
artística, de forma que possa gerar recomendações que tornem o ambiente
artístico mais favorável à implementação de políticas públicas para o estudo
desta área, bem como mecanismos de promoção de exposições e publicações
específicas.

Faz-se necessário abordar: o conhecimento da História da Arte
Brasileira, as diferentes visões sobre processos que envolvem as relações
étnico-raciais dentro e fora da escola, a proximidade com a temática
relacionada á África, à cultura afro-brasileira e indígena, o processo de
construção da imagem do índio e do negro no Brasil, o conhecimento e o
contato com materiais didáticos e as atividades com eles desenvolvidas, o
uso de materiais imagéticos e audiovisuais que visam provocar a reflexão
sobre aspectos presentes nas relações étnico-raciais.

Objetivo Geral:

Realizar o I Seminário Afro-brasileiro de Artes Visuais,como
parte integrante da elaboração e organização do I Salão Afro-brasileiro de
Artes Visuais discutindo diretamente com os artistas plásticos,
historiadores , pesquisadores em artes e comunidade em geral os aspectos
preponderantes que compõem a Arte Afro-brasileira.

Objetivos específicos:

1. Entender, problematizar e esmiuçar como foram construídas histórica
e socialmente as concepções artísticas e como em torno delas são engendrados
os esquemas interpretativos que informam e orientam a leitura da obra de
arte.

2. Influenciar práticas educativas e políticas públicas do campo
artístico,
cultural e educacional que favoreçam o reconhecimento e a celebração da
diversidade, considerando principalmente a equidade étnico-racial.

3. Realizar um inédito levantamento dos artistas afro-brasileiros e/ou
afro-inspirados e suas obras na contemporaneidade.

4. O debate sobre promoção da igualdade das relações étnico-raciais nas
escolas e universidades e as Leis nº. 10.639/03 e 11.645/08, através das
artes.

5. Apresentar dados que forneçam e procurem embasar uma reflexão sobre
o papel da escola/universidade e dos (as) arte-educadores (as) na reprodução
das desigualdades étnico-raciais.

Público Alvo

Direcionado a educadores (as), gestores, coordenadores pedagógicos, artistas e pesquisadores em artes e comunidade afro-brasileira e índio-brasileira em geral, áreas afins.

Programação

Abertura: Casa do Benin na Bahia
Horário: 18 horas
Rua Padre Agostinho Gomes, nº 17, Pelourinho. Salvador/Ba
Seminário: Faculdade de Medicina da Bahia
Largo do Terreiro de Jesus, s/n°, Pelourinho. Salvador/Ba
Horário: 08 horas

Inscrições:

De 04 a 18 de Outubro via e-mail: onipeero@gmail.com, sob o título:

Inscrição 1º Seminário Afrobrasileiro de Artes Plásticas.

Enviar nome completo, data de nascimento, e-mail, endereço, telefone(s),
nome da entidade que representa e função.
Confirmação de Inscrição via e-mail: De 01/11 a 08/11/10
Divulgação da Programação: 08/11/10 através do site da instituição, twitter,
orkut e facebook.
Contato: Lívia de Brito (71)8727-9603

SÃO LOURENÇO DA MATA/PE

2° Semana Estadual da Vivência e Prática da Cultura Afropernambucana – Lei Malunguinho 13.298/07

O Quilombo Cultural Malunguinho Apresenta a 2° Semana Estadual da Vivência e Prática da Cultura Afro Pernambucana.

Lei Malunguinho 13.298/07

De 12/09 a 01/10 de 2010.

Malunguinho Histórico e Divino 175 anos resistindo!

A 2° Semana Estadual da Vivência e Prática da Cultura Afro Pernambucana, Lei Malunguinho 13.298/07 tem como objetivo consolidar o diálogo entre as diversas religiões de matrizes africanas e indígenas com a sociedade civil e a cultura de tradição, escolas e academias, com o intuito de celebrar a memória do líder negro e divindade do culto da Jurema Sagrada, Malunguinho, personagem da história do Brasil, assassinado no dia 18 de setembro de 1835, no município de Maricota, hoje Abreu e Lima.

Visamos também garantir a expressão da diversidade presente nas atividades, possibilitando a articulação entre pessoas e grupos, além da participação plural e intensa dos povos de terreiro nos processos de discussão política e social, cultural e teológica, garantindo a troca de saberes com a função de contribuir para o fim do racismo, da intolerância religiosa e da desmistificação de nossa história negra e indígena marginalizada (lei 11.645/08).

“Na mata tem um caboclo

Todo vestido de pena

Este caboclo é Malunguinho

Ele é rei lá da Jurema”!

A expressão de uma articulação do povo da Jurema Sagrada. IV Kipupa Malunguinho. Foto de João Monteiro. 2009

Programação Completa

Domingo 12/09

10h.

Reabertura do terreiro de Jurema Centro Espírita Mestre João (Mãezinha Juremeira, 85 anos) – Toque para Malunguinho – Ritual religioso.

Local: Segunda Travessa do Buraco da Velha, 52, Bairro Capibaribe – São Lourenço da Mata.

Segunda 13/09

Abertura oficial da semana de Malunguinho- Gira de Diálogos audiovisuais afro-indígenas.

Hora: 19 às 22h

Local: Teatro do Parque

Mostra de vídeos e discussão sobre a Jurema Sagrada e Malunguinho:

Malunguinho, O Guerreiro do Catucá, O Rei da Jurema UNICAP/QCM, 2008

  • A Ciência dos Encantados – UNICAP, 2007
  • I Kipupa Malunguinho, a fundação da tradição do Catucá. De Felipe Peres Calheiros
  • Malunguinho Histórico Divino – 2009

Quarta 15/09

8h e 30min.

Gira de Diálogos Itinerantes

Seminário para professores e diretores de escolas públicas do Estado.

Tema: “Intolerância Religiosa, Aqui Não – Por uma escola pública verdadeiramente laica”

Local: São Lourenço da Mata

Quinta 16/09

14h.

Gira de Diálogos Itinerantes

Seminário – Religiões de Matrizes Africanas e Indígenas e Meio Ambiente, Desafios do Século XXI.

Local: Clube Rerun Novariun (Tiúma) e Praça de Tiúma

São Lourenço da Mata

Atividades complementares:

- 16h 30min. Plantio de uma muda de Baobá na Praça de Tiúma;

- 17h. Apresentação do Grupo de Teatro de Fantoches Baobá com o espetáculo: “Baobá; Semente que veio da África”;

- 17h. 30min. Roda de Capoeira;

- 18h Show com o Maracatu Raízes de Pai Adão (Grande Vencedor do Carnaval 2010 do Recife em sua Categoria);

- 19h Roda de Coco – Show com o ícone da Cultura Popular de Pernambuco Mestre Galo Preto.

Domingo 19/09

V Kipupa Malunguinho, coco na mata do Catucá

07h (Saís dos ônibus dos municípios e terreiros)

Local: Matas sagradas do engenho Pitanga II Abreu e Lima

  • Praça do Carmo de Recife
  • Nascedouro de Peixinhos – Olinda
  • Maracatu Nação Raízes de Pai Adão – Água Fria
  • Alto Santa Isabel – Recife
  • Praça do Teatro – Limoeiro (saída às 5h)
  • Praça do Mercado Velho – Jaboatão dos Guararapes
  • Praça do Canhão – São Lourenço da Mata
  • Igreja de Santa Isabel – Paulista

Artistas convidados para o V Kipupa:

Mestre Galo Preto – www.myspace.com/mestregalopreto

Zé de Teté (Limoeiro) – www.musicadepernambuco.pe.gov.br/artista.php?idArtista=12

Grupo Bongar – www.myspace.com/grupobongar

Adiel Luna e Coco Camarás – www.myspace.com/adiellunaecococamara

Atenção; levar sua alimentação, seu cachimbo e ir com roupas tradicionais da Jurema.

Contribuição para os ônibus: R$ 5,00

Inscrições pelo email: quilombo.cultural.malunguinho@gmail.com

Fones: 55 81 8887-1496 / 9428-4898 / 3244-2336

Quinta 23/09

Coroação da Rainha do Maracatu Raízes de Pai Adão

19h.

Local: Frente à Igreja do Rosário dos Homens Pretos do Recife (com presença da Rainha maior das congadas de Minas Gerais).

De 27/09 a 01/10

Curso de Língua Yorùbá – Com o Professor Mestre e sacerdote Jayro de Jesus

19h.

Local: São Lourenço da Mata

Produção e Coordenação

Alexandre L’Omi L’Odò – alexandrelomilodo@gmail.com / 55 81 8887-1496

João Monteiro – dundunmonterio@yahoo.com.br / 55 81 9428-4898

Anne Cleide – annepenaforte@yahoo.com.br / 55 81 8632-7596

Site na internet com todas as informações: www.qcmalunguinho.blogspot.com

Veja na Internet:

http://alexandrelomilodo.blogspot.com/2008/11/iii-kipupa-malunguinho-coco-na-mata-do.html

http://alexandrelomilodo.blogspot.com/2009/09/iv-kipupa-malunguinho-coco-na-mata-do_7585.html

Visite: www.alexandrelomilodo.blogspot.com

Alexandre L’Omi L’Odò

Produção e Coordenação Geral

81. 8887-1496

Sacerdote Iyáwò L’Osùn e Juremeiro

Músico/Percussionista – Arte-educador

Pesquisador – Produtor Cultural/Fonográfico

Gestor Cultural e Exotérico Holístico

Rua da Harmonia nº.27

Peixinhos – Olinda – PE

CEP: 53220-330

00 55 (81) 8887-1496 / 3244-2336

www.alexandrelomilodo.blogspot.com

www.nacaocultural.pe.gov.br/alexandrelomilodo

www.myspace.com/mestregalopreto

RECIFE/PE

Aberta inscrição para Registro de Patrimônio Vivo de Pernambuco

Para concorrer como pessoa física é preciso ter nacionalidade brasileira, residir no Estado há mais de 20 anos e comprovar currículo de trabalho na área cultural há mais de 20 anos

JC Online Núcleo SJCC/Caruaru

Os grupos culturais com mais de 20 anos de história e pessoa física podem se inscrever para concorrer ao título de Patrimônio Vivo 2010 de Pernambuco.

Para concorrer como pessoa física é preciso ter nacionalidade brasileira, residir no Estado há mais de 20 anos e comprovar currículo de trabalho na área cultural há mais de 20 anos, além de apresentar declaração de renda. Já os grupos culturais, além da declaração de renda, precisam comprovar ter 20 anos de existência em Pernambuco e atuação no fomento à cultura popular e tradicional pelo mesmo período de tempo.

Os interessados têm até o dia 22 de outubro para apresentação de propostas que deverão ser entregues na sede da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) que fica na rua da Aurora, Boa Vista, no Recife.

Atualmente, Pernambuco conta com 21 patrimônios vivos em atividade, dentre eles três caruaruenses, Dila (xilogravurista e cordelista), Manuel Eudócio (artesão) e Teatro Experimental de Arte (grupo de teatro fundado em 1969).

Seminário Nacional Poderes e Sociabilidades na História UFPE

A Linha “Poder Político e Movimentos Sociais”, da Pós-graduação em História da UFPE, convida alunos e professores de cursos de Graduação e Pós-Graduação a participarem do evento “Poderes e Sociabilidades na História”, a realizar-se no período de 3 a 5 de novembro próximo no CFCH/UFPE. Pede também a colaboração de todos na divulgação do referido evento.

Abaixo segue o site do encontro;

http://sites.google.com/site/poderessociabilidades

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA UFPE

CFCH – CENTRO DE FILOSOFIA EM CIÊNCIAS HUMANAS, 10º ANDAR

Av. Acadêmico Hélio Ramos, S/N.

Cidade Universitária – CEP:50670-901

E-mails: ppghufpe@ufpe.br & ppghufpe@yahoo.com.br´

Site: www.ppghistoria.ufpe.br

Fone (Fax): 2126-8292

REGIÃO SUL

curitiba/pr

I Festival Paranaense de Cantigas de Umbanda

Promoção e Realização:

Federação Umbandista do Estado do Paraná (FUEP) e Templos filiados e da RTV Umbanda.

Objetivos: divulgação da Umbanda por meio de sua musicalidade e incentivar a criação de novas canções umbandistas.

Dia: 20 de novembro de 2010

Hora: 20h

Local: auditório Salvador Ferrante (Guairinha):

rua XV de Novembro s/nº Centro, anexo ao Teatro Guaíra.

O vencedor do concurso, na categoria Melhor Música, estará classificado para participação no “Atabaque de Ouro 2011”, no Rio de Janeiro.

Grandes cantores de Umbanda do Brasil estão sendo convidados.

Premiação para três categorias, até o terceiro lugar:

Melhor Música

Melhor Intérprete

Melhor Curimbeiro

Regulamento e a ficha de inscrição em breve

Mais informações: Marcelo Fritz – jornalicapra@gmail.com

CANOAS/RS

Coletivo de Clubes lança 2° Concurso Negra Mais Brasil

Evento de lançamento ocorreu neste domingo (05/09) em Montenegro – RS. Concurso será no dia 04 de dezembro, na cidade de Canoas.

Reunindo autoridades, clubes sociais e entidades negras, o Baile do Coletivo de Sociedades Negras, marcou o lançamento oficial do 2° Concurso Negra Mais Brasil neste domingo (05/09) na sede da Associação Floresta Montenegrina, em Montenegro/RS. Com a presença da corte 2008 do concurso, os sete clubes sociais negros que integram o Coletivo anunciaram o cronograma de inscrições e a premiação das candidatas.

Negra Mais Brasil 2010

A segunda edição do Concurso Negra Mais Brasil promete movimentar os clubes sociais negros para a escolha das representantes que irão disputar o concurso, na cidade de Canoas – RS, no dia 04 de dezembro. A vencedora será contemplada com um computador notebook.

Conforme ressaltou a coordenadora do Coletivo de Sociedades Negras e presidenta da Sociedade Négo Futebol Clube, Isabel Landin, o Negra Mais Brasil é considerado um dos maiores concursos de beleza negra do Brasil. “Mas muito além da beleza das jovens candidatas, o Negra Mais Brasil demonstra a cultura e organização de nossos clubes e entidades negras”, salientou.

Em 2008, a vencedora do Negra Mais Brasil foi a representante da Associação Cultural e Beneficente Rui Barbosa, Pabline Correa, da cidade que receberá o evento neste ano. “Foi muito gratificante participar deste concurso e ter ficado com o título de Negra Mais Brasil durante estes dois anos. Aprendi muito sobre a cultura negra neste período e espero que a próxima eleita também aproveite estes belos momentos”, finalizou. A 1ª Princesa 2008, Débora Chimenes, também citou a satisfação de representar o seu clube de Montenegro na corte do concurso.

Inscrições para o concurso

O presidente da ACB Rui Barbosa, César Augusto, reforçou o convite especial para que todos os clubes sociais e entidades negras participem do Concurso, inscrevendo suas candidatas e levando suas torcidas para Canoas. O endereço da entidade é rua Farroupilha, 834, bairro Nossa Senhora das Graças, Canoas/RS.

As inscrições podem ser feitas até o dia 26/11/2010. Informações sobre o Concurso pelos telefones (51) 8445.8754 e 3476.3199 ou pelo e-mail: sociedaderuibarbosa@gmail.com e pelo site: www.resgaters.com.br

Abaixo, confira a Corte do concurso de 2008, realizado na cidade de Montenegro/RS:

Negra + Brasil Simpatia 2008 – SUELEN DE MEDEIROS (Sociedade Castro Alves)

2ª Princesa Negra + Brasil 2008 – ROBERTA DA ROSA (Sociedade Négo)

1ª Princesa Negra + Brasil 2008 – DEBORA CHIMENES (ACB Floresta Montenegrina)

Negra + Brasil 2008 -  PABLINE CORREA (Associação Rui Barbosa).

Baile do Coletivo

A programação do almoço-baile promovido pela Associação Floresta Montenegrina no domingo (05/09), contou com uma missa afro, com a presença do Coral do Cecune e do grupo de dança Senzala, e após um delicioso churrasco com saladas, ao som do músico Felipe, participante do programa Ídolos. O baile agitou os convidados no salão do clube com os shows de Cláudio Barulho e Banda e Marcelo Cachoeira.

Prestigiaram a festividade o presidente do Conselho de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Negra do RS (Codene), Victor Hugo Amaro, o representante do RS na Comissão Nacional de Clubes Sociais Negros, Luis Carlos de Oliveira, que também é vice presidente da Associação Floresta Montenegrina, além de candidatos à Assembleia Legislativa, presidentes e diretores dos clubes.

O Coletivo integra sete agremiações de diferentes cidades do Rio Grande do Sul em reuniões estratégicas e festividades: Associação Rui Barbosa e Sociedade Castro Alves (Canoas), Sociedade Négo Football Clube (Venâncio Aires), Associação Cultural e Beneficente Seis de Maio (Gravataí), Associação Floresta Montenegrina (Montenegro),  Sociedade Cultural Quilombo (Bento Gonçalves) e Sociedade Cruzeiro do Sul (Novo Hamburgo). Estas entidades estão inseridas no Movimento Nacional Clubista, que reúne mais de 100 clubes sociais negros em diversos estados do Brasil.

As próximas festas serão realizadas no mês de outubro, na Sociedade Cruzeiro do Sul, de Novo Hamburgo/RS e na Sociedade Castro Alves, de Canoas/RS. O calendário de festividades reúne diversos clubes sociais em grandes atividades de integração entre as diretorias e associados.

Lisandro Láercio Rangel Paim – jornalista/RS – MTE 12878

Presidente da Associação Cultural e Beneficente Seis de Maio – Gravataí/RS

Coordenador Região Metropolitana Movimento Clubes Sociais Negros/RS

Secretário Municipal de Comunicação substituto – Gravataí/RS

Contatos: (51) 81063486 / e-mail: lisandro_rpaim@yahoo.com.br

Xanxerê/SC

Índios de três etnias terão curso superior exclusivo na UFSC

Vestibular para licenciaturas será em 14 de novembro em Santa Catarina

Educação | 17/09/2010

Melissa Bulegon | melissa.bulegon@diario.com.br

O índio guarani Wanderley Cardoso Moreira já tem compromisso para o dia 14 de novembro. Nessa data, ele deve prestar vestibular para o curso de nível superior Licenciaturas dos Povos Indígenas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A iniciativa deve oferecer 120 vagas para as etnias Guarani, Kaingang e Xokleng. A nova graduação formará professores para lecionar nas escolas indígenas de Santa Catarina.

Morador da aldeia Yyn Moroti Whera, em Biguaçu, na Grande Florianópolis, Wanderley mostra preocupação em preservar a cultura de seu povo. Esse foi justamente o motivo que levou o estudante de Magistério a definir antes mesmo de ingressar na universidade qual a habilitação do curso que irá fazer.

— Escolhi Linguagens. Existem vários dialetos, e há poucos índios que falam ainda a língua nativa, e eu me preocupo em mantê-la viva. Fiquei sabendo do vestibular há umas três semanas, e para mim foi uma surpresa. Sempre tive o sonho de ingressar em uma universidade e, ao mesmo tempo, ajudar na preservação e divulgação da cultura indígena — conta.

As inscrições, gratuitas, começam no próximo dia 28 e podem ser feitas somente pelo site da universidade. Entre os requisitos, o candidato deverá informar a aldeia em que vive e o nome do cacique. São 40 vagas para cada um dos três povos. O curso tem como enfoque os territórios indígenas, principalmente as questões fundiária e ambiental no Sul da Mata Atlântica.

A prova será composta de 20 questões objetivas de Conhecimentos Gerais, 10 de Língua Portuguesa e uma redação em Língua Indígena. Entre os conteúdos, estão temas ligados diretamente às etnias, como organização política e cultural, legislação, história e territórios. O candidato poderá optar entre três cidades para prestar o vestibular: Xanxerê, José Boiteux e Florianópolis.

Aulas devem começar em fevereiro

Nos primeiros semestres, os estudantes devem receber formação para dar aulas na educação infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental das escolas dos três povos. Depois, optam por uma das três habilitações — Linguagens (língua indígena), Humanidades (direitos indígenas) e Conhecimento ambiental — que vão capacitá-los para trabalhar com os anos finais do Ensino Fundamental e com o Ensino Médio.

As aulas estão previstas para iniciar em fevereiro de 2011. O curso terá duração de quatro anos, distribuídos em oito semestres. O projeto é financiado pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (SED), Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

Pioneirismo

O primeiro curso superior específico para o povo indígena em Santa Catarina foi implantado no ano passado, na Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), no Oeste do Estado.

O estudante de Licenciatura Específica para a Formação de Professores Indígenas Kaingang pode escolher entre quatro áreas de capacitação: Matemática e Ciências da Natureza; Ciências Sociais; Pedagogia; e Línguas, Artes e Literaturas. O curso é dividido em 10 semestres e tem duração de cinco anos. Os professores podem atuar na educação infantil, Ensino Fundamental e em disciplinas específicas do Ensino Médio.

PROGRAME-SE

Vestibular para o curso de Licenciaturas dos Povos Indígenas do Sul da Mata Atlântica: Guarani, Kaingang, Xokleng

Habilitação em: Linguagens (Línguas Indígenas), Infância ( (formação inicial para docência na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental), Humanidades (sobre direitos indígenas), e Conhecimento Ambiental.

Local: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Quando: 14 de novembro

Horário da prova: 12h às 17h

Vagas: 120, sendo 40 para cada etnia

Locais: Xanxerê: E. E. B Joaquim Nabuco, José Boiteux: E. E. B. Clemente Pereira e Florianópolis: UFSC

Quem pode participar:* indígenas das etnias Guarani, Kaingang e Xokleng com Ensino Médio completo ou em conclusão em 2010

Inscrições: somente pelo site www.vestibular2011.ufsc.br/licenciaturasindigenas, no período de 28 de setembro a 27 de outubro de 2010

Informações: http://www.licenciaturaindigena.ufsc.br/ou pelo telefone (48) 3721-4879

REGIÃO SUDESTE

BELO HORIZONTE/MG

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE A PRESENÇA AFRICANA NO MUNDO MODERNO

OS ANGOLAS NO BRASIL, O BRASIL EM ANGOLA – ÁFRICA, EUROPA E AMÉRICA E A CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO

27 e 28 de setembro de 2010

Programação

Dia Hora Atividade
27/09 9:00 Cerimônia de abertura

Prof. Dr. Clélio Campolina Diniz – Reitor da UFMG

Prof. Dr. Agatângelo Eduardo – Pró- Reitor para Cooperação – Universidade Agostinho Neto

Prof. Dr. Ronaldo Tadeu Pena – Ex-Reitor – UFMG

Prof. Dr. Jorge Alexandre B. Neves – Diretor da FAFICH

Prof. Dr. Eduardo Viana Vargas – Diretor da Diretoria de Relações Internacionais

Prof. Dr. Luis Carlos Villalta – Chefe do Departamento de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro – Coordenadora do Curso de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio – Coordenadora do PPGH- UFMG

Prof. Dr. Eduardo França Paiva – Diretor do CEPAMM – UFMG

11:00 Conferência de Abertura

Bolsas de Mandinga: circuitos de prática, redes de identidades – negociando o Atlântico Negro

Prof.ª Dr.ª Vanicléia Silva Santos (UFMG)

Apresentação

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

15:00

às

17:00

Mesa-Redonda I

Africanos e europeus na construção do Mundo Moderno

Prof.ª Dr.ª. Lucilene Reginaldo (UEFS)

Prof.ª Dr.ª Marina de Mello e Souza (USP)

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

Mediador: Prof. Dr. Luiz Carlos Villalta (UFMG)

17:30

às

19:30

Mesa-Redonda II

África e América, o mundo atlântico e o comércio

Prof.ª Dr.ª Beatriz Gallotti Mamigonian (UFSC)

Prof. Dr. João Baptista Lukombo Nzatuzola (Universidade Agostinho Neto)

Prof. Dr. Roberto Guedes Ferreira (UFRRJ)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio (UFMG)

28/09 10:00

às 12:00

Mesa-Redonda III

Trânsitos de gentes e de culturas

Prof. Dr. Jaime Rodrigues (UNIFESP)

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

Prof.ª Dr.ª Júnia Ferreira Furtado (UFMG)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro (UFMG)

15:00

às

17:00

Mesa-Redonda IV:

Os Angolas no Brasil e o Brasil em Angola

Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares (UFBA)

Prof.ª Dr.ª Mônica Lima e Souza (UFRJ)

Prof. Dr. Tarcísio Rodrigues Botelho (UFMG)

Mediador: Prof.Dr. Douglas Cole Libby (UFMG)

17:30 Conferência de Encerramento

As pesquisas sobre o Tráfico de Escravos entre Angola e Brasil

Prof. Dr. Alexandre Vieira Ribeiro (UFF)

Apresentação

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

19:00 Encerramento

Local: FAFICH – Departamento de História da UFMG

Auditório Sônia Viegas (térreo)

Endereço: Av. Antônio Carlos, 6627. Pampulha – Belo Horizonte

Fone: 31. 3409-5002 (Funcionamento: 2ª a 6ª  – 14h às 17h)

Informações: angolasnobrasil@gmail.com

http://www.fafich.ufmg.br/ppghis/

PROMOÇÃO

Universidade Federal de Minas Gerais

Programa de Pós-graduação em História – FAFICH – UFMG

Departamento de História – FAFICH – UFMG

Centro de Estudos sobre a Presença Africana no Mundo Moderno – CEPAMM-UFMG

Grupo de Pesquisa Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização – séculos XV a XIX – UFMG/CNPq

Grupo de Pesquisa Elementos Materiais da Cultura e Patrimônio – UFMG/CNPq

Grupo de Estudos Escravidão & Mestiçagens (Simpósio Escravidão: sociedades, culturas, economia e trabalho)

APOIO

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas – FAFICH – UFMG

Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa – FUNDEP – UFMG

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais – FAPEMIG

Associação das Universidades de Língua Portuguesa – AULP

COMISSÃO ORGANIZADORA

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (Depto. História – FAFICH – CEPAMM)

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (Depto. História – FAFICH – CEPAMM)

Profa. Dra. Vanicléia Silva Santos (Depto História – FAFICH – CEPAMM)

Seminário sobre Formação de Professores indígenas

Colegas,

Enviamos para as coordenações das licenciaturas a carta–convite para a para participação no Seminário sobre Formação de Professores indígenas, a ser realizado na UFMG, nos dias 13/10 (abertura à noite), 14, 15 e 16/10/2010.

O seminário é uma parceria entre a SECAD e nosso Observatório de Educação Escolar Indígena.

A realização desse seminário é parte das ações que decidimos encaminhar em junho, em Brasília, no Seminário sobre Políticas de Ensino Superior e Povos Indígenas.

Pedimos que nos avisem quanto a possíveis falhas ou dificuldades de comunicação. O tempo é pouco e é importante que nos organizemos para tirar o máximo proveito das ocasiões em que estaremos reunidos.

Um abraço

Ana Gomes

OBSERVATÓRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA – OEEI

Seminário Patrimônio Cultural Imaterial – Desafios do Plano Nacional de Cultura

29 e 30 de setembro e 1º de outubro de 2010

Espaço Loyola – Escola Superior Dom Helder Câmara

Rua Álvares Maciel, 628, bairro Santa Efigênia, Belo Horizonte/MG

Interlocução entre pessoas, instituições e grupos com capacitação através de palestras gratuitas – aplicação teórica e prática, acerca dos processos de reconhecimento e salvaguarda de Patrimônios Culturais Imateriais.

Apresentação

O Seminário Patrimônio Cultural Imaterial é resultado de experiências e articulações da Rede Catitu Cultural com pessoas, grupos e instituições. Aprovado em dois concursos públicos de fomento às atividades culturais, um Estadual (Fundo Estadual de Cultura do Estado de Minas Gerais) e outro Nacional (Prêmio Areté do Ministério da Cultura do Brasil), além de ganhador do Prêmio “Meu Evento Tem Acesso”, do Instituto Votorantim. O Seminário Patrimônio Cultural Imaterial tem como principais objetivos:

  • Difundir informações e propiciar espaços de articulação entre Gestores Culturais, Instituições Públicas nos três níveis da Federação, sociedade civil, pesquisadores, acadêmicos, grupos e mestres dos conhecimentos tradicionais;
  • Apresentar trabalhos e estudos;
  • Discutir e propor diretrizes de políticas públicas e reformulação de legislação para o setor;
  • Levantar demandas dos mestres e das comunidades detentoras de saberes – guardiãs de patrimônios imateriais;
  • Sensibilizar a sociedade sobre a importância de se reconhecer, valorizar, promover e preservar os Patrimônios Culturais Imateriais e Conhecimentos Tradicionais;
  • Favorecer a criação e organização de instâncias amplas de articulação entre associações, especialmente através da constituição do Fórum de Patrimônio Cultural Imaterial.

Realizadores

A Rede Catitu Cultural é uma associação civil sem fins lucrativos que tem como foco de atuação mobilizar e empreender ações no campo da arte e da cultura; criar e desenvolver processos sistêmicos; incubar ideias, projetos e pontos de cultura, além de materializar bens e produtos culturais.

A Guiga Goulart Produções é uma empresa que assessora, elabora e gesta projetos artísticos e culturais. Seus projetos visam à transversalidade da cultura, especialmente com os setores social, educacional, turístico, ambiental e dos Direitos Humanos Culturais, priorizando a sustentabilidade e o protagonismo de pessoas e instituições.

Transmissão Simultânea

Haverá transmissão integral das palestras para mais de 50 pontos de cultura, possibilitando interação via web e amplo acesso e difusão do Seminário.

Público alvo

Gestores culturais, agentes públicos, sociedade civil, pesquisadores, estudantes, mestres e grupos guardiões de Patrimônios Culturais Imateriais.

O que é patrimônio imaterial?

Falar de patrimônio imaterial é reiterar o valor da tradição oral na transmissão e na recriação dos processos culturais. É, sem dúvida, buscar os fios que tecem as relações afetivas entre os indivíduos. E ver por entre a materialidade das diversas expressões culturais a imaterialidade de um bem cultural. Os bens de natureza imaterial por estarem presentes no cotidiano da vida social ou enraizados nas práticas humanas devem ser apreendidos pelo sentido simbólico que guardam. Concerne, nessa medida, que para entender o conceito de patrimônio imaterial é salutar compreender a realidade social e cultural como heterogênea, contraditória e dinâmica.

Como exemplo desses bens intangíveis já reconhecidos pelo Estado temos:

  • A Feira de Caruaru;
  • Frevo;
  • Tambor de crioula;
  • Modo artesanal de fazer queijo de Minas;
  • Capoeira;
  • Ofício das Baianas de Acarajé;
  • Ofício das Paneleiras de Goiabeiras;
  • Kusiwa- Linguagem e Arte Gráfica Wajãpi;
  • Círio de Nossa Senhora de Nazaré;
  • Samba de Roda do Recôncavo Baiano;
  • Modo de Fazer Viola-de-Cocho;
  • Jongo de Sudeste;
  • Samba do Rio de Janeiro;
  • Cachoeira de Iauaretê- Lugar sagrado dos povos indígenas dos Rios Uaupés e Papuri;

Esses bens guardam em si um valor identitário para os grupos que os produzem e configuram-se como referências para aqueles que dão sentido e significado a essas práticas culturais “vivas” no cotidiano. As dimensões sociais, econômicas, políticas, dentre outras, estão, portanto, entrelaçadas nas expressões culturais de natureza imaterial, uma vez que se configuram enquanto processos culturais vivos e capazes de demarcar as identidades sociais.

No Brasil, o primeiro marco legal sobre o patrimônio cultural imaterial foi o decreto nº 3551 de 04 e agosto de 2000, que culminou com a criação do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e com a instituição do registro dos bens de natureza imaterial.

A Constituição Federal de 1988, no artigo 216, estabeleceu como patrimônios culturais imateriais brasileiros: os saberes, os modos de fazer tradicionais, as celebrações, festas, rituais, as expressões artísticas e lúdicas e os lugares onde se produzem práticas culturais, dentre eles mercados, feiras, santuários, praças.

Como os bens de natureza imaterial são produtos da dinâmica cultural estão sempre em transformação e não podem, como os bens de natureza material, serem “congelados” no tempo. O fim de uma expressão cultural se deflagra quando a pratica ou saber não encontra ressonância em outros corpos. Sendo assim, para o ciclo não findar, é fundamental que as novas gerações ressignifiquem o que lhes foi oferecido.

Nesse sentido, a resolução nº 1 de 03 de agosto de 2006 do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, ratifica o caráter mutável dos bens culturais de natureza imaterial e ressalta o papel desempenhado por indivíduos e grupos na promoção e recriação dessas práticas culturais. Os bens imateriais nessa resolução são:

criações culturais de caráter dinâmico e processual, fundadas na tradição e manifestadas por indivíduos ou grupos de indivíduos como expressão de sua identidade cultural e social” e ainda “toma-se tradição no seu sentido etimológico de ‘dizer através do tempo’, significando práticas produtivas, rituais e simbólicas que são constantemente reiteradas, transformadas e atualizadas, mantendo, para o grupo, um vínculo do presente como passado [2]

Através de procedimentos técnicos, o Estado pode inventariar bens de natureza imaterial e registrá-los em livros conhecidos por: Livro de Registro das Celebrações; Livro do Registro dos Saberes; Livro de Registro das Formas de Expressões; Livro de Registro de Lugares.

Dessa forma, o Estado, conforme determinações legais existente, deve promover políticas públicas de valorização e fruição de praticas e saberes tradicionais.

O registro não fornece atestado de perenidade, este só se legitima e perpetua-se na satisfação impressa nos olhos das pessoas que praticam as expressões culturais de natureza imaterial. Os bens de natureza imaterial vivem dentro do homem, só estes têm a força de reiterar um ritual. Enquanto os saberes e manifestações estiverem vivos da memória e no coração, podem ser ressignificados e apropriados por outras pessoas.

Expo Brasil Desenvolvimento Local 2010

Estamos diante de um processo que terá seu marco ao final do presente ano: a construção da Expo Brasil Desenvolvimento Local 2010. Será a nona edição deste grande evento itinerante, a primeira a ocorrer na cidade do Rio de Janeiro, com data e local já confirmados: 1 a 3 de dezembro de 2010, no Centro de Convenções SulAmérica.

Após o êxito das oito primeiras edições, a Expo Brasil Desenvolvimento Local já se consagrou no calendário nacional como uma oportunidade única de encontro de todos os interessados em apresentar, conhecer, debater e impulsionar iniciativas de desenvolvimento local no Brasil, constituindo-se no maior evento existente sobre o tema. E, a cada ano, consolida-se como referência no nosso diálogo internacional em torno de novas alternativas de desenvolvimento.

A Expo Brasil 2010 tem como meta um público presente de 3 mil pessoas ao longo de três dias (além de todos que terão amplo acesso e interação com o evento, via internet), incluindo participantes de todas as regiões do Brasil e convidados de outros países. O evento – que representará o ponto culminante de um processo amplo de mobilização e divulgação – inclui uma feira de projetos, palestras, painéis temáticos, apresentação e debate de iniciativas concretas, oficinas e minicursos.

O eixo geral da programação é a abordagem territorial do desenvolvimento – territórios em rede – como referência de inclusão produtiva, inovação e sustentabilidade. O evento será uma oportunidade especial de visibilidade de iniciativas em diferentes escalas territoriais: comunidades, bairros, municípios e microrregiões. Entre os temas propostos incluem-se: tecnologias sociais; fomento à economia solidária e às micro e pequenas empresas; economia verde (o meio ambiente como ativo do desenvolvimento); cidade criativa & economia criativa (a cultura como ativo do desenvolvimento); juventude e periferia.

Na sua trajetória, a Expo Brasil vem contando com a participação de agências nacionais e regionais, ministérios, governos estaduais, prefeituras e centenas de entidades da sociedade civil, além de organismos internacionais, fundações, universidades e redes e fóruns de todo o país. Mas sua principal força está na participação ativa de agentes locais, atores da base da sociedade que promovem, em seus territórios, o cotidiano das iniciativas de desenvolvimento socialmente includentes e ambientalmente sustentáveis. Esta característica estará também presente na edição de 2010.

Sobretudo, avizinha-se a chance de construir um evento revigorado e inovador, com uma intensa ação comunicativa capaz de gerar, ao mesmo tempo, surpresa, encantamento, consistência de conteúdos e vitalidade transformadora. Temos à frente a oportunidade e este desafio.

PAMPULHA /BH

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE A PRESENÇA AFRICANA NO MUNDO MODERNO

Os Angolas no Brasil, O Brasil em Angola – África, Europa E América e A Construção do Mundo Moderno

Data: 27 e 28 de setembro de 2010

Programação

Dia Hora Atividade
27/09 9:00 Cerimônia de abertura

Prof. Dr. Clélio Campolina Diniz – Reitor da UFMG

Prof. Dr. Agatângelo Eduardo – Pró- Reitor para Cooperação -Universidade Agostinho Neto

Prof. Dr. Ronaldo Tadeu Pena – Ex-Reitor – UFMG

Prof. Dr. Jorge Alexandre B. Neves – Diretor da FAFICH

Prof. Dr. Eduardo Viana Vargas – Diretor da Diretoria de Relações Internacionais

Prof. Dr. Luis Carlos Villalta – Chefe do Departamento de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro – Coordenadora do Curso de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio – Coordenadora do PPGH- UFMG

Prof. Dr. Eduardo França Paiva – Diretor do CEPAMM – UFMG

11:00 Conferência de Abertura

Bolsas de Mandinga: circuitos de prática, redes de identidades – negociando o Atlântico Negro

Prof.ª Dr.ª Vanicléia Silva Santos (UFMG)

Apresentação

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

15:00

às

17:00

Mesa-Redonda I

Africanos e europeus na construção do Mundo Moderno

Prof.ª Dr.ª. Lucilene Reginaldo (UEFS)

Prof.ª Dr.ª Marina de Mello e Souza (USP)

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

Mediador: Prof. Dr. Luiz Carlos Villalta (UFMG)

17:30

às

19:30

Mesa-Redonda II

África e América, o mundo atlântico e o comércio

Prof.ª Dr.ª Beatriz Gallotti Mamigonian (UFSC)

Prof. Dr. João Baptista Lukombo Nzatuzola (Universidade Agostinho Neto)

Prof. Dr. Roberto Guedes Ferreira (UFRRJ)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio (UFMG)

28/09 10:00

às   12:00

Mesa-Redonda III

Trânsitos de gentes e de culturas

Prof. Dr. Jaime Rodrigues (UNIFESP)

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

Prof.ª Dr.ª Júnia Ferreira Furtado (UFMG)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro (UFMG) Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

15:00

às

17:00

Mesa-Redonda IV:

Os Angolas no Brasil e o Brasil em Angola

Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares (UFBA)

Prof.ª Dr.ª Mônica Lima e Souza (UFRJ)

Prof. Dr. Tarcísio Rodrigues Botelho (UFMG)

Mediador: Prof.Dr. Douglas Cole Libby (UFMG)

17:30 Conferência de Encerramento

As pesquisas sobre o Tráfico de Escravos entre Angola e Brasil
Prof. Dr. Alexandre Vieira Ribeiro (UFF)

Apresentação

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

19:00 Encerramento

Local: FAFICH – Departamento de História da UFMG – Auditório Sônia Viegas (térreo)

Endereço: Av. Antônio Carlos, 6627 – Pampulha – Belo Horizonte

Fone: 31. 3409-5002 (Funcionamento: 2ª a 6ª – 14h às 17h)

Informações: angolasnobrasil@gmail.com

http://www.fafich.ufmg.br/ppghis/

Promoção

Universidade Federal de Minas Gerais
Programa de Pós-graduação em História – FAFICH – UFMG
Departamento de História – FAFICH – UFMG
Centro de Estudos sobre a Presença Africana no Mundo Moderno-CEPAMM-UFMG
Grupo de Pesquisa Escravidão, mestiçagem, trânsito de culturas e globalização – séculos XV a XIX – UFMG/CNPq
Grupo de Pesquisa Elementos Materiais da Cultura e Patrimônio –UFMG/CNPq
Grupo de Estudos Escravidão & Mestiçagens (Simpósio Escravidão: sociedades, culturas, economia e trabalho)

Apoio

Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas-FAFICH – UFMG
Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa-FUNDEP – UFMG
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais-FAPEMIG
Associação das Universidades de Língua Portuguesa-AULP

Comissão Organizadora

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (Dept. História – FAFICH – CEPAMM)
Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (Dept. História – FAFICH – CEPAMM)
Profa. Dra. Vanicléia Silva Santos (Dept. História – FAFICH – CEPAMM)

Rio de Janeiro

Diásporas Africanas na América do Sul

fotos de Januário Garcia no SESC Tijuca

http://pic.geocities.com/us/i/geo/ao/hr1.gif

Diásporas Africanas na América do Sul: Uma Ponte sobre o Atlântico

Fotografias de Januário Garcia

Vernissage dia 10 de setembro

6ª feira – às 19h

Abertura da Exposição com o grupo Co-Plas

Dupla musical – poética – percussiva, composta por Jose Maria Castañeda e Edison Mego, músicos que cultivam a tradição musical afro-peruana e que, no Brasil, difundem os estilos musicais do litoral peruano no grupo Negro Mendes.

A exposição continua aberta à visitação de 11 de setembro a 23 de outubro de 3ª a sábado / das 12h às 17h / Grátis e livre

SESC Tijuca

Rua Barão de Mesquita, 539

Inaugurada na embaixada da Nigéria em Abuja, essa exposição fez parte das ações comemorativos da Cúpula de Países da África e da América do Sul (AFRAS), em 2008.

A exposição traz metáforas fotográficas que demonstram a relação entre a África e a América do Sul, um registro da presença atual dos afrodescendentes no continente latino americano e, ao mesmo tempo, do legado cultural das matrizes africanas na região. Este trabalho-exposição é fruto da integração de Januário Garcia com o antropólogo <http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2006/11/061127_expodiasporaafricafn.shtml> Júlio César de Souza Tavares – UFF-RJ – que viajaram por sete países da América do Sul, em 2006, registrando a permanência e a herança negro-africana na região.

Januário Garcia: fotógrafo negro que, entre tantos trabalhos, registrou os últimos 25 anos do movimento negro no Rio de Janeiro, em publicação dedicada.

SESC Tijuca: Rua Barão de Mesquita, 539 / (21) 3238-2100/Fax: (21) 3238-2428

como chegar

Metrô – Linha 1 – Direção: Saens Peña – Chegada São Francisco Xavier

Ônibus – 607 – Cascadura – Rio Comprido (Via Santa Alexandrina e Estácio –

Direção: Cascadura – Partida Avenida Heitor Beltrão próximo ao número 271 –

Chegada Rua Barão de Mesquita próximo ao número 474

DIÁSPORAS AFRICANAS NA AMÉRICA DO SUL – UMA PONTE SOBRE O ATLÂNTICO

Januario Garcia – Lenis del Carmem – Vendedora de cocada palenque de San Basilio/Colombia

agendamento de turmas pelos telefones: 3238-2140 e 3238-2076

EXPOSIÇÃO

10/9 a 23/10

DIÁSPORAS AFRICANAS NA AMÉRICA LATINA: UMA PONTE PARA O ATLÂNTICO – FOTOS DE JANUARIO GARCIA

Inaugurada na embaixada da Nigéria em Abuja e, ainda, inédita no Brasil, essa exposição fez parte das ações comemorativos da Cúpula de Países da África e da América do Sul (AFRAS), realizada em dezembro de 2008. De Januário Garcia – fotógrafo negro que, entre tantos trabalhos, registrou os últimos 25 anos do movimento negro no Rio de Janeiro -, a exposição traz “metáforas fotográficas” que demonstram a relação entre a África e a América do Sul, onde se encontra a maior população afro do mundo, de quatro séculos de imigração forçada. São, finalmente, um registro da presença atual dos afro-descendentes no continente latino americano e, ao mesmo tempo, do legado cultural das matrizes africanas no Brasil, Colômbia, Argentina, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. De terça a sábado das 12 às 17h. Classificação: Livre. Local: Galeria. Grátis.

CINEMA

MOSTRA CINE COMO LE GUSTA – DIÁSPORAS AFRICANAS NA AMÉRICA DO SUL

Compondo a programação paralela da exposição de fotografias de Januário Garcia que leva o mesmo nome, a seleção de filmes realizada pela ONG Encontros Latino Americanos refletem a condição do negro, hoje, na América Latina. Todos os sábados, às 15h.

4/set, sábado, 15h

7 e 8/out, quinta e sexta-feira, 19h (sessões para instituições)

SUA MAJESTADE O DELEGADO. Dir. Clementino Júnior, Brasil, 2007. 10 min.

Um documentário narrado pelo próprio Delegado, Hésio Laurindo da Silva, e pontuado por um samba-enredo composto especialmente para esta obra, que registra em vida a arte, o estilo e a autenticidade deste eterno mestre-sala.

ORO NEGRO. Dir. Bruno Serrano. Chile, 2004. Dur. 23 min.

No vale de Azapa vivem os descendentes de africanos que foram levados ao Chile como escravos, até o início do século XIX. O esforço dos seus descendentes na recuperação de suas tradições para se reconhecerem e serem reconhecidos em um país que está começando a tomar consciência de sua interculturalidade. SON DE LOS DIABLOS. Dir. Phillip Johnston. Peru/Brasil, 2006. Dur.56 min.

Em 2004 os peruanos celebraram 150 anos da abolição da escravatura. Neste ano o carnaval negro Son de Los Diablos, que existe há mais de 300 anos, voltou às ruas do Rímac após 16 anos de ausência.

11/set, 15h

14 e 15/out, quinta e sexta-feira, 19h (sessões para instituições)

MOVIMENTO AFRO-CULTURAL. Dir.Coletiva Movimiento Afrocultural. Argentina, 2006. Dur.25min.

O documentário é uma reivindicação pelo reconhecimento da comunidade afrodescendente na sociedade argentina. O tambor e o berimbau são símbolos de rebeldia e resistência à negação a que foram submetidos os negros no Rio de La Plata.

UMA NOITE COMA FAMÍLIA ZEVALLOS. Dir. Phillip Johnston. Peru/Brasil, 2006. 25 min.

Em Villa El Salvador, na periferia de Lima, a Familia Zevallos transmite suas tradições afro para as novas gerações, criando uma possibilidade de desenvolvimento artistico e profissional, além de afirmar sua identidade cultural.

MANO BROU DO CANTAGALO. Dir. Mário Silva. Brasil, 2008. Dur.26 min.

O filme é uma tentativa de apreensão da essência do processo criativo do artista, incorporando o universo sonoro e humano que o envolve.

18/set, sábado, 15h

21 e 22/out, quinta e sexta-feira, 19h (sessões para instituições)

IDENTIDADE CULTURAL, UM DIREITO DE TODOS. Dir. Valéria Catoira, Bolívia, 2006. Dur. 12 min.

Localizada a 96km de La Paz, Bolívia, Tocaña é conhecida como a comunidade das danças e ainda possui um ar de outros tempos. Junto com Mururata, Chijchipa e Santa Ana, Tocaña se apresenta como uma das principais comunidades afro-bolivianas.

NEGRO CHÉ. Dir. Alberto Masliah. Argentina, 2005. Dur. 88 min.

Através da organização de um reencontro na velha Casa Suiça, onde a comunidade afroargentina se reunia para festejar o carnaval a cada ano, começamos a conhecer a luta que hoje em dia devem empreender para sobreviver ao isolamento desse grupo na Argentina.

25/set, sábado, 15h

28 e 29/10, quinta e sexta-feira, 19h (sessões para instituições)

A DÉCIMA. Prod. Centro Cultural Afro Ecuatoriano, 1994. Dur. 10 min.

Depoimentos e declamações de alguns dos decimistas mais importantes do povo esmeraldenho, na fronteira entre o Equador e a Colômbia.

ATAJO DE NEGRITOS. Dir Phillip Johnston. Peru/Brasil, 2006. Dur. 82 min.

Gravado em El Carmen (Chincha/Peru), o documentário registra a tradição religiosa de afroperuanos, num ritual de zapateo em homenagem ao menino Jesus.

CICLO DE DEBATES

6, 13, 20, 27/10, quartas-feiras, 18h30

IMAGENS DA AFROLATINIDADE – CULTURA EM MOVIMENTO

Exibições seguidas de debates abertas ao público em geral e voltadas ao público jovem e adulto das escolas públicas noturnas do entorno.

Mediação_PHILIP JOHNSTON

Debatedores_MÁRIO SILVA – CLEMENTINO JR. – ANTONIO MOLINA – MARÍA CELINA IBAZETA

Agendamento de turmas pelos telefones: 3238-2140 e 3238-2076

Kelly Tzung

Estagiária Cultura

SESC Rio – Unidade Tijuca

Rua Barão de Mesquita, 539. Tijuca.

Tel.: (21) 3238-2076

E-mail: kellytzung@sescrio.org.br

Flávia Salazar Salgado

sócio cultural SESC Tijuca

flaviasalgado@sescrio.org.br

t. 3238 2076

Visite o blog do projeto GERINGONÇA:

http://projetogeringonca.blogspot.com/

Seminário Internacional Os Angolas no Brasil, o Brasil em Angola – África, Europa e América e a Construção do Mundo Moderno e do Encontro de Grupos de Pesquisa: a África em Rede

Prezado colega, convidamos-lhe a conhecer o site do Seminário Internacional Sobre a Presença Africana no Mundo Moderno – Os Angolas no Brasil, o Brasil em Angola – África, Europa e América e a Construção do Mundo Moderno e do Encontro de Grupos de Pesquisa: a África em Rede a se realizarem na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas-FAFICH da Universidade Federal de Minas Gerais-UFMG, entre os dias 27 e 29 de setembro de 2010. A programação completa, assim como as informações sobre inscrições de estudantes e de não-estudantes encontram-se à sua disposição em http://www.fafich.ufmg.br/ppghis/eventos2.html – Contando com sua participação, solicitamos-lhe ampla divulgação e aproveitamos para encaminhar-lhe o nosso cordial abraço.

Prof. Eduardo França Paiva

Prof. José Newton Coelho Meneses

Profa. Vanicléia Silva Santos

(Comissão Organizadora)

SEMINÁRIO INTERNACIONAL SOBRE A PRESENÇA AFRICANA NO MUNDO MODERNO

OS ANGOLAS NO BRASIL, O BRASIL EM ANGOLA – ÁFRICA, EUROPA E AMÉRICA E A CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO

27 e 28 de setembro de 2010

Programação

Dia 27/09

9:00

Cerimônia de abertura

Prof. Dr. Clélio Campolina Diniz – Reitor da UFMG

Prof. Dr. Agatângelo Joaquim dos Santos Eduardo – Pró- Reitor para Cooperação -Universidade Agostinho Neto

Prof. Dr. Ronaldo Tadeu Pena – Ex-Reitor – UFMG

Prof. Dr. Jorge Alexandre B. Neves – Diretor da FAFICH

Prof. Dr. Eduardo Viana Vargas – Diretor da Diretoria de Relações Internacionais

Prof. Dr. Luis Carlos Villalta – Chefe do Departamento de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro – Coordenadora do Curso de História – UFMG

Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio – Coordenadora do PPGH- UFMG

Prof. Dr. Eduardo França Paiva – Diretor do CEPAMM – UFMG

11:00

Conferência de Abertura

Bolsas de Mandinga: circuitos de prática e redes de identidades no Atlântico Negro

Prof.ª Dr.ª Vanicléia Silva Santos (UFMG)

Apresentação

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

15:00 às 17:00

Mesa-Redonda I

Africanos e europeus na construção do Mundo Moderno

Prof. Dr. Antonio de Almeida Mendes (CRHIA-Nantes)

Prof.ª Dr.ª. Lucilene Reginaldo (UEFS)

Prof.ª Dr.ª Marina de Mello e Souza (USP)

Mediador: Prof. Dr. Luiz Carlos Villalta (UFMG)

17:30 às 19:30

Mesa-Redonda II

África e América, o mundo atlântico e o comércio

Prof.ª Dr.ª Beatriz Gallotti Mamigonian (UFSC)

Prof. Dr. João Baptista Lukombo Nzatuzola (Universidade Agostinho Neto)

Prof. Dr. Roberto Guedes Ferreira (UFRRJ)

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Kátia Gerab Baggio (UFMG)

28/09

10:00 às 12:00

Mesa-Redonda III

Trânsitos de gentes e de culturas

Prof. Dr. Jaime Rodrigues (UNIFESP)

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

Prof.ª Dr.ª Júnia Ferreira Furtado (UFMG)

Mediadora: Prof.ª Dr.ª Adriana Romeiro (UFMG) Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email

15:00 às 17:00

Mesa-Redonda IV:

Os Angolas no Brasil e o Brasil em Angola

Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares (UFBA)

Prof.ª Dr.ª Mônica Lima e Souza (UFRJ)

Prof. Dr. Tarcísio Rodrigues Botelho (UFMG)

Mediador: Prof.Dr. Douglas Cole Libby (UFMG)

17:30

Conferência de Encerramento

As pesquisas sobre o Tráfico de Escravos entre Angola e Brasil

Prof. Dr. Alexandre Vieira Ribeiro (UFF)

Apresentação

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

19:00

Encerramento

Local: FAFICH – Departamento de História da UFMG

Auditório Sônia Viegas (térreo)

Endereço: Av. Antônio Carlos, 6627. Pampulha – Belo Horizonte

Fone: 31. 3409-5002 (Funcionamento: 2ª a 6ª – 14h as 17h)

Informações: angolasnobrasil@gmail.com

Av. Antônio Carlos, 6627

Pampulha – Belo Horizonte

Inscrições para participação: serão realizadas pelos interessados no 1º dia do Seminário na secretária do evento – sala 1035

ENCONTRO DE GRUPOS DE PESQUISA: A ÁFRICA EM REDE

29 de setembro de 2010

Programação

10:00 as 12:00

Encontro de Grupos De Pesquisa: A África em Rede

Abertura

Prof. Eduardo França Paiva (UFMG)

Leitura do Documento “Relatório da Comissão de Mapeamento das Demandas Presentes e Futuras da Área de História no Brasil”, apresentado ao Fórum de coordenadores de Pós-Graduação em História/ANPUH,

15:00

Pesquisadores/Grupos de Pesquisa

Apresentação de propostas

Prof. Dr. Antonio Almeida Mendes

CRHIA-Nantes (Centre de recherches en Histoire Internationale et Atlantique) e CIRESC (Centre International de Recherche sur les Esclavages)-Paris.

Prof. Dr. Alexandre Vieira Ribeiro (UFF)

Grupo de Estudos Africanos

Prof.ª Dr.ª Beatriz Gallotti Mamigonian (UFSC)

A experiência dos africanos e seus descendentes no Brasil

Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares (UFRJ)

Angola beira Bahia: africanos da nação Angola na cidade de Salvador da Bahia no Século XVIIII. 1700 1799.

Prof. Dr. Douglas Cole Libby (UFMG)

População e Economia de Minas Gerais

Prof. Dr. Eduardo França Paiva (UFMG)

Centro de Estudos sobre a Presença Africana no Mundo Moderno – CEPAMM.

Escravidão, Mestiçagem, Trânsito de Culturas e Globalização – Séculos XV a XIX

Prof. Dr. Jaime Rodrigues (UNIFESP)

A experiência dos africanos e seus descendentes no Brasil – UFRGS

Formação das nações, identidades nacionais e nacionalismos nos séc. XIX e XX – UNIFESP

Prof. Dr. José Newton Coelho Meneses (UFMG)

Elementos Materiais da Cultura e Patrimônio

Prof.ª Dr.ª Júnia Ferreira Furtado (UFMG)

História de Minas e do Brasil – Espaço, Cultura e Sociedade

Prof.ª Dr.ª Lucilene Reginaldo (UEFS)

Escravidão e Invenção da Liberdade – UFBA

Prof.ª Dr.ª Marina de Mello e Souza (USP)

Dimensões do Império português; História da África

Prof.ª Dr.ª Mônica Lima e Souza (UFRJ)

Laboratório de Etnografia e Estudos em Comunicação, Cultura e Cognição – LEECCC/UFF

Prof. Dr. Roberto Guedes Ferreira (UFRRJ)

Antigo Regime nos Trópicos: Centro de Estudos sobre a Dinâmica Imperial no Mundo Português, séculos XVI-XIX.

Identidades, Hierarquias e Mobilidade na América Ibérica.

17h:30

Encerramento

RIO DE JANEIRO/RJ

RCA e Museu do Índio organizam reunião sobre gestão de patrimônios culturais indígenas

A Rede de Cooperação Alternativa RCA-Brasil está organizando em parceria com o Museu do Índio, da Funai, um encontro temático sobre a gestão de patrimônios culturais indígenas. O encontro, que deverá ocorrer de 26 a 30 de setembro, nas dependências do Museu do Índio, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro, deverá reunir cerca de 35 representantes indígenas e indigenistas das organizações que compõem a RCA e técnicos do Museu do Índio. Serão apresentadas e discutidas as experiências de gestão e valorização de patrimônios culturais dos povos do Rio Negro e Vale do Javari (na Amazônia), Yanomami (Roraima), Xingu (Mato Grosso), Timbira (Maranhão), Tiriyó, Kaxuyana e Wajãpi (no Amapá) além de iniciativas conduzidas no Acre. A intenção é sistematizar boas práticas de gestão cultural e iniciativas de valorização cultural, que vem sendo desenvolvidas nos últimos anos, identificando pontos fortes e fragilidades que possam ser enfrentadas. Experiências com museus e centros culturais indígenas, além de programas de formação de pesquisadores indígenas que se voltam para o seu próprio universo cultural para documentar, sistematizar e difundir conhecimentos estarão na pauta do Encontro. Os participantes conhecerão, ainda, as dependências do Museu do Índio e o trabalho realizado na instituição de promoção das culturas indígenas no Brasil. Espera-se que, ao término do mesmo, os participantes proponham um documento com sugestões para as políticas públicas voltadas às culturas indígenas.Postado por RCA Brasil

http://rcabrasil.blogspot.com/

Movimento Negro: I P C N em Tempos de Revitalização

Estimada/o,

Em que pese algumas críticas nossas à parte do projeto de revitalização da área do Porto do Rio de Janeiro, especificamente com referência à derrubada do elevado da Avenida Perimetral (Elevado Juscelino Kubitschek), o fato é que a cidade do Rio de Janeiro necessita de revisão e reparos permanentes; e, neste momento, urgentes!

Mormente a área do Porto do Rio de Janeiro que é lugar principal da entrada de escravizados para todo o País: homens, mulheres, crianças e idosos “desfamiliados”, “despatriados”, deportados de suas terras de origem; abduzidos!

E mais especialmente ainda se observamos que aquela área não tem qualquer referência “ocidental” do povo ancestral: estátua, monumento; edificação.

Por já terem constatando isso há muito tempo e buscando a oportunidade do momento, foi que Pai Renato d´Obaluaiê, representando um movimento que circulou para abaixo-assinado em concreto e de modo virtual, entregou, no primeiro dia do mês de agosto, o documento que requer a construção de um “Monumento à Ancestralidade Negra” e do “Memorial dos Saberes Milenares da Diáspora Africana”, ao Governador Sérgio Cabral e ao Presidente da ALERJ, Deputado Jorge Picianni. Na ocasião, entregou, igualmente, a Carta do Rio de Janeiro 2010 de “Ações Afirmativas para a População Negra, emanadas das Casas de Axé”. (1)

Quando tratamos de revitalização, logo lembramos do recente incêndio que afetou a Casa Brasil Nigéria / Instituto Palmares de Direitos Humanos – IPDH e que provocou a destruição da memória material do IPDH e também a memória-museu-história-projeto da Cia Rubens Barbot Teatro de Dança.

Tratamos aqui da revitalização de “coisas” nossas! E por que “coisas” nossas são esquecidas?

Você está convidado a participar, no próximo domingo, dia 26 de setembro, a partir das 14 horas, de uma Feijoada que tem a intenção que agregar para este Movimento Negro de Revitalização da História de um marco que constitui uma parte crucial da Memória da Luta Negra no Rio de Janeiro e no País.

O local da Feijoada é na Av. Mem de Sá, nº 208, Bairro Cruz Vermelha, Rio de Janeiro – RJ

Caso não possa comparecer para saber mais detalhes, você pode contribuir adquirindo um convite simbólico demonstrando sua Presença e Solidariedade.

Todas/os que têm intenção de comparecer, por gentileza, faça sua contribuição antecipada.

Para presentes e ausentes a conta é em nome de “Cad – Recuperação do IPCN”, Banco do Brasil, agência 3260-3, conta corrente nº 9297-5. Se for fazer DOC pela internet, você precisará do número do CNPJ. Por gentileza, não hesite em perguntar ao IPCN, pelo e-mail ipcn_ipcn@yahoo.com.br. O valor da contribuição para este evento e para demonstrar seu engajamento é de R$ 20,00.

Para presentes e ausentes e para todas as contribuições, por favor, não esqueça de informar pelo mesmo endereço de e-mail ipcn_ipcn@yahoo.com.br. Você saberá e participará dos desdobramentos.

Até agora Nossa História tem sido feita de garra e resistência.

Daqui para Frente, garra e resistência dependem de nós para que a mesma Nossa História permaneça.

Axé!

Ana Maria Felippe

Coordenadora de Memorial Lélia Gonzalez

(1) – Os documentos seguem sendo entregues a outras autoridades políticas.

Web Site – www.leliagonzalez.org.br

Ações Afirmativas – http://afirmativas.blogspot.com

Informa – http://leliagonzalez-informa.blogspot.com

Continente África – http://continente-africa.blogspot.com

Esse Informativo de Memória Lélia Gonzalez é enviado a assinantes e à comunidade que luta contra toda forma de racismo e xenofobia. Caso não queira receber mais o Informativo, escreva para podermulher@gmail.com, com o assunto “REMOVER”.

Encontros pró-capoeira

Fonte: IPHAN

Em mais uma etapa dos trabalhos pelo fortalecimento das práticas da capoeira como um bem cultural brasileiro, o Grupo de Trabalho Pró-Capoeira (GTPC) dá início a uma série de encontros que têm como objetivo a sistematização de demandas e ações para o Programa Nacional de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira – Pró-Capoeira.

Pessoas e instituições representativas desta prática na Região Nordeste estarão reunidas em Recife (PE), entre os dias 8 e 10 de setembro, para o primeiro encontro. As regiões Norte e Centro-Oeste e Sul e Sudeste farão seus encontros em Brasília, de 28 a 30 de setembro,e no Rio de Janeiro, de 27 a 29 de outubro.

O GTPC é formado por representantes da Fundação Cultural Palmares (FCP), das secretarias da Identidade e da Diversidade Cultural (SID) e de Políticas Culturais (PC) do Ministério da Cultura (MinC), sendo coordenado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Como uma das prioridades do MinC é o estabelecimento de políticas públicas que afirmem a capoeira como saber, arte, tradição cultural e instrumento pedagógico de desenvolvimento físico e social, diversas ações de reconhecimento e incentivo a este bem cultural têm sido empreendidas, entre elas, o lançamento do Edital Capoeira Viva e o estabelecimento de pontos de cultura voltados para a prática em vários estados brasileiros.

Apesar desse conjunto de ações, ainda existe a necessidade de uma atuação mais ampla e integrada. Nesse sentido, o Programa de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira tem como objetivo geral promover a implementação de uma política participativa com vistas à promoção das diversas formas de produção e reprodução deste bem cultural.

BEM IMATERIAL – Em outubro de 2008, a Roda de Capoeira e o Ofício dos Mestres de Capoeira foram reconhecidos como Patrimônio Cultural do Brasil. A Roda de Capoeira foi registrada como Bem Cultural de natureza Imaterial no Livro das Formas de Expressão.

Elemento estruturante da capoeira, a Roda é o espaço-tempo de expressão simultânea do canto, do toque dos instrumentos, da dança, dos golpes, do jogo, da brincadeira, dos símbolos e dos rituais de herança africana, recriados no Brasil. Profundamente ritualizada, congrega cantigas e movimentos que expressam uma visão de mundo, uma hierarquia e um código de ética que são compartilhados pelo grupo.

Já o Ofício dos Mestres de Capoeira foi registrado como Bem Cultural de natureza imaterial no Livro dos Saberes. O conhecimento produzido para a instrução do processo permitiu identificar os principais aspectos que constituem a capoeira como prática cultural desenvolvida no Brasil, como o saber transmitido pelos mestres formados na tradição da capoeira.

O Ofício dos Mestres de Capoeira é exercido por aqueles detentores dos conhecimentos tradicionais desta manifestação e responsáveis pela transmissão oral das suas práticas, rituais e herança cultural.

SERVIÇO

O quê: Encontros pró-capoeira

Onde e quando: Brasília – 28 a 30/9/10; Rio de Janeiro – 27 a 29/10/10

Mais informações: www.encontrosprocapoeira.org.br

Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br

Daniel Hora – daniel.hora@iphan.gov.br

Mécia Menescal – mecia.menescal@iphan.gov.br

(61) 2024-6187 / 3326-6864

(61) 2024-6194 / 3226-8907

Seminário Internacional Políticas Culturais: teorias e práxis

Encontro de especialistas, estudiosos e interessados nas questões relativas à área de políticas culturais, com o objetivo de divulgar trabalhos e promover debates no campo das ações políticas, das reflexões históricas e das reflexões teóricas. O encontro será composto por seções de conferências, palestras e mesas de comunicações individuais, sendo aberto para o público em geral.

Organização: Lia Calabre e Mauricio Siqueira (FCRB)

22, 23 e 24 de setembro de 2010

Programação:

quarta-feira, 22 de setembro

13h30 – Inscrições

14h – Mesa de Abertura – auditório Fundação Casa de Rui Barbosa Itaú Cultural

14h30 – Conferências de Abertura – auditório

Política Cultural e universidade: diálogos fundamentais

Cultura e Universidade: reconstituindo as trajetórias de alguns diálogos institucionais

Isaura Botelho – Cebrap

La planificación cultural desde el enfoque de redes: Una mirada a partir de la experiencia de formulación de políticas culturales desde la Universidad de Antioquia-Colombia

Maria Adelaida Jaramillo – Universidade de Antióquia

16h30h – INTERVALO

17h – Mesa I – auditório

Entre as reflexões teóricas e a implementação das políticas

Os direitos culturais na Constituição Brasileira

Bernardo Novais da Mata Machado – Fundação João Pinheiro, SAI/MinC

Integração de políticas culturais: entre as ideias de Aliança e Sistema

Francisco Humberto Cunha Filho – PPG Universidade de Fortaleza – Advogado da União

Políticas Públicas de Cultura no Acre: relato de experiências e perspectivas

Daniel Queiroz de Santana – Diretor/Presidente da Fundação de Comunicação e Cultura Elias Mansur

Territorialização das Políticas Culturais no Estado da Bahia

Ângela M. de Andrade – Secretaria de Cultura da Bahia – SECULT BA

quinta-feira, 23 de setembro

9h – Comunicações Individuais – seção I – sala de cursos

Política cultural: reflexões históricas

Muito antes do SPHAN: A Política de Patrimônio Histórico no Brasil (1838-1937)

José Ricardo Oriá Fernandes – Doutor em História da Educação (USP), UFC/Câmara dos Deputados

Política cultural e memória social: um projeto cultural no período populista dos anos sessenta no Brasil Contemporâneo

Monike Garcia Ribeiro – Doutoranda do Programa de Pós-graduação em História Comparada (UFRJ-IFCS)

Por um Senado da Cultura Nacional: Intelectuais e Políticas Culturais no Regime Militar (1967-1975)

Tatyana de Amaral Maia – Doutora em História (UERJ) – Universidade Severino Sombra

A política cultural do Conselho Federal de Cultura (1967-1976)

Lílian Araripe Lustosa da Costa – Mestranda de História, Políticas e Bens Culturais da FGV e bolsista de pesquisa do Setor de Estudos de Política Cultural – FCRB

9h – Comunicações Individuais – seção II – auditório

Políticas culturais setoriais I

Manobras de distensão: vestígios da atuação de grupos e da oficina nacional de dança contemporânea na organização político-cultural da dança no Brasil

Maria Sofia Villas-Bôas Guimarães – Doutora em Artes Cênicas, delegada suplente no Colegiado de Dança do CNPC

Lacunas nas ações do Governo Federal para a música no Brasil de 1996 a 2000

Luís Carlos Vasconcelos Furtado – Professor de Música e Produção Cultural da Escola de Música e Artes Cênicas / UFG. Mestre em Música pela EMAC/UFG

Entender o passado, planejar o futuro: a gestão institucional da FUNARTE

Marcelo Gruman – Doutor em Antropologia Social (UFRJ), Centro de Programas Integrados – CEPIN/FUNARTE/MinC

O Ministério da Cultura e a Convenção sobre a Diversidade Cultural

Giuliana Kauark – Mestre Multidisciplinar em Cultura e Sociedade pela UFBA

11h – INTERVALO

11h15 – Comunicações Individuais – seção III – sala de cursos

Patrimônio Imaterial: políticas e ações

A Política Federal de Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial

Raiana Alves Maciel Leal do Carmo – Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Música (UNESP)

Pontão de Cultura de bem registrado e salvaguarda de patrimônio imaterial: a experiência do Jongo no sudeste

Elaine Monteiro – Professora Associada UFF/Coordenadora Geral do Pontão de Cultura do Jongo/Caxambu; e, Mônica Pereira do Sacramento – Doutoranda UFF/Coordenadora Executiva do Pontão de Cultura Jongo/Caxambu

Nem dar o peixe, nem ensinar a pescar: pela potencialização da pesca já existente. Limites e possibilidades da ação pontos de cultura (Ministério da Cultura – Brasil) a partir de um estudo de caso: o ponto de cultura – Centro de cultura Caiçara da Barra do Ribeira

Fiorela Bugatti Isolan – Máster em Gestiò Del Patrimoni Cultural, Universidade de Barcelona

Patrimônio imaterial, performance e identidade

Letícia C. R. Vianna – Doutora em Antropologia (Museu Nacional/UFRJ), IPHAN/CNFCP; e, João Gabriel L. C. Teixeira – Professor Associado do Departamento de Sociologia da UNB

11h15 – Comunicações Individuais – seção IV – auditório

Políticas culturais setoriais II

Avaliação da área de formação em organização da cultura: apenas ações ou uma política estruturada?

Leonardo Costa – Doutorando/UFBA; Ugo Mello – aluno especial-UFBA; e, Viviane Fontes Mestranda/UFBA (bolsista CAPES)

Políticas de museus do Governo Lula da Silva

Archimedes Ribas Amazonas – Mestre em Cultura e Sociedade (FFCH/UFBA), Professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

A preservação audiovisual no Governo Lula

Laura Bezerra – Doutoranda do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (UFBA), Professora Substituta/UFBA e Coordenadora do projeto Filmografia Baiana

Políticas culturais no Brasil e o projeto de TV pública – pressupostos para uma análise

Renata de Paula Trindade Rocha de Souza – Doutoranda/UFBA, Pesquisadora do Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Cult) da UFBA

13h-15h – INTERVALO

15h – Mesa II – auditório

Políticas na prática: reflexões e experiências nas linguagens artísticas

Mostra SESC Cariri de Cultura: a aldeia como política para o desenvolvimento cultural local

Sidnei Cruz – SSESC – Departamento Nacional

O Estado artista: O Estado como escultor sociocultural

Gui Mallon – músico, escritor e artista plástico

Muovere Fashion Week Ano 21

Jussara Miranda – Muovere Cia de Dança Contemporânea

Fábrica do Futuro – Cultura, Audiovisual e Desenvolvimento Local

Cesar Piva – Gestor cultural da Fábrica do Futuro – Residência Criativa do Audiovisual

18h – Confraternização e Lançamento de Livros

sexta-feira, 24 de setembro

9h – Comunicações Individuais – seção V – sala de cursos

Política Cultural e o local: práticas e reflexões I

Cultura e desenvolvimento regional nos interiores da América do Sul

Juan Ignácio Brizuela – Mestrando do Programa Multidisciplinar em Cultura e Sociedade do IHAC/UFBA

Pontos de cultura de Pernambuco: fragilidades, parcerias e oportunidades

Mariana Ferreira Reis – Mestranda do Programa de Pós-graduação em Extensão Rural e Desenvolvimento Local/ UFRP ; e, Raquel de Melo Santana – Mestranda do Programa de Pós-graduação em Extensão Rural e Desenvolvimento Local/ UFRP

O território nas políticas culturais para as cidades

Mariana Albinati – Mestre pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura da Universidade Federal da Bahia – UFBA

O prêmio interações estéticas: caminhos da arte e da economia criativa na região nordeste

Ana Teresa Vasconcelos – Mestre em história pela UFF/Administradora Cultural da Fundação Nacional de Artes – FUNARTE

Os pontos de Cultura como expressão das contradições sociais

Ana Lúcia Pardo – Mestranda do Curso em Políticas Públicas e Formação Humana – UERJ, atriz, jornalista, chefe de Divisão de Políticas Culturais da Representação Regional do MinC/RJ – ES

9h – Comunicações Individuais – seção VI – auditório

Financiamento e Gestão da Cultura

Organizações sociais e o setor cultural no estado do Rio de Janeiro – breve avaliação da lei 5498/2009

Pedro José Braz – Mestrando no Programa de Estudos Pós-graduados em Política Social (UFF), Sociólogo, Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG-RJ)

Diálogos, discussões e silêncios: uma análise da gestão pública não estatal na área da cultura

Elizabeth Ponte de Freitas – Mestre em Cultura e Sociedade (UFBA), Coordenadora de Desenvolvimento Institucional do NEOJIBÁ

Parcerias público-privadas para a infraestrutura de salas de exibição

Sérgio Lourenço Bezerra Ferreira Reis – Mestre em Direito (Universidade Cândido Mendes), Especialista em regulação cinematográfica e audiovisual da ANCINE

O programa de fomento ao teatro para a cidade de São Paulo. Uma experiência de política pública bem-sucedida

Fernando Kinas – Doutorando em Teatro pela USP e Sorbonne Nouvelle, Paris 3, Diretor e pesquisador teatral

Políticas Culturais em Fortaleza: a experiência dos editais municipais de fomento ao carnaval

Danielle Maia Cruz – Doutoranda em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará

11h – INTERVALO

11h15 – Comunicações Individuais – seção VII – sala de cursos

Política Cultural e o local: práticas e reflexões II

Plano de gestão Pernambuco Nação Cultural: consolidando uma política pública de cultura

Anna Karla Trajano de Arruda – Arquiteta-urbanista, doutoranda do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo – UFBA; Luciana Vieira de Azevedo – Arquiteta-urbanista, Diretora Presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco; e,Célia Maria Medicis Maranhão de Queiroz Campos – Arquiteta-urbanista/Diretora de Preservação Cultural da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco

A gestão cultural como instrumento de desenvolvimento em Guaramiranga, Ceará

Selma Santiago – Mestre em Gestão Cultural pela Universidade de Barcelona, Professora da Especialização em Gestão Cultural da Faculdade São Luís/MA

Políticas culturais de Salvador e Recife: análise da Fundação Gregório de Mattos e da Secretaria de Cultura do Recife (2005-2008)

Hortência Nepomuceno – Mestranda do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (UFBA)

Pró-Cultura Salta: entre o Estado e a sociedade

Laura Belén Navallo Coimbra – Doutoranda em Antropologia Social pelo Programa de Pós-graduação em Antropologia Social do Museu Nacional UFRJ

Restrições legais em prol da preservação do patrimônio edificado: rebatimento na prática?

Karina Monteiro de Lira – Mestranda em Arquitetura e Urbanismo (UFBA, 2010)

11h15 – Comunicações Individuais – seção VIII – auditório

Políticas Culturais: reflexões sobre o tema

Destruindo muros, construindo pontes: a política cultural externa de Brasil e de França no mundo pós-guerra fria

João Henrique Catraio Monteiro Aguiar – Mestrando em Relações Internacionais do PPGRI-UERJ. Professor do Colégio Pedro II

Marcas da reforma do Estado no Brasil: uma genealogia das políticas públicas de cultura pós-redemocratização

Alysson Felipe Amaral – Mestrando/Argentina, Universidad Nacional de San Martín

Democratização da cultura x democracia cultural: os pontos de cultura enquanto política cultural de formação de público

Alice Pires de Lacerda – Mestre pelo Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (UFBA)

Papel e atuação do CNPC na atual dinâmica cultural

Cecília Vásquez Soto – Jornalista, mestranda do Programa Multidisciplinar de Pós-graduação em Cultura e Sociedade (UFBA)

Cultura viva: políticas públicas no labirinto Brasil

Helena Klang – Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e bolsista de pesquisa do Setor de Estudos de Política Cultural – FCRB

13h-14h30 – INTERVALO

14h30 – Comunicações Individuais – seção IX – auditório

Política cultural, território e ação

Um território híbrido na Maré, RJ. Novo território cultural?

Lílian Fessler Vaz – PROURB/FAU/UFRJ

Participação: para pensar políticas culturais no século XXI

Lúcia Maciel Barbosa de Oliveira – Doutora em Ciência da Informação (USP), Professora ECA/USP

La experiencia de descentralizar la cultura

Sérgio Gama – Subdiretor de la Fundación Fhrenheit 451, Magister em literatura de la Universidad de los Andes – La Fundación Fahrenheit 451

Pontos de cultura: pontos para a cidadania e suas territorialidades?

Alba Lúcia da Silva Marinho – Membro do LECgeo Laboratorio de Estudos sobre Espaço e Cultura. Doutoranda em Geografia – UFPE (bolsista Capes)

16h30 – INTERVALO

17h – Conferências de Encerramento – auditório

Políticas Culturais: reflexões e avaliações

Políticas Culturales y Salvaguardia del Patrimonio Inmaterial en América Latina: enfoques, estrategias y perspectivas

Loreto Antonia Bravo – Trabajadora Social de la Universidad de Chile, Consultora en Políticas Públicas Sociales y Culturales, Ex Presidenta Consejo de Administración de CRESPIAL (Centro Regional de Salvaguardia del Patrimonio Inmaterial de América Latina)

Políticas culturales, democracia y gobernabilidad. El aporte del patrimonio inmaterial

Eduardo Nivón Bolán – profesor, investigador de la Universidad Autónoma Metropolitana

Avaliando as políticas culturais do Governo Lula

Albino Rubim – professor da UFBA, pesquisador do CNPq e do CULT

Realização: Setor de Estudos de Política Cultural – FCRB/MinC

Parceria: Itaú Cultural

Certificados para participantes com 75% de frequência

Informações e inscrições: politica.cultural@rb.gov.br. Tel. (21) 3289.4636

RETRATOS DO BRASIL 2010: OCUPAÇÃO – DA CASA À MORADA

Salve essa casa, nobre morada”.

Antônio Nóbrega

Abrição de Portas

O SESC Madureira entende cultura como espaço de construção de saberes, costumes e valores e busca refletir sobre as formas pelas quais as pessoas se organizam em sociedade. Nesta perspectiva, o universo da cultura popular permeia as ações programadas ao longo do ano e tem culminância no projeto RETRATOS DO BRASIL, que acontece em edições temáticas desde 2003.

Em 2004, o tema foi Memórias e Conexões e articulou as relações entre passado e presente encontrados nas diversas manifestações da tradição popular e da cultura contemporânea. No ano de 2005, o Brasil entrou em festa com os Versadores. No ano de 2006, embaladas pela música e dança de roda, manifestações populares tão presentes no imaginário tanto das crianças e jovens, quanto dos adultos, trouxe o tema Da mão que borda à dança que roda.

Já em 2007, por meio da vertente Ruas de Cultura, Culturas de Rua, buscou o espaço urbano como local propício para o encontro e a troca entre os saberes e vivências da cidade; o que levou à criação da edição de 2008 homenageando o Movimento Black Rio, que trouxe novas expressões de comportamento e costumes que tanto influenciaram o estado de espírito da cidade. Neste sentido, em 2009, com a temática A Cidade no Corpo e a Festa Carioca, aprofundou a discussão ao convidar o público à reflexão dos efeitos da cidade sobre o corpo dos seus habitantes.

Em 2010, dando continuidade à discussão sobre a relação entre espaço e subjetividade, traz a temática Da Casa à Morada – ocupação, que reflete sobre a relevância de determinados lugares para as diferentes manifestações das culturas populares. Pretende investigar o tema da morada como território de identidade e espaço de sociabilidade, de trânsito e de permanência. Sob o prisma de mestres populares, especialistas e estudiosos, prevê a visita de grupos e escolas, com atividades voltadas para educadores e para os educandos, assim como a realização de um seminário.

Uma série de atividades são propostas na busca de aproximar o público da cultura brasileira sob seus múltiplos olhares ao apresentar manifestações artísticas que dialogam com aspectos contemporâneos, reunindo várias linguagens expressivas como teatro, música, dança e artes plásticas e visuais.

ARTES PLÁSTICAS

PROTEJA ESTA CASA – RETRATOS DAS MORADAS BRASILEIRAS

7/8 a 30/9, 3a a 6a, das 13h30 às 21h30. Sábados, domingos e feriados das 9 às 18h

“Posso entrar na sua casa e bater uma foto?”. Exposição do fotógrafo carioca Francisco Moreira da Costa, que durante seu trabalho no Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular (CNFCP), de 2001 a 2009, registrou o interior de casas de diversas localidades do país. A exposição faz parte do acervo do CNFCP, única instituição pública que desenvolve e executa, em âmbito nacional, programas e projetos de pesquisa, documentação, difusão e fomento de expressões dos saberes e fazeres do povo brasileiro. Galeria. Grátis. Livre.

AÇÃO EDUCATIVA – A ALMA DA MORADA

2, 9, 16, 23 e 30/9, das 14h30 às 16h30 – Atividade socioeducativa de acordo com a temática da obra artística em exposição na Galeria. Em agosto e setembro bate papo demonstração com mestres e lideranças de grupos de cultura popular. Mediação: Andréa Falcão. Para público escolar e instituições, com agendamento prévio pelo tel.: 3350-3532. Espaço de convivência da Galeria. Grátis. Livre.

2/9 – DJ TR (Hip Hop) – Reflexão sobre a importância da rua para o Hip Hop.

9/9 – Zezinho Andrade (Baile Soul/Charme) – Abordagem sobre a importância da Black Music no comportamento contemporâneo.

16/9 – Valmir Vinoli (Samba) – O Buraco do Galo e a revitalização do samba em Oswaldo Cruz.

23/9 – Adalberto Jerônimo (Frevo) – A importância do Frevo Prato Misterioso como estímulo ao diálogo intercultural Rio de Janeiro/Pernambuco.

30/9 – Seu Elesbão (Comunidade Maranhense) As Festas Maranhenses e a importância do clube para a reunião da Comunidade Maranhense no Rio de janeiro.

TEATRO

MARIAS BRASILIANAS: A ARTE DO FIO

10/9, das 14h às 16h30 – Marias Brasilianas: a arte do fio revela de maneira poética, por meio da dança, teatro e música, o processo de criação de artistas populares brasileiras – uma homenagem às fiandeiras, tecelãs, rendeiras e bordadeiras de várias regiões do Brasil. Durante 60 minutos, através de 16 cenas, o espetáculo apresenta a arte de transformar o algodão em fio, o fio em tecido, renda e bordado – ofícios-milenares femininos, entremeados às histórias de vida das mulheres artistas. Quadra. Grátis. Livre.

Lucio Enrico

Cultura SESC Madureira.

Rua Ewbanck da Câmara, 90.

Tel.: (21) 3350-1782.

E-mail:lucioenrico@SESCrio.org.br

SÃO PAULO/SP

Audiência Pública Lei Griô em São Paulo

Convite

É com alegria que a Rede Ação Griô Nacional convida para mais uma audiência pública sobre a Lei Griô Nacional, que será realizada numa Sessão Especial da Câmara de Vereadores de São Paulo, no próximo dia 24 de setembro, às 13 horas, no Salão Nobre da Câmara, 8º andar, para apresentação, discussão e recolhimento de sugestões e assinaturas ao Projeto de Lei de iniciativa popular Lei Griô.

Atenção: Leve seu título de eleitor para assinar a Lei Griô e vá de verde e amarelo ou com a roupa e instrumento do seu grupo cultural.

Data: 24 de setembro de 2010 (sexta feira), às 13 horas

Local: Câmara de Vereadores de São Paulo

Endereço: Viaduto Jacareí, nº 100, Bela Vista, Salão Nobre, 8º andar, São Paulo

Segue abaixo:

- Apresentação da Ação Griô e da Lei Griô

- Entrevista TV FUTURA

- Clip Lei Griô 27 seg

- Clip Lei Griô 3min

- Portal e Blog Lei Griô

- Folheto de divulgação

- Entrevista Jornal “O Estado de São Paulo”

Clip Lei Griô 27 seg:

http://www.youtube.com/watch?v=j9nWxswVSRE

Clip Lei Griô 3 min:

Veja o Clip da Lei griô Nacional

http://www.youtube.com/watch? v=2fYbVx9KDEI

Entrevista TV FUTURA:

http://www.youtube.com/watch? v=oR3t26iWMmo&feature=related

http://www.youtube.com/watch? v=CfulvAnemhA&feature=related

Blog Lei Griô:

https://sites.google.com/site/leigrionacional/

Portal Ação Griô:

www.acaogrio.org.br

Site Grãos de Luz e Griô:

www.graosdeluzegrio.org.br

Apresentação da Lei Griô Nacional

A Lei Griô Nacional está sendo debatida e mobilizada em todo país em sessões especiais nas Câmaras de Vereadores e Assembleias Legislativas.

No dia 05 de agosto foi realizada a audiência pública na Assembleia Legislativa da Bahia, com um público participante de 180 pessoas entre griôs, mestres, educadores e estudantes. A mesa contou com a participação de Javier Alfaya – Deputado Estadual da Bahia, Elaine Tozzi – Coordenadora de Ações da SCC-MINC, Ângela Andrade e Jaqueline Santana – Representando as secretarias de Educação e de Cultura da Bahia, Dona Cici e Raimundo Katusemi – representando os griôs e mestres e os Pontos de Cultura Pierre Verger e Bankoma, Roselane Santos – representando os estudantes da rede de Ensino e Líllian Pacheco – coordenadora da Rede Ação Griô Nacional e do Grãos de Luz e Griô, além da TVE e TV Assembleia.

No dia 24 de agosto foi realizada a sessão especial na Câmara Municipal de João Pessoa – PB com um público participante de 120 pessoas entre griôs, mestres, educadores, estudantes. Na composição da mesa estiveram presentes a Secretaria de Educação de João Pessoa, a SCC/ Ministério da Cultura, a regional Nordeste do Ministério da Cultura, a FUNJOPE – Fundação de Cultura de João Pessoa, a Coordenação da Rede Ação Griô Nacional e do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô, a Escola Municipal Raimundo Nonato, o Iphan, a Secretaria de Turismo de João Pessoa, a Vereadora Sandra Marrocos, o Fórum de Culturas Populares de João Pessoa, além de griôs e mestres representantes da cultura popular e tradição oral do município e dos pontos de cultura Escola Viva Olho do Tempo e Meio do Mundo, além de representantes da mídia local.

Em 2010, a Rede Ação Griô se mobiliza em busca de 1 milhão de assinaturas para apresentar ao Poder Legislativo Federal o projeto de iniciativa popular: a Lei Griô Nacional.

A Lei Griô Nacional foi eleita prioridade da política de cultura do Brasil na Conferência Nacional de Cultura entre mais de 347 propostas que envolveram cerca de 200 mil representantes da cultura em todo o país.

A Lei Griô Nacional tem como missão instituir uma política nacional de transmissão dos saberes e fazeres de tradição oral, em diálogo com a educação formal, para promover o fortalecimento da identidade e ancestralidade do povo brasileiro.

A Lei Griô foi formulada por uma Comissão Nacional de Griôs e Mestres de Tradição Oral escolhidos pela Rede Ação Griô e contou com contribuições e participação da sociedade brasileira por meio de encontros regionais e nacionais e uma página na internet. A Assembleia Legislativa da Bahia e a Câmara de Vereadores de João Pessoa na Paraiba já abriram suas portas para sessões especiais sobre a lei envolvendo mais de 300 deputados, representantes das secretarias de cultura e educação, griôs, mestres, educadores, e estudantes para discutir a lei griô e encaminhar a sua demanda nos orçamentos estaduais.

A educadora biocêntrica e coordenadora do projeto Grãos de Luz e Griô, Líllian Pacheco declara que “a campanha da lei griô nacional estará acontecendo durante toda a campanha eleitoral buscando comprometer os candidatos à presidência, além de deputados e senadores.”

A Ação Griô Nacional nasceu em 2006 como projeto criado e proposto pelo Grãos de Luz e Griô, da Bahia, ao programa Cultura Viva da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura. A Ação Griô é uma rede com 130 pontos de cultura, envolvendo mais de 750 griôs e mestres de tradição oral do Brasil, 600 escolas, universidades e outras entidades de educação e cultura.

Hoje, a Ação Griô Nacional é coordenada pelo Grãos de Luz e Griô, o Ministério da Cultura e mais 7 Pontões de Cultura regionais, sendo que na Bahia tem a parceria da Secretaria de Cultura, e em João Pessoa tem a parceria da Funjope e da Secretaria de Educação: Pontão Ação Griô Regional Ventre do Sol (AL, PE, PB, SE e RN) – Congregação Holística da Paraíba / Ponto de Cultura Escola Viva Olho do Tempo; Pontão Ação Griô Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) – Associação dos Amigos do Instituto Histórico; Pontão Regional da Terra (SP, PR, RS, SC) – Associação Nina Griô e CEACA; Pontão Ação Griô Nascentes e Veredas (DF, GO, MS, MG, ES) – Guaimbê Espaço Criativo; Pontão Ação Griô Regional Amazônia (AM, PA RR, RO AC, AP, CE, PI, MA, TO) – A Bruxa Tá Solta e Carimbó Patrimônio Cultural.

Ação Griô na Escola

Quem são os mestres e griôs? São os pais e mães de santo, capoeiras, cantadores, contadores de histórias, cordelistas, brincantes, bonequeiros, erveiros, curandeiros e todas as pessoas que têm histórias de vida repleta de saberes e fazeres que não estão escritos nos livros, são transmitidos oralmente e vivencialmente, fazem parte da formação da história e identidade das comunidades e do povo de nosso país.

Quando implantada, a lei criará mecanismos para que as comunidades apresentem aos conselhos municipais de cultura seus griôs e mestres de tradição oral. Eles se apresentam vinculados a projetos educativos, associações e a secretarias de educação e passarão seus conhecimentos aos estudantes, com aulas alegres, brincantes, dançantes, cantantes, cheias de histórias que encantam as escolas. O saber oral das ervas das benzedeiras e as ciências da flora da região; o saber das parteiras e as ciências da reprodução; o saber das ladainhas da capoeira e a história do Brasil são exemplos de práticas e assuntos que mudam o reconhecimento dos estudantes sobre sua própria identidade e ancestralidade.

A Lei apoiará a circulação dos griôs nas comunidades/escolas e a vinculação dos seus currículos aos saberes e fazeres da tradição oral da comunidade, fortalecendo a identidade e ancestralidade dos estudantes, educadores e do povo brasileiro.

Entre as escolas e universidades parceiras da Rede Ação Griô em São Paulo estão a escola Desembargador Amorim Lima / CEACA, o Grupo Cupuaçu e a Escola de Comunicações e Artes da USP.

É notório mérito da participação popular e dos Pontos de Cultura do Brasil neste processo de mobilização nacional da Lei Griô, demonstrando a força da sociedade civil na construção de políticas culturais. Caso aprovada como lei de iniciativa popular atestará que “a sociedade civil é capaz de participar da construção de políticas culturais no país, num modelo democrático e propositivo”, afirma Márcio Griô.

Precisamos fazer valer nosso direito constitucional de criar nossas leis de baixo para cima, desde os municípios até o estado brasileiro.

Vamos meu povo assinar a lei griô!!!

“quem semeia a paz

só vai colher o amor

vamos meu povo assinar a lei griô…”

Confira o histórico de mobilização e coleta das assinaturas com personalidades importantes da cultura no nosso país – Chico Cesar, Fagner, Jorge Mautner, Alcimar Monteiro, Célio Turino, TT Catalão, Sergio Mambertti, Márcio Meirelles e muitos outros.

Griô é uma palavra abrasileirada pelo Grãos de Luz e Griô e tem origem na palavra francesa griot, que traduz a palavra dieli, numa língua do imperio do Mali, que significa o sangue que circula. Os Griôs são contadores de histórias, cantadores, genealogistas da tradição do noroeste da África responsáveis pela biblioteca viva da tradição oral. São famílias que, no universo da tradição oral, onde o livro não tem um papel social prioritário, guardam a história e as ciências das comunidades, das regiões e do país.

A pedagogia griô é uma pedagogia criada a partir da prática pedagógica do Grãos de Luz e Griô para sistematizar as práticas e saberes de tradição oral, bem como seus conceitos chaves e seus processos de transmissão e circulação que são reinventados para dialogar com o saber formal nas escolas. Integra mito, arte, ciência, história de vida, tem como centro do saber a identidade e ancestralidade dos estudantes, e a vivência como processo de elaboração do conhecimento, e tem como referências – educadores e pesquisadores brasileiros da educação biocêntrica, da teoria de Paulo Freire, da educação para as relações étnico raciais positivas, e dissertações acadêmicas que já versam sobre a própria pedagogia griô.

A Minuta e o Projeto de Lei podem ser acessados no Portal www.acaogrio.org.br ou o blog: https://sites.google.com/site/leigrionacional

Com atenção,

Márcio Caires

Coordenador da Ação Griô Nacional

Tel.: (11) 8724 4964 (75) 3334-1040 ou (75) 91716974

www.acaogrio.org.br; www.graosdeluzegrio.org.br; graosgrio@yahoo.com.br

Grupo de Estudos em Relações Étnico-Raciais e Educação Lélia Gonzalez (Gerere)

Ato de lançamento do Gerere Lélia Gonzalez (cartaz em anexo)

data: 24/09/2010 – sexta-feira

horário: 19h30

local: Faculdade de Educação da USP, sala 124, Bloco B

Convidados:

Profa Petronilha Silva e Prof. Kabengele Munanga e Profa Lisete Arelaro (mesa-redonda)

Flavia Rios (Conferência: o Legado de Lélia)

O Gerere é uma iniciativa de estudantes negras e negros do programa de pós-graduação em Educação da FEUSP. Nosso principal objetivo é pressionar a referida instituição pela efetiva implementação do artigo 26-A da LDB 9394/06, que institui o ensino obrigatório do Ensino de História e Cultura Afro-brasileira, Africana e Indígena, nos seus cursos de graduação (licenciatura e Pedagogia) e pós-graduação. Além disso, estamos nos propondo a estudar coletivamente as relações étnico-raciais e suas interfaces com a pesquisa educacional, tema que une nossas pesquisas.

Contamos com a presença de vocês e ajuda na divulgação virtual do evento!

Com axé,

Gerere Lélia Gonzalez

Pílula de Cultura Feira Preta “É brincando que se Aprende”

A Pílula de Cultura neste mês de Outubro será dedicada ao universo infantil. Você sabia que comemoramos essa data desde a década de 20, quando um deputado federal teve a ideia de criar um dia especial dedicado as crianças. Porém somente em 1960 é que a data ganhou mais força. Esse dia tão especial é comemorado em datas diferenciadas por todo o mundo.

A roda de conversa com o tema “Fala Criança”, onde o microfone ficará livre para que elas possam botar a boca no trombone, com suas ideias, dúvidas e relatos do dia a dia no seu mundo infantil. Discotecagem com Kalfani (Filho do DJ KLJay), Oficinas de Gravuras em Madeiras com Jaergenton Correa. Apresentação de percussão e coral com da garotada do ORPAS – (Obras Recreativas, Profissionais, Artísticas e Sociais). E mais… Exibição do filme “AS AVENTURAS DE ARZUR E ASMAR”. A apresentação do evento ficará por conta do Max DMN (Grupo DMN) com crianças mediando à roda de conversa.

Neste dia teremos a 3ª fase da eliminatória de apresentação do Preta In Festival, com as 4 últimas bandas vencedoras da 2ª fase do festival. Música boa e bandas de vertentes diversificadas darão início a mais uma competição de qualidade que abrilhantará o palco da Pílula de Cultura.

Dia: 17 de Outubro de 2010.

Horário: das 15h ás 20h

Local: Casa das Caldeiras: Av. Francisco Matarazzo- Barra Funda

Acesso: Grátis

Pretainfo: (11) 2537-6286 ou (11) 3031-2374

E-mail: feirapreta@uol.com.br

Vem aí dias 18 e 19 de Dezembro de 2010 a 9a. Edição da Feira Cultural Preta no Centro de Exposições Imigrantes – Jabaquara

Feira Cultural Preta

Adriana Barbosa

adriana@feirapreta.com.br

55 11 3031-2374

55 11 8336-1012

MSN:feirapreta

Skype: feirapreta1

QUARTAS NO NUPAUB

C O N V I T E

Quartas no Nupaub é uma atividade mensal, que reúne estudantes de graduação e pós-graduação, além de interessados em geral na discussão de temas como conflitos socioambientais, etnoconservação, memória, populações tradicionais. O objetivo das “Quartas no Nupaub” é promover o debate acerca destas temáticas a partir da exposição realizada por interlocutores convidados (professores, pesquisadores, lideranças de movimentos sociais, etc.). De maneira informal convidados e participantes trocam informações e ideias sobre o assunto do dia, aprofundando e construindo experiências e conhecimentos.

Agenda – dia 13 de outubro de 2010 às 18 horas

Convidado – Dra. Suzana Ribeiro (historiadora)

Local de realização:

Rua do Anfiteatro 181, Colmeia – Favo 6 – fone 3091-3142 – Cidade Universitária

CEP: 05508-060 – São Paulo/SP – Brasil

Ato Cultural Político e Religioso de Combate à Intolerância aos Afro-religiosos

Dia 24 de setembro entre as 14 e as 17 horas.

17h haverá uma caminhada conjunta pelo calçadão do largo da Pólvora, na praça da República, e concentração Afro-religiosa na esquina da Rua da Paz.

São seis Nações Afro-religiosas reunidas no Cinema Olympia para apresentação de práticas ritualísticas e das Culturas de Comunidades Tradicionais de Terreiros Afro-amazônicos, rodas de conversas e de interação com o público.

Nações: Angola, Tambor de mina, Jêje, Pajelança, Umbanda, e Ketu.

QUILOMBO DE SOLANO TRINDADE

CONVITE

De 22 a 25 de Setembro

Para quem gosta de Musica e de Cultura Popular.

No dia 23/09 as 19:30hs o Grupo Sanza apresenta o Espetáculo Ngoma Griot

No palco: Maria Trindade cantando, Karla Magalhães dançando e Carlos Caçapava tocando os seus tambores e cantando suas composições e parcerias.

Você esta convidad@ para apreciar, interagir e comentar nosso trabalho.

O evento acontece na Biblioteca Alceu Amoroso Lima esquina da Av. Henrique Schaumann com a R. Cardeal Arcoverde próximo a Praça Benedito Calixto – Pinheiros

É grátis – Venha – Divulgue

NOITE DO MARANHÃO

HENRIQUE MENEZES E BANDA BOM Q DOI

COCO

samba

Reggae

POP

Tambor de Crioula

Ciranda

Maracatu

Bumba-meu-Boi

Tambor de Mina

NO VL BUTANTÃ

DIA 25 DE SETEMBRO SÁBADO

AV. VITAL BRASIL, 911 Butantã

Entrada: R$ 10,00

A partir das 22h00

Kolombolo Diá Piratininga

Olá,

Na próxima sexta-feira, dia 24, a Curimba, grupo de pastoras do Kolombolo Diá Piratininga se apresenta no seminário A Cidade Reinventa a Escola, evento em comemoração aos 13 anos da Associação Cidade Escola Aprendiz. O grupo traz em sua força o acalanto e o lamento das pretas velhas e a voz da mulher que não se calou representada na figura da escrava Anastácia. O canto das lavadeiras e rezadeiras se faz presente com o requinte da batucada de terreiro. Em seu repertório o núcleo apresenta suas obras autorais e, também, dos integrantes da Ala de Compositores do Kolombolo e de grandes sambistas da Paulicéia, como Zeca da Casa Verde, Geraldo Filme, Paulo Vanzolini e Toniquinho Batuqueiro.

E no  domingo, dia 26, será realizada mais uma Praça do Samba, roda de samba do Kolombolo que acontece todo último domingo do mês e apresenta clássicos do samba paulista e músicas da sua Ala de Compositores. Neste mês o homenageado será Mestre Brasília, um dos precursores da capoeira no Estado de São Paulo e compositor de diversas músicas entre capoeira, samba, puxada de rede e outros ritmos brasileiros, que já gravou três discos reunindo composições próprias e obras do cancioneiro de domínio popular brasileiro.

Para fotos ou vídeo do Kolombolo acesse http://www.youtube.com/watch?v=1c6iCzWrg9g e picasaweb.google.com/comunicakolombolo. Para mais informações sobre o seminário A Cidade Reinventa a Escola, acesse o link http://tinyurl.com/2bm744c

Até lá!

SERVIÇO:

Apresentação Curimba – Pastoras do Kolombolo Diá Piratininga

Seminário A Cidade Reinventa a Escola – 24/09

16h – Teatro da Vila – Rua Jericó, 256

Escola Estadual Carlos Maximiliano

Confirmar presença pelo e-mail rsvp@aprendiz.org.br

Praça do Samba – 26/09

Rua Belmiro Braga, s/nº – Praça do Aprendiz – Vila Madalena

Feijoada das Tias Baianas à partir das 14h

Roda de Samba das 15h às 19h

Samba de Bumbo das 19h às 20h

Entrada franca

Comunicação

Kolombolo Diá Piratininga

www.kolombolo.org.br

Retomada Indígena III

20 a 24 de setembro 2010 – Museu da Cultura PUC-SP

POVOS INDÍGENAS FRENTE À SOCIEDADE BRASILEIRA HOJE

20/9 – 2ª feira – Abertura da semana

18,30h. Dança de um grupo indígena na rampa do prédio novo da PUC (entrada Rua Ministro Godói).

19h. Exposição no Museu da Cultura (PUC-SP) – O olhar indígena sobre a cidade e a aldeia (fotos de indígenas que vivem em São Paulo), e mostra de instrumentos de caça, guerra e pesca de várias etnias do Brasil. (Duração da exposição: de 20/9 a 8/10, das 10h às 19h, exceto em finais de semana).

19,15 h. Mesa redonda 1: Povos indígenas frente à sociedade brasileira hoje. Debatedores: Prof. Rinaldo Arruda (antropólogo da PUC-SP), Cristiano Navarro (jornalista do semanário Brasil de Fato) e Prof. Sílvio Mieli (Prof. da Faculdade de Jornalismo da PUC-SP).

21/9 – 3ª feira

19,15h. Mesa redonda 2: Os indígenas Guarani Kaiowá do MS. Projeção do curta À beira da estrada (do documentário La lotta e la speranza – Luci nel Mondo/Cimi). Debatedores: Valdelice Veron (filha do cacique Marcos Veron) e liderança Guarani Kaiowá do MS, e Dra. Maria Luiza Grabner (Procuradora do Ministério Público Federal- PR/SP).

22/9 – 4ª feira

19,15h. Mesa redonda 3: Lideranças indígenas: Jerry Matalawê (liderança Pataxó e membro da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos da Bahia); Timóteo Popyguá (liderança Guarani da aldeia Tenonde Porã – São Paulo) e Maria Cícera de Oliveira (povo Pankararu e da coordenação do Programa Pindorama, PUC-SP)

Local: Museu da Cultura – PUC-SP.

23/9 – 5ª feira

19,15h. Mesa redonda 4: A questão indígena e os movimentos sociais: Edson Kayapó (doutorando da PUC-SP e coordenador dos Ceci da Prefeitura de São Paulo); Israel Sassá Tupinambá (membro do Tribunal Popular e da Org. Popular Aymberê), Regina Lúcia dos Santos (geógrafa e membro do Movimento Negro Unificado – MNU) e Gilmar Mauro (coordenação nacional do MST).

24/9 – 6ª feira

19,15h. Lançamento do Relatório de Violência de 2009–CIMI, com comentários da Profa. Lúcia Helena Rangel, PUC-SP (organizadora do trabalho), Sarlene Soares Makuxi (mestranda PUC-SP, da Terra Indígena Raposa Serra do Sol) e Bruno Martins (graduando da Faculdade de Direito da USP).

Encerramento: reza indígena e Toré com os povos presentes (Wassu Cocal, Fulni-ô, Pankararé, Pankararu…)

SEMANA DE CURTAS METRAGENS COM TEMÁTICA INDÍGENA

21/9 – 3ª feira

O amendoim da cotia (Sobre o povo Panará/PA, dir. Vincent Carelli. Vídeo nas Aldeias, 50’)

12,30 h e 18h: projeção no auditório Paulo VI (auditório da Biblioteca).

22/9 – 4ª feira

Pisa Ligeiro (Luta dos povos indígenas hoje. 50’).

12,30h e 18h: sala 134 C (1º andar, PUC, entrada pela Rua Ministro Godoi).

23/9 – 5ª feira

Xingu, terra ameaçada (dir. Washington Novaes, TV Cultura, 48’).

12,30h e 18h: projeção no auditório Paulo VI (auditório da Biblioteca)

VENDA DE ARTESANATO

Durante a semana haverá venda de artesanato dos povos Pankararé, Fulni-ô, Guarani, Kaimbé e Kariri Xokó. Local: PÁTIO DA CRUZ (pátio interno do prédio velho da PUC)

O Autor na Praça e o Encontro de Utopias realizam uma tarde poética homenageando Itamar Assumpção.

O Beleléu, vulgo Nego Dito, nasceu no dia 13 de setembro de 1949 na cidade de Tietê-SP, mas foi em Londrina-PR, que Itamar surge para o cenário artístico brasileiro ao lado de tantos artistas, como Arrigo e Paulo Barnabé. Quando chegam a São Paulo nos anos 70, juntam-se a outros artistas, criando  o movimento que ficou conhecido como a “Vanguarda da Música Paulista”. Para celebrar seu 61º aniversário realizaremos mais uma tarde poética no dia 18 de setembro, no Espaço Plínio Marcos (Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto. Além do grupo Encontro de Utopias, contaremos com a presença do poeta O Augusto, e o escritor Ademiro Alves, o Sacolinha autografando seu dois livros mais recentes “Estação Terminal” e “Peripécias de Minha Infância”. Para Lembrar Itamar Assumpção teremos leituras e apresentações musicais com a participação especial de amigos e parceiros do Nego Dito, já confirmaram: Anelis Assumpção, Maria Betânia Amoroso, Tonho Penhasco, Emerson Negão, Rômulo Alexis, Luiz Chagas que organizou em parceria com Mônica Tarantino o “PretoBrás: Por Que Eu Não Pensei Nisso Antes? – O Livro de Canções e Histórias de Itamar Assumpção” e Fábio Henriques Giorgio, autor do livro “Na Boca do Bode – Entidades musicais em transito”. No final, por volta das 19h, no próprio espaço, haverá exibição de dois curtas-metragens sobre Itamar: “Beleléu cá entre nós – Itamar Assumpção antes do Nego Dito” de Fábio Henriques Giorgio e “Jardim Beleléu” de Ari Cândido. Será um sarau aberto a todos, com leituras, músicas e performances, a participação de convidados e do público presente. Traga seus poemas, suas composições e adereços!  Saiba mais sobre Encontro de Utopias e os poetas abaixo.

Serviço

O Autor na Praça e o Encontro de Utopias realizam homenagem a Itamar Assumpção.

Dia 18 de setembro, sábado, a partir das 14h.

Espaço Plínio Marcos – Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto – Pinheiros.

Informações: Edson Lima – 9586 5577 – edsonlima@oautornapraca.com.br

Realização: Edson Lima, Encontro de Utopias e AAPBC.

Apoio: Femina Arte, AEUSP – Associação dos Educadores da USP, Artver, Max Design, Cantinho Português, Jornal da Praça, TV da PRAÇA, Enlace-media.com e Restaurante Consulado Mineiro.

O Encontro de Utopias é um coletivo artístico formado em junho de 2009 e se propõe a discutir com a sociedade a construção de uma nova política cultural, numa postura de não sectarismo, entendendo que o intercâmbio de culturas, opiniões, técnicas e linguagens promovem a tolerância e a formação de opiniões. O sarau é um espaço democrático por excelência, pois não comporta censura, não necessita do crivo da mídia e não reflete interesses de instituições, pois é aberto à vanguarda artística, às manifestações undergrounds e à reflexão individual e coletiva. Consiste num sarau que ocorre regularmente no Bar Pandora, na Praça Roosevelt, no último domingo de cada mês, das 20h às 23h, com microfone aberto as intervenções de linguagens e caminhos artísticos variados, através da palavra, da música, da dança, do teatro, das artes plásticas, performances e manifestações de grupos e movimentos sociais. O sarau também se desloca para outros espaços, como instituições sociais, escolas ou praças, pois acreditamos que é fundamental o respeito à diversidade e toda e qualquer expressão cultural que represente uma legítima aspiração popular. Já nos apresentamos na Fundação Casa, na Pça. Elis Regina (em manifestação contra a extinção da mesma), na Casa de Convivência Restaura-me, na Feira Solidária, na Galeria Olido, no Metrô de São Paulo, na Pça da Sé (no evento  Natal Solidário), na Revista Ocas e no Teatro Satyros entre outros.

O Encontro de Utopias acredita que a arte é o mais poderoso instrumento de reflexão e crescimento pessoal e que educação e cultura são as melhores armas de transformação social.

Integram a equipe: Fábio Abramo, Tião Nicomedes, Regina Tieko e outros colaboradores.

Contatos: regina_tieko1@yahoo.com.br – 9717 2176 ou 9123 8652.

Francisco José Itamar de Assumpção nasceu em Tietê (interior de São Paulo) no dia 13 de setembro de 1949. Conhecido como “maldito da MPB”, o músico misturou samba com rock e funk, entre outros ritmos, em letras impregnadas de sátira e crítica social. Teve forte presença na vanguarda paulista ao lado do amigo Arrigo Barnabé, da banda Sabor de Veneno, Premeditando o Breque e Grupo Rumo. Foi influenciado pelos trabalhos de músicos de variados gêneros, como Adoniran Barbosa, Cartola, Jimi Hendrix e Miles Davis, além de poetas como Paulo Leminski e Alice Ruiz. Bisneto de escravos angolanos cresceu ouvindo os batuques do terreiro de candomblé no quintal de sua casa. Cresceu em Arapongas, no Paraná, onde se mudou aos 12 anos. Chegou a cursar até o segundo ano de Contabilidade, mas abandonou a faculdade para fazer teatro e shows em Londrina. Aprendeu a tocar violão sozinho e, ouvindo Jimi Hendrix e arranjos de baixo e bateria, apaixonou-se pelo baixo. Mudou-se para São Paulo em 1973 para se dedicar à música. Começou a se apresentar em shows no final da década de 70, na Lira Paulistana em São Paulo. Seus três primeiros LPs, todos independentes (Beleléu leléu eu, 1980; As Próprias Custas S.A., 1983; Sampa Midnight, 1986), foram relançados em CD pela Baratos Afins em 1994. Seu único LP produzido por uma grande gravadora e da Continental, intitulado Intercontinental! Quem diria! Era só o que faltava…, de 1988. Em 1994 lançou a série Bicho de Sete Cabeças (três LPs também na forma de dois CDs), acompanhado pela banda Orquídeas do Brasil. Em 1995 lançou um CD com músicas de Ataulfo Alves que foi premiado como melhor do ano pela APCA. Entre composições suas que fizeram sucesso com outros interpretes estão “Nego Dito”, com o sambista Branca de Neve e “Já deu pra sentir”, com Cássia Eller.

Saiba mais: http://pt.wikipedia.org/wiki/Itamar_Assump%c3%a7%c3%a3o

Sobre O Augusto é poeta e vendedor nas horas vagas. Tomou gosto pela literatura através da coleção vaga-lume e desde essa época rabisca ideias em papéis. Há seis anos conheceu o sarau da Cooperifa, lugar onde organizou seus textos e desencadeou uma produção intensa e duvidosa. Atua em outros coletivos poéticos, podendo ser visto e ouvido no sarau da fundão, no sarau d´ademar, no sarau do binho, no bar do mutcho, no panelafro, na brasa, no elo e onde tiver resistência lúdica e cervejas. Em 2006 participou com outros 25 poetas da gravação do cd ‘sarau da Cooperifa’ produzido pelo Itaú cultural. foi publicado em contos e poesias na antologia ‘rastilho de pólvora’, ‘um segredo no céu da boca’, ‘pelas periferias do Brasil vol.lI’. Espera a lezeira passar para fazer um livro solo. Conheçam mais no blog www.oooaugusto.blogspot.com

Sobre Ademiro Alves, o Sacolinha (Por Marcos Cirillo – da assessoria do autor)

Após os sucessos de “Graduado em Marginalidade” e “85 Letras e um disparo”, o premiado escritor Ademiro Alves, o Sacolinha, está de volta com duas grandes obras, “Estação Terminal” e “Peripécias de Minha Infância”. Nestes últimos anos, o jovem escritor foi entrevistado por Jô Soares, Antônio Abujamra, programas Manos e Minas, Metrópoles, Folha de São Paulo, Revista Época, entre outros. Contou também, em seus livros anteriores, com prefácios de Ignácio de Loyola Brandão e Moacyr Scliar. Agora, Sacolinha retoma dois projetos ao mesmo tempo: lançar o segundo romance e o primeiro livro infanto-juvenil. O romance Estação Terminal narra os 18 anos mais agitados do bairro de Itaquera, periferia da Zona Leste de São Paulo, quando ali chegou o terminal do Metrô, um benefício moderno para o transporte de massas. No entanto, longe de atingir os confins da cidade, a população contava com outros meios de transporte como ônibus, peruas e vans. Iniciativas particulares que passaram a gerar tensões, disputas, conflitos e contradições. Já “Peripécias de Minha Infância” é uma mágica história das vivências e experiências do personagem Artur, de família pobre, criativo e viciado em felicidade. Este livro é o primeiro do autor destinado ao público infanto-juvenil, especialmente aquele que se agrada com a leitura de movimentadas aventuras. Não são, contudo, aventuras dos monstros televisivos tão em moda hoje em dia. A obra é magnificamente ilustrada pelo artista plástico Betto (Roberto de Lima Dorta), proporcionando ainda mais prazer na leitura. No lançamento os livros estarão à venda a preços populares e ainda haverá camisetas com a capa estampada para quem adquirir as obras. Estes livros foram premiados e selecionados através dos editais da Funarte (Fundação Nacional de Artes), do Ministério da Cultura, e do ProAC (Programa de Ação Cultural), da Secretaria de Estado da Cultura. Após o lançamento oficial, o autor seguirá fazendo uma caravana de lançamentos pelo Estado de São Paulo. Ambos os livros foram editados pela Nankin Editorial. Saiba mais: www.sacolagraduado.blogspot.com.

Preços dos livros:

“Estação Terminal” – R$ 15,00 (Grátis 1 camiseta do livro)

“Peripécias de Minha Infância” – R$ 20,00 (Grátis 1 camiseta do livro)

Seminário ProExt Cultura SP: Políticas Públicas de Cultura e Extensão Universitária

22, 23 e 24 de setembro de 2010

O Seminário é resultado de uma parceria entre o ProExt Cultura SP/MinC e a Universidade de São Paulo. O objetivo do Seminário é fomentar o debate sobre a atuação da universidade como produtora de cultura com ênfase nos projetos de extensão universitária. Serão abordadas nas mesas de debate e nos grupos de trabalho questões relativas às políticas públicas de fomento à extensão em cultura e às práticas de extensão realizadas pelas pró-reitorias e projetos de extensão universitária em curso. O Seminário se propõe a ser um espaço de debate e reflexão sobre a crescente participação das universidades como agentes promotoras de ações de democratização do acesso à cultura, bem como do papel das políticas públicas de incentivo a estas ações. O encontro reunirá na USP, campus de São Paulo, representantes das pró-reitorias de extensão das universidades paulistas, estudantes e professores envolvidos em projetos de extensão apoiados pelo ProExt, representantes do Ministério da Cultura e demais interessados pertencentes à comunidade acadêmica e à classe artística.

Tel.: 11 3091-3348/3277 | proacult@usp.br

Programa do evento e inscrições: http://www.usp.br/prc

Universidade de São Paulo

Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária

Edital de apoio a projetos que contemplem o 20 de Novembro – Dia Nacional de Celebração da Consciência Negra

Secretaria de Estado da Cultura

Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias (ACGE)

Governo do Estado de São Paulo lança Edital de apoio a projetos que contemplem o 20 de Novembro – Dia Nacional de Celebração da Consciência Negra

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura e a Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias (ACGE) lançam o Edital de Apoio a Projetos de Promoção do Dia da Consciência Negra.

Publicado no dia 03 de setembro no Diário Oficial do Estado, seção I, página 123, o edital receberá projetos até o dia 18 de outubro de 2010. Serão vinte prêmios de R$ 10.000,00 (dez mil reais), num total de 200 mil reais.

“Desde 2007 apoiamos o feriado e atividades relativas ao Dia Nacional de Consciência Negra, 20 de novembro, em vários municípios do Estado, mas percebemos um aumento significativo no número de cidades com o feriado, e também muitas cidades, que mesmo sem o feriado, realizam atividades para celebrar e discutir a data. Portanto, lançamos esse edital para democratizar e oportunizar o apoio ao maior número de iniciativas que divulguem, promovam e discutam essa importante data”, diz Leandro Rosa, Assessor de Cultura para Gêneros e Etnias.

Inscrições – Os projetos deverão ser entregues diretamente na Secretaria de Estado da Cultura no Núcleo de Protocolo e Expedição, na Rua Mauá, 51, Luz, São Paulo – SP, CEP: 01028-900 ou encaminhos por meio de serviços de postagem de correspondência dos Correios, nas modalidades: correspondência ou SEDEX, ambos com Aviso de Recebimento (A.R.).

Resultados – A divulgação dos projetos premiados, segundo o edital, está marcada para o mês de novembro. “Espero que recebamos muitos projetos, e que possamos criar com eles e com as atividades já realizadas pela ACGE, como o grande show de 20 de Novembro da Praça da Sé, e com as atividades, ligadas à data, de todos os equipamentos culturais da Secretaria de Estado da Cultura, uma grande programação cultural em todo o Estado. Não deixem de participar!”, enfatiza Leandro Rosa.

Mais informações no telefone: (11) 2627-8123 ou no site da Secretaria de Cultura – www.cultura.sp.gov.br.

Atenciosamente,

Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias

Secretaria de Estado da Cultura

Governo de São Paulo

www.consciencianegra.com.br

http://blog.consciencianegra.com.br/

O Memorial da América Latina convida para Aranduú Poraã – Fotografia Guarani

de 9 de setembro a 2 de outubro

curadoria Bruno Schultze

Exposição fotográfica dos Índios Guarani de Aldeia do Ribeirão Silveira | Bertioga | Sp

A exposição é resultado de workshop realizado na aldeia em abril de 2010

Degustação de culinária guarani

Memorial da América Latina | ala lateral do Auditório Simon Bolívar

Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664 | Barra Funda | São Paulo | SP

Apoio agradecimentos

Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo

ECA/USP

Labtec

SANDÁLIA DE PRATA LANÇA LP

Com músicas do cd ‘Samba Pesado’ e ainda um cover psicodélico de Paul McCartney, vinil será lançado com show-baile na Choperia do SESC Pompéia

A banda paulistana Sandália de Prata vai realizar um antigo sonho. Em setembro sai do forno o LP Samba Pesado, com 7 das 12 músicas de seu 2º cd homônimo e ainda um cover psicodélico de ‘Check my Machine’, do ex-beatle Paul McCartney. Antes que alguém pergunte o que uma música de Paul McCartney faz em um disco de samba, a vocalista Ully Costa emenda de primeira: “Nossa sonoridade tem o samba (e algumas de suas vertentes, como o samba-rock, a gafieira e o partido alto) como espinha dorsal, porém nos utilizamos também de elementos do jazz, do rap e do R&B. Cresci nos bailes de samba-rock e nostalgia da periferia e essa música sempre foi um clássico para os dançarinos, então resolvi colocá-la no show e agora no LP”.

O show de lançamento do LP acontece no dia 25 de setembro, às 21h30, na Choperia do SESC Pompéia, que tem sido palco de importantes apresentações do Sandália de Prata, como o Projeto Som da Sul em 2005 (reunindo artistas do Capão Redondo) e os lançamentos de seus 2 discos, ‘Sandália de Prata’ (2007) e ‘Samba Pesado’ (2009).

No repertório do show, além das músicas do LP, como as autorias ‘Gildete’ e ‘Sapato de Ouro’, o Sandália promete incendiar a pista com os clássicos dos bailes: ‘Check my Machine’, ‘Piano Negro’ e ‘Pena Verde’. A Choperia irá se transformar em um grande salão de baile, pois além do show, a festa abre com a discotecagem do maior nome das pick-ups quando o assunto é samba-rock e nostalgia, o DJ Tony Hits. Casais de dançarinos das principais academias de São Paulo também se apresentarão no palco e na pista, entre eles: Moskito & Ana Paula e Shakila & Ana Célia. A banda espera ainda a presença de representantes das principais equipes de baile da cidade.

O grupo Sandália de Prata é formado por Ully Costa (voz), Dado Tristão (teclado), Carlinhos Creck (contra-baixo), Sandro Lima (guitarra), Paulinho Sorriso (bateria), Tito Amorim (percussão), João Lenhari (trompete), Jorge Neto (trombone) e Marcelo Valezi (saxofone).

O LP – Samba Pesado foi produzido em uma das maiores e mais tradicional fábrica de vinil do mundo, a GZ Digital, na República Tcheca, com os mesmos cuidados técnicos e gráficos dispensados ao cd, com capa em material especial e encarte com letras e fichas técnicas completas, para deleite dos colecionadores.

A escolha do repertório do LP foi uma etapa difícil. “Devido às características técnicas do vinil, só poderíamos ter 8 músicas, 4 de cada lado. Optamos por selecionar aquelas que funcionam melhor nas pistas, já que o disco terá os DJ´s como os principais potenciais consumidores. Entretanto, pensamos também no conceito musical da obra e incluímos ‘O Pescador’ (Anderson Vaz e Robson Capela), uma música que não é tão dançante assim mas que traduz muita coisa de um outro lado do nosso som, mais voltado para o samba em si” comenta a cantora Ully. As outras 7 músicas que completam o disco e prometem agitar os bailes Brasil à fora são Dida (Ully Costa e Luciana Simões), Sapato de Ouro (Marquinho Dikuã), Reza Forte (Alê Muniz), Gildete (Ully Costa, Luciana Simões e Alê Muniz), Malandragem (Gabú e Marinheiro), ‘Check my Machine’ (Paul McCartney) e o instrumental Samba Pesado (Dado Tristão, Ocimar de Paula, Paulinho Sorriso e João Lenhari).

O disco chega num momento muito especial do grupo, que vem sendo convidado para shows em grandes eventos, como os palcos principais do Conexão Vivo BH, Festival de Inverno de Garanhuns e Virada Cultural de SP (com participação especial de Elza Soares), e indicado para premiações, como o Prêmio da Música Brasileira 2010, na categoria Melhor Grupo de Samba.

‘Check my Machine’ com Sandália de Prata: www.youtube.com/watch?v=U4GXGs3xquE

pra conhecer mais: www.myspace.com/sandaliadeprata

SERVIÇO

SANDÁLIA DE PRATA – LANÇAMENTO DO LP “SAMBA PESADO”

25 de setembro

Discotecagem a partir das 20h30 com DJ Tony Hits

Show às 21h30 – SESC Pompéia – Projeto Plataforma

Choperia do SESC Pompéia: rua Clélia, 93, Pompéia, São Paulo, telefone: 11 3871-7700

ingressos: R$ 16,00 (inteira), R$ 8,00 (usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, professores da rede pública de ensino e estudantes com comprovante) e R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes).

Não recomendado para menores de 18 anos

PROGRAMAÇÃO BIBLIOTECA BELMONTE – SETEMBRO/2010

XILOGRAVURA: DIÁLOGOS ENTRE TÉCNICAS E GERAÇÕES: Após temporada na Biblioteca Alceu Amoroso de Lima, com passagem pelo Centro Cultural São Paulo, a exposição dos trabalhos dos alunos, feitos durante o ano de 2009, coordenados pelos Professores Valter Eduardo e Ezequiel, das oficinas de xilogravura da Belmonte, se instala no saguão da Biblioteca. Aberta ao público de 2ª. a 6ª. feira, das 8 às 17h, sábados, das 9 à 15h.

Dia 08/09 – 4ª. Feira – 14h: CONTO ENQUANTO ENCANTO: Roda de histórias  de encantamento para crianças a partir de 7 anos, com as contadoras de histórias Maria Luisa Rocha, Andréa Sousa, Mafuane e Fernanda. No auditório Kiyomi Oba da biblioteca.

Dia 09/09 – 5ª. Feira – 14h: NA RODA COM CANTOS, CONTOS, DANÇAS, POEMAS E BRINCADEIRAS: Ação que focaliza as manifestações tradicionais em roda. Com a contadora de historias Andréa Sousa e a arte-educadora Bete Oliveira. Público alvo: idosos que escrevem e apreciam literatura.

Dia 11, 18/09 – sábados e 26/09 – Domingo às 16h: II ENCONTRO DE CANTADORES REPENTISTAS DE SANTO AMARO, NA BELMONTE: Em cada um dos encontros 10 renomados repentistas se apresentarão cantando de improviso algumas das principais modalidades da cantoria, como sextilhas, motes, martelos e quadrões. Haverá participação de poetas declamadores, emboladores e aboiadores. Coordenação Moreira de Acopiara, produção Adão Fernandes. Para público em geral. No auditório Kiyomi Oba da biblioteca.

Dia 15/09 – 4ªfeira – às 14h30: PÁ DE CAL NA BAIXA ESTIMA: Apresentação do projeto da Coordenadoria Regional Sul que realiza em parceria com o Serviço Funerário Municipal, visando o letramento artístico cultural dos sepultadores dos Cemitérios da Zona Sul. Na Sala Temática de Cultura Popular. Público: participantes do Projeto.

Dia 16/09 – 5ª. Feira – das 9h às 12h: SANTO AMARO EM REDES: Encontro da Rede Sócio-Ambiental, da Agenda 21, onde as propostas de ações culturais e economia solidária serão discutidas para o eixo histórico de Santo Amaro. Público: Participantes da Rede.

Dia 30/09 – 5ª. Feira – 19h: IV ENCONTRO DE ESCRITORES CORDELISTAS – CORDEL, RESISTÊNCIA E VANGUARDA: Encontro do público com o poeta Aderaldo Luciano, doutor e mestre em Ciência da Literatura, área de concentração poética, com tese e dissertação sobre Literatura de Cordel. Público em geral. No auditório Kiyomi Oba da biblioteca.

PROGRAMAÇÃO FIXA

VISAGENS VISÕES COMUNS, VISÕES SUBLIMES. Exposição composta por xilogravuras feitas por Ernesto Bonato a partir de retratos também realizados pelo artista, de pessoas que circulam, trabalham ou moram no entorno da biblioteca. Exposição permanente no saguão da Biblioteca. De 2ª. a 6ª.das 8h às 17h e sábados das 9h às 16h.

ESPAÇO DE TEATRO NA SALA DE PESQUISA: Espaço lúdico criado para abrigar o acervo de teatro da biblioteca para consulta e empréstimo, na sala de pesquisa. 2ª. a 6ª.das 8h às 17h e sábados das 9h às 16h.

OFICINA DE XILOGRAVURA – Oficina que trabalha a expressão plástica em xilogravura, manifestação artística estreitamente ligada à literatura de cordel. Ministrada pelo artista Valter Eduardo, autor de diversos folhetos e capas de livros, expositor. A oficina oferece aulas teóricas e práticas. Para maiores de 14 anos. Quartas das 14h às 17h.

OFICINA DE QUADRINHOS EM XILOGRAVURA – Esta oficina leva ao público uma linguagem que desenvolve e estimula a criatividade para o desenho, escrita e leitura. Ministrada pelo artista Ezequiel.  Para crianças a partir de 7 anos alfabetizadas. Sábados das 9h30 às 12h30.

MÚSICA VOCACIONAL–Orientação diferenciada pela abertura a todas as linguagens musicais. Procura incentivar os grupos, bandas formadas ou em formação e artistas solo, interessados na prática musical. Para público acima de 14 anos. Orientador DJ Erry-G, 2as. e 4as.feiras das 13h30 às 16h30

TEATRO VOCACIONAL – Grupos de Estudos de Dramaturgia. Orientadora Malu Bazan: 6ª feiras das 13h30 às 16h30 e Turma de Teatro,  para pessoas à partir de 14 anos: Sábados, das 12h45 às 15h45.

Dia 11/09 – sábado, das 10h às 11h: NATUREZA ENCANTADA – Contação de Histórias que valorizam a natureza e despertam consciência ecológica são narradas pela contadora da Biblioteca Belmonte Andréa Sousa e convidados do Projeto Conta Comigo, para todas as idades. No Pq. Severo Gomes, R. Pires de Oliveira nº 356 – Granja Julieta

Dia 11/09 – sábado das 11h30 às 13h: SEMEANDO E AFIANDO LÍNGUAS ENCANTADAS – Vivências e reflexões voltadas para apreciadores e interessados na arte de ler e contar histórias. Com a comunicóloga, contadora de histórias e mediadora de leitura Andréa de Sousa, na Sala de Contação . Mediante prévia inscrição pelo telefone 5687-0408.

Dia 24/09 – 6ª. Feira às 14h: ESPAÇO GOURMET – DELÍCIAS DA LITERATURA ORAL – A sala de Cultura Popular da biblioteca transforma-se em um “restaurante” e recebe público adulto, de programas de letramento, para uma instigante degustação literária, onde são servidas declamações de cordéis, contação de causos, advinhas, parlendas, trovas e trava-línguas. Essa ação privilegia a interatividade, valoriza os saberes do povo e aguça o apetite para a cultura popular. O Chef convidado é o poeta cordelista Varneci Nascimento.

Dia 25/09 – sábado das 15h às 20h: SARAU SERTANEJO – Todo último sábado do mês grupos de viola caipira e cantoria no tradicional sarau, o público canta, faz poesia matuta, propõe músicas e interage com o organizador Alcione Kosmos. Apresentação de Guarani e participação especial de Paula Dundee.

VISITAS MONITORADAS – A biblioteca recebe grupos previamente agendados para conhecer o Acervo e a Sala de Cultura Popular. Agendamento pelo telefone 5687-0408.

II ENCONTRO DE CANTADORES REPENTISTAS EM SANTO AMARO, NA BELMONTE

Em Setembro, dias 11 e 18, Sábados e 26, Domingo às 16h

Em cada um dos encontros 10 renomados repentistas se apresentarão cantando de improviso algumas das principais modalidades da cantoria, como sextilhas, motes, martelos e quadrões. Haverá participação de poetas declamadores, emboladores e aboiadores. Coordenação Moreira de Acopiara, produção Adão Fernandes.

Os repentistas que se apresentarão no Auditório Kyiomi Oba, da Belmonte, são:

Dia 11/09/2010 – Sábado – 16h

1.            Chico Viola e Enoc Santana

2.            Antonio Alves e Zé Candido

3.            Manoel Leite e Marivaldo Dantas

4.            Zé Batista e Severino de Sousa

5.            Manoel Soares e Zé Rodrigues

6.            Edival Pereira e Fenecon

Dia 18/09/2010 – Sábado – 16h

1.            Gerson Bandeira e Cosmo Caetano

2.            João Neto e Zé Moacir

3.            Andorinha e Zé Monteiro

4.            João Doto e Marcos Rabelo

5.            Antonio Dantas e Chico Pereira

Dia 26/09/2020 – Domingo – 16h

1.            Dedé Laurentino e Luiz Ferreira

2.            Bernardino Bezerra e Sebastião Marinho

3.            Vicente Reinaldo e Titico Caetano

4.            Zé Milson Ferreira e Cícero Vieira

5.            Valdir Teles e Geraldo Amâncio

Participação especial de Otavio Maia e Josa Gonzaga e Zé Francisco e Chico Costa

Auditório Kiyomi Oba,Biblioteca Belmonte-dias 11,18 e 26/9-16h

Rua Paulo Eiró, 525 – junto à Pça. Floriano Peixoto – Sto. Amaro Fone: 5687-0408

Audiência Pública Lei Griô

Dia 24 de setembro, quinta-feira, em São Paulo

Convite

É com alegria que a Rede Ação Griô Nacional convida para mais uma audiência pública sobre a Lei Griô Nacional, que será realizada numa Sessão Especial da Câmara de Vereadores de São Paulo, no próximo dia 24 de setembro, às 13 horas, no Salão Nobre da Câmara, 8º andar, para apresentação, discussão e recolhimento de sugestões e assinaturas ao Projeto de Lei de iniciativa popular Lei Griô.

Atenção: Leve seu título de eleitor para assinar a Lei Griô e vá de verde e amarelo ou com a roupa e instrumento do seu grupo cultural.

Data: 24 de setembro de 2010 (sexta feira), às 13 horas

Local: Câmara de Vereadores de São Paulo

Endereço: Viaduto Jacarei, nº 100, Bela Vista, Salão Nobre, 8º andar, São Paulo

Segue em Anexo o Projeto de Lei e a Minuta para coleta de assinaturas.

Segue abaixo:

- Apresentação da Ação Griô e da Lei Griô

- Entrevista TV FUTURA
- Clip Lei Griô 27 seg

- Clip Lei Griô 3min

- Portal e Blog Lei Griô

- Folheto de divulgação

- Entrevista Jornal “O Estado de São Paulo”

Clip Lei Griô 27 seg:

http://www.youtube.com/watch?v=j9nWxswVSRE

Clip Lei Griô 3 min:
Veja o Clip da Lei griô Nacional
http://www.youtube.com/watch? v=2fYbVx9KDEI

Entrevista TV FUTURA:
http://www.youtube.com/watch? v=oR3t26iWMmo&feature=related

http://www.youtube.com/watch? v=CfulvAnemhA&feature=related

Blog Lei Griô:
https://sites.google.com/site/leigrionacional/

Portal Ação Griô:

www.acaogrio.org.br

Site Grãos de Luz e Griô:
www.graosdeluzegrio.org.br

Apresentação da Lei Griô Nacional

A Lei Griô Nacional está sendo debatida e mobilizada em todo país em sessões especiais nas Câmaras de Vereadores e Assembleias Legislativas.

No dia 05 de agosto foi realizada a audiência pública na Assembleia Legislativa da Bahia, com um público participante de 180 pessoas entre griôs, mestres, educadores e estudantes. A mesa contou com a participação de Javier Alfaya – Deputado Estadual da Bahia, Elaine Tozzi – Coordenadora de Ações da SCC-MINC, Ângela Andrade e Jaqueline Santana – Representando as secretarias de Educação e de Cultura da Bahia, Dona Cici e Raimundo Katusemi – representando os griôs e mestres e os Pontos de Cultura Pierre Verger e Bankoma, Roselane Santos – representando os estudantes da rede de Ensino e Líllian Pacheco – coordenadora da Rede Ação Griô Nacional e do Grãos de Luz e Griô, além da TVE e TV Assembleia.

No dia 24 de agosto foi realizada a sessão especial na Câmara Municipal de João Pessoa – PB com um público participante de 120 pessoas entre griôs, mestres, educadores, estudantes. Na composição da mesa estiveram presentes a Secretaria de Educação de João Pessoa, a SCC/ Ministério da Cultura, a regional Nordeste do Ministério da Cultura, a FUNJOPE – Fundação de Cultura de João Pessoa, a Coordenação da Rede Ação Griô Nacional e do Ponto de Cultura Grãos de Luz e Griô, a Escola Municipal Raimundo Nonato, o Iphan, a Secretaria de Turismo de João Pessoa, a Vereadora Sandra Marrocos, o Forum de Culturas Populares de João Pessoa, além de griôs e mestres representantes da cultura popular e tradição oral do município e dos pontos de cultura Escola Viva Olho do Tempo e Meio do Mundo, além de representantes da mídia local.

Em 2010, a Rede Ação Griô se mobiliza em busca de 1 milhão de assinaturas para apresentar ao Poder Legislativo Federal o projeto de iniciativa popular: a Lei Griô Nacional.

A Lei Griô Nacional foi eleita prioridade  da política de cultura do Brasil na Conferência Nacional de Cultura entre mais de 347 propostas que envolveu cerca de 200 mil representantes da cultura em todo o país.

A Lei Griô Nacional tem como missão instituir uma política nacional de transmissão dos saberes e fazeres de tradição oral, em diálogo com a educação formal, para promover o fortalecimento da identidade e ancestralidade do povo brasileiro.

A Lei Griô foi formulada por uma Comissão Nacional de Griôs e Mestres de Tradição Oral escolhidos pela Rede Ação Griô e contou com contribuições e participação da sociedade brasileira por meio de encontros regionais e nacionais e uma página na internet. A Assembleia Legislativa da Bahia e a Câmara de Vereadores de João Pessoa na Paraiba já abriram suas portas para sessões especiais sobre a lei envolvendo mais de 300 deputados, representantes das secretarias de cultura e educação, griôs, mestres, educadores, e estudantes para discutir a lei griô e encaminhar a sua demanda nos orçamentos estaduais.

A educadora biocêntrica e coordenadora do projeto Grãos de Luz e Griô, Líllian Pacheco declara que  “a campanha da lei griô nacional estará acontecendo durante toda a campanha eleitoral buscando comprometer os candidatos à presidência, além de deputados e senadores.”

A Ação Griô Nacional nasceu em 2006 como projeto criado e proposto pelo Grãos de Luz e Griô, da Bahia, ao programa Cultura Viva da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura. A Ação Griô é uma rede com 130 pontos de cultura, envolvendo mais de 750 griôs e mestres de tradição oral do Brasil , 600 escolas, universidades e outras entidades de educação e cultura.

Hoje, a Ação Griô Nacional é coordenada pelo Grãos de Luz e Griô, o Ministério da Cultura e mais 7 Pontões de Cultura regionais, sendo que na Bahia tem a parceria da Secretaria de Cultura, e em João Pessoa tem a parceria da Funjope e da Secretaria de Educação: Pontão Ação Griô Regional Ventre do Sol (AL, PE, PB, SE e RN) – Congregação Holística da Paraíba / Ponto de Cultura Escola Viva Olho do Tempo; Pontão Ação Griô Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) – Associação dos Amigos do Instituto Histórico; Pontão Regional da Terrra (SP, PR, RS, SC) – Associação Nina Griô e CEACA; Pontão Ação Griô Nascentes e Veredas (DF, GO, MS, MG, ES) – Guaimbê Espaço Criativo; Pontão Ação Griô Regional Amazônia (AM, PA RR, RO AC, AP, CE, PI, MA, TO) – A Bruxa Tá Solta e Carimbó Patrimônio Cultural.

Ação Griô na Escola

Quem são os mestres e griôs? São os pais e mães de santo, capoeiras, cantadores, contadores de histórias, cordelistas, brincantes, bonequeiros, erveiros, curandeiros e todas as pessoas que têm histórias de vida repleta de saberes e fazeres que não estão escritos nos livros, são transmitidos oralmente e vivencialmente, fazem parte da formação da história e identidade das comunidades e do povo de nosso país.

Quando implantada, a lei criará mecanismos para que as comunidades apresentem aos conselhos municipais de cultura seus griôs e mestres de tradição oral. Eles se apresentam vinculados a projetos educativos, associações e a secretarias de educação e passarão seus conhecimentos aos estudantes, com aulas alegres, brincantes, dançantes, cantantes, cheias de histórias que encantam as escolas. O saber oral das ervas das benzedeiras e as ciências da flora da região; o saber das parteiras e as ciências da reprodução; o saber das ladainhas da capoeira e a história do Brasil, são exemplos de práticas e assuntos que mudam o reconhecimento dos estudantes sobre sua própria identidade e ancestralidade.

A Lei apoiará a circulação dos griôs nas comunidades/escolas e a vinculação dos seus currículos aos saberes e fazeres da tradição oral da comunidade, fortalecendo a identidade e ancestralidade dos estudantes, educadores e do povo brasileiro.

Entre as escolas e universidades parceiras da Rede Ação Griô em São Paulo estão a escola Desembargador Amorim Lima / CEACA, o Grupo Cupuaçu e a Escola de Comunicações e Artes da USP.

É notório mérito da participação popular e dos Pontos de Cultura do Brasil neste processo de mobilização nacional da Lei Griô, demonstrando a força da sociedade civil na construção de políticas culturais. Caso aprovada como lei de iniciativa popular atestará que “a sociedade civil é capaz de participar da construção de políticas culturais no país, num modelo democrático e propositivo”, afirma Márcio Griô.

Precisamos fazer valer nosso direito constitucional de criar nossas leis de baixo para cima, desde os municípios até o estado brasileiro.

Vamos meu povo assinar a lei griô!!!

“ quem semeia a paz

só vai colher o amor

vamos meu povo assinar a lei griô…”

Confira o histórico de mobilização e coleta das assinaturas com personalidades importantes da cultura no nosso país – Chico Cesar, Fagner, Jorge Mautner, Alcimar Monterio, Célio Turino, TT Catalão, Sergio Mambertti, Márcio Meirelles e muitos outros.

*Griô é uma palavra abrasileirada pelo Grãos de Luz e Griô e tem origem na palavra francesa griot, que traduz a palavra dieli, numa língua do imperio do Mali, que significa o sangue que circula. Os Griôs são contadores de histórias, cantadores, genealogistas da tradição do noroeste da África responsáveis pela biblioteca viva da tradição oral. São famílias que, no universo da tradição oral, onde o livro não tem um papel social prioritário, guardam a história e as ciências das comunidades, das regiões e do país.

*A pedagogia griô é uma pedagogia criada a partir da prática pedagógica do Grãos de Luz e Griô para sistematizar as práticas e saberes de tradição oral, bem como seus conceitos chaves e seus processos de transmissão e circulação que são reinventados para dialogar com o saber formal nas escolas. Integra mito, arte, ciência, história de vida, tem como centro do saber a identidade e ancestralidade dos estudantes, e a vivência como processo de elaboração do conhecimento, e tem como referências – educadores e pesquisadores brasileiros da educação biocêntrica, da teoria de Paulo Freire, da educação para as relações ètnico raciais positivas, e dissertações acadêmicas que já versam sobre a própria pedagogia griô.

A Minuta e o Projeto de Lei podem ser acessados no Portal www.acaogrio.org.br ou o blog: https://sites.google.com/site/leigrionacional

Com atenção,

Márcio Caires

Coordenador da Ação Griô Nacional

Tel: (11) 8724 4964 (75) 3334-1040 ou (75) 91716974
www.acaogrio.org.br; www.graosdeluzegrio.org.br; graosgrio@yahoo.com.br

Pílula de Cultura Feira Preta “É brincando que se Aprende”

A Pílula de Cultura neste mês de Outubro será dedicada ao universo infantil. Você sabia que comemoramos essa data desde a década de 20, quando um deputado federal teve a idéia de criar um dia especial dedicado as crianças. Porém somente em 1960 é que a data ganhou mais força. Esse dia tão especial é comemorado em datas diferenciadas por todo o mundo.

A roda de conversa com o tema “Fala Criança”, onde o microfone ficará livre para que elas possam botar a boca no trombone, com suas idéias, dúvidas e relatos do dia a dia no seu mundo infantil. Discotecagem com Kalfani (Filho do DJ KLJay), Oficinas de Gravuras em Madeiras com Jaergenton Correa. Apresentação de percussão e coral com da garotada do ORPAS – (Obras Recreativas, Profissionais, Artísticas e Sociais).  E mais…Exibição do filme “AS AVENTURAS DE ARZUR E ASMAR”. A apresentação do evento ficará por conta do  Max DMN (Grupo DMN)com crianças mediando à roda de conversa.

Neste dia teremos a 3ª fase da eliminatória de apresentação do Preta In Festival, com as 4 últimas bandas vencedoras da 2ª fase do festival. Música boa e bandas de vertentes diversificadas darão início a mais uma competição de qualidade que abrilhantará o palco da Pílula de Cultura.

Dia: 17 de Outubro de 2010.

Horário: das 15h ás 20h

Local: Casa das Caldeiras: Av. Francisco Matarazzo- Barra Funda

Acesso: Grátis
Pretainfo: (11) 2537-6286              (11) 3031-2374

E-mail: feirapreta@uol.com.br

Vem aí dias 18 e 19 de Dezembro de 2010 a 9a. Edição da Feira Cultural Preta no Centro de Exposições Imigrantes – Jabaquara

* Esse email feirapreta@uol.com.br, será desativado em um mês por favor redirecione para adriana@feirapreta.com.br

Feira Cultural Preta
Adriana Barbosa
adriana@feirapreta.com.br
55 11 3031-2374
55 11 8336-1012
MSN:feirapreta
Skype:feirapreta1

QUARTAS NO NUPAUB
C O N V I T E
Quartas no Nupaub é uma atividade mensal, que reúne estudantes de graduação e pós-graduação, além de interessados em geral na discussão de temas como conflitos socioambientais, etnoconservação, memória, populações tradicionais. O objetivo das “Quartas no Nupaub” é promover o debate acerca destas temáticas a partir da exposição realizada por interlocutores convidados (professores, pesquisadores, lideranças de movimentos sociais, etc.). De maneira informal convidados e participantes trocam  informações e idéias sobre o assunto do dia, aprofundando e construindo experiências e conhecimentos.

Agenda – Dia 13 de outubro de 2010 às 18 horas

Convidado -  Dra. Suzana Ribeiro (historiadora)

Local de realização:

Rua do Anfiteatro 181, Colméia – Favo 6 – fone 3091-3142  – Cidade Universitária
CEP: 05508-060 – São Paulo/SP – Brasil

Ato de lançamento do Gerere Lélia Gonzalez

Convite

Olá,

É com grande alegria que noticio a criação do Grupo de Estudos em Relações Étnico-Raciais e Educação Lélia Gonzalez (Gerere).

Ato de lançamento do Gerere Lélia Gonzalez
data: 24/09/2010 – sexta-feira
horário: 19h30
local: Faculdade de Educação da USP, sala 124, Bloco B
Convidados:
Profa Petronilha Silva e Prof Kabengele Munanga e profa Lisete Arelaro
(mesa-redonda)
Flavia Rios (Conferência: o Legado de Lélia)

O Gerere é uma iniciativa de estudantes negras e negros do programa de pós-graduação em Educação da FEUSP. Nosso principal objetivo é pressionar a referida instituição pela efetiva implementação do artigo 26-A da LDB 9394/06, que institui o ensino obrigatório do Ensino de História e Cultura Afro-brasileira, Africana e Indígena, nos seus cursos de graduação (licenciatura e Pedagogia) e pós-graduação. Além disso, estamos nos propondo a estudar coletivamente as relações étnico-raciais e suas interfaces com a pesquisa educacional, tema que une nossas pesquisas.

Contamos com a presença de vocês e ajuda na divulgação virtual do evento!

Com axé,

Gerere Lélia Gonzalez

Noite do maranhão com Henrique Menezes e Banda Bom q Doi

Coco, sambareggae, pop, tambor de crioula, ciranda, maracatu, bumba-meu-boi e tambor de mina.

No VL Butantã

Dia 25 de setembro, sábado

Av. Vital Brasil, 911 – Butantã

Entrada: R$ 10,00

A partir das 22h

CAMPINAS/SP

Encontro do Projeto Duas Marias e Uma Edite

Data: 25 de setembro de 2010

Horário: 14h

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira (Av. Jhon Boyd Dunlop, s/nº, dentro do loteamento em frente a PUCC)

Este Projeto é o Encontro entre os filhos de Benedito Ribeiro, família e amigos, para conversar e registrar as histórias do tempo em que ele era vivo e fazia Jongo, ou pra relembrar momentos antigos como as festas tradicionais, as brincadeiras, as cantigas de infância, entre outras coisas que hoje não vemos mais por aqui.

O tema deste Encontro será Samba de Bumbo e nossos convidados especiais serão os integrantes do Urucungos Puítas e Quijengues.

Quem quiser presenciar este momento único, é só comparecer!!!!

Maiores informações:

alejongo@gmail.com

vanessadiascultura@gmail.com

comunidadejongoditoribeiro@gmail.com

Visite o nosso Blog: comunidadejongoditoribeiro.blogspot.com

AXÉ

Comunidade Jongo Dito Ribeiro

10° Caruru de Minino

Olás,

26 de setembro é dia de caruru, criança, doce, tambor e festa. As Caixeiras da Guia convidam todos a participar do 10° Caruru de Minino, uma festa em comemoração a Cosme e Damião, realizada em Barão Geraldo e que, desta vez, acontecerá no Centro Cultural Casarão de Barão.

Durante todo o dia acontecerão oficinas e apresentações com as caixeiras e convidados. Venha, traga amigos e familiares. O ingresso para a festa são roupas, brinquedos ou livros usados, em boas condições, que serão destinados à brinquedoteca, biblioteca e o Bazar do Casarão. Mais detalhes da programação, endereço e contatos no convite em anexo.

Esperamos vocês lá!

“Mas ele é pequenininho/ mora no fundo mar/ sua madrinha é sereia/ seu padrinho é o mar”

Caixeiras da Guia

Centro de Cultura Popular Brasileira Apresenta: Festival de Capoeira “Produção de Saberes”

Vivencias de Capoeira, Maculelê, Puxada de Rede, Dança Afro, Samba de Roda, Roda de Capoeira

De 07 a 12 de Dezembro de 2010

Campinas e Guarulhos

“Programação em Andamento”

Mestre Tuim (19) 94111560/81457603/88126657

Tuim_capoeira@hotmail.com

PENSANDO/FAZENDO JUNTO: A CONTEMPORANEIDADE DOS POVOS TRADICIONAIS

SESC Campinas

Pensando/Fazendo com os outros: por uma experiência de diálogo transcultural [abertura]

Dia 21/09

Terça, às 19h30.

Vários povos tradicionais utilizam a roda para se organizar, transmitir e compartilhar conhecimentos. No caso dos índios Xavante, ela é chamada de Warã. Na abertura da semana, uma roda abordando o pensar e fazer com os outros, defendendo a possibilidade do estabelecimento de diálogos transculturais, problematizando os desafios e a urgência desta empreitada. Com Laymert Garcia dos Santos, sociólogo (Unicamp); Pedro Peixoto Ferreira, antropólogo (UFSCar); Augusto Postigo, antropólogo (CERES/Unicamp); e Marina Herrero, indigenista e coordenadora do programa Diversidade Cultural do SESC SP. No espaço Arena.

GRÁTIS.

Imagens e Sentido

Dia 24/09

Sexta, às 19h30.

Uma discussão a partir dos filmes da mostra, explorando o sentido político de diferentes regimes de imagens. Com Stella Senra, doutora em Ciências da Informação pela Universidade de Paris II, pesquisadora e escritora; Cássio Quitério, Cientista Social formado pela Unicamp e assistente da Gerência de Ação Cultural para as áreas de Artemídia e Cultura Digital do SESC-SP; Caimi Waiassé, cineasta Xavante; Eryk Rocha, também cineasta, ambos premiados internacionalmente. Espaço Arena.

GRÁTIS.

Pachamama (Eryk Rocha, Brasil, 2008, doc, 105’)

Dia 23/09

Quinta, às 19h30.

O filme narra a viagem do diretor pela floresta brasileira em direção ao Peru e à Bolívia, onde encontra a realidade de povos historicamente excluídos do processo político de seus países e que pela primeira vez na história buscam uma participação efetiva na construção do seu próprio destino. “A América do Sul vive um momento particular: A terra está fertilizando a política. Não é uma experiência política tradicional, de esquerda, comunista ou socialista, mas uma experiência que vem de uma reflexão cultural (…). A ancestralidade desperta um novo olhar”, explica o diretor. Teatro SESC Campinas. Retirar ingressos na Central de Atendimento.

GRÁTIS.

Cinema Xavante

Dia 22/09

Quarta, às 19h30.

Projeção de vídeos do cineasta Xavante Caimi Waiassé. Tendo seu trabalho exibido na mostra de cinema étnico do MoMa de Nova York, premiado na Alemanha e no México, Caimi Waiassé foi formado na primeira safra de cineastas Xavante, introduzido à prática do vídeo e do cinema aos 13 anos de idade, escolhido pelos anciões da aldeia. Teatro SESC Campinas. Retirar ingressos na Central de Atendimento.

GRÁTIS.

Vivência de vídeo

Dia 25/09

Sábado, das 14h às 18h.

Apresentação dos projetos transculturais e de apropriação tecnológica da aldeia Wede’rã, realizados através da Escola Indígena e do Ponto de Cultura, voltados para a formação dos jovens e fortalecimento e desenvolvimento de sua cultura e tradição. Projeção de fotos e vídeos. Com representantes enviados pela aldeia Xavante. 15 vagas. Inscrições na Central de Atendimento.

GRÁTIS.


Campinas/Guarulhos/SP

Festival de Capoeira

Centro de Cultura Popular Brasileira

Apresenta:
Festival de Capoeira -Produção de Saberes

Vivencias de Capoeira, Maculele, Puxada de Rede, Dança Afro, Samba de Roda, Roda de Capoeira
De 07 a 12 de Dezembro de 2010

Campinas e Guarulhos
Programação em Andamento�

Mestre Tuim (19) 94111560/81457603/88126657
Tuim_capoeira@hotmail.com

SOROCABA/SP

Mostra SESC de Teatro de Rua promove um grande encontro em Sorocaba

Convivência, diversidade e cidadania são os pilares que norteiam as atividades do especial no mês de setembro.

Entre os dias 21 e 25 de setembro o SESC Sorocaba, com o apoio da Oficina Cultural Grande Otelo, Secretaria de Cultura de Sorocaba e Clube União Recreativo Campestre, apresenta a Mostra SESC de Teatro de Rua. As atividades acontecerão gratuitamente na Praça Frei Baraúna e na Praça Cel. Fernando Prestes, ambas localizadas no Centro da cidade, e serão abertas ao público em geral.

Com atividades que envolvem espetáculos, mesa redonda, lançamento de livro e oficinas, a Mostra, que também acontece em outras Unidades do SESC SP, traz uma das manifestações mais antigas da cultura popular. O conceito de Teatro de Rua, como é conhecido atualmente, é marcado pela intenção explícita de criar encenações para ser apresentadas em espaço público, consolidando a rua como uma escolha, e não necessariamente a ausência de alternativa, como ocorreu no passado. Essa manifestação artística é um valioso instrumento para a valorização dos sentidos da convivência e da diversidade, quando promove a visualidade, as tradições populares, a linguagem direta e cativante, além de truques e sutilezas que surgem da interação entre os eventos visuais, sonoros e humanos existentes ao redor, arrastando-os para a história – que muitas vezes se erguem ali mesmo, misturando ficção e realidade, marcas características desta expressão cênica.

Assim, as experiências apresentadas são as mais variadas. Números circenses, teatro formal, folia, folguedos populares, música experimental e dança contemporânea fazem parte do universo apresentado na Mostra e são referências na criação das atividades propostas.

Favorecida desde meados dos anos 80, com a democratização do uso dos espaços públicos, relacionada com a trajetória iniciada pelos grupos no calor das lutas políticas, a prática do Teatro de Rua ocupou um novo lugar no panorama teatral brasileiro, com grupos voltados para pesquisa e a articulação em redes de discussão e compartilhamento das questões pertinentes à área.

Deste modo, a Mostra tem o seu foco no desenvolvimento de ações alusivas à produção do teatro de rua em suas diferentes vertentes. Ao mesmo tempo, pretende reforçar o papel educativo do SESC SP como pressuposto para a transformação social, através da intensa atuação no campo da cultura e suas diferentes manifestações, destinadas a todos os públicos, em diversas faixas etárias e estratos sociais. Assim, o SESC contribui para experiências mais duradouras e significativas, desenvolvendo uma ação permanente com o intuito de valorizar as pessoas ao estimular a autonomia pessoal, a interação e o contato com expressões e modos diversos de pensar, agir e sentir.

Neste ano, Grupos e Companhias de 8 estados do país compõem a vasta programação oferecida pelo SESC na cidade de Sorocaba, aproximando transeunte e espaço urbano, ator e público, em tom constante de intervenção, movimentação e acolhimento.

Programação da Mostra SESC de Teatro de Rua 2010 em Sorocaba

Espetáculo “A alegria do palhaço é ver o circo pegar fogo”

Grupo Tá na Rua (RJ)

Terça, dia 21, às 14h

Local: Praça Cel. Fernando Prestes

Grátis

Mesa redonda “O Teatro de Rua como Ação Política”

Amir Haddad e Licko Turle

Terça, dia 21, às 17h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis. Inscrições antecipadas na Central de Atendimento do SESC Sorocaba.

Lançamento do livro

“Teatro de Rua no Brasil: A primeira década do terceiro milênio”, de Licko Turle e Jussara Trindade

Terça, dia 21, às 18h30

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis. Inscrições antecipadas na Central de Atendimento do SESC Sorocaba.

Espetáculo “Nas Rodas do Coração”

Cia. Teatral As Graças (SP)

Terça, dia 21, às 20h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis

Espetáculo “A paixão e a sina de Mateus e Catirina”

Associação Cultural Tropa do Balaco Baco (PE)

Quarta, dia 22, às 20h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis

Oficina “Ator e um teatro de invasão da cidade”

Com o Grupo Teatro Que Roda (GO)

Quinta, dia 23, às 14h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis. Inscrições antecipadas na Central de Atendimento do SESC Sorocaba

Espetáculo “Cirquinho de Pulgas”

Legião de Palhaços de Santa Catarina (SC)

Quinta, dia 23, às 15h

Local: Praça Cel. Fernando Prestes

Grátis

Espetáculo “As grandes lonas do céu”

Cia. Candongas e Outras Firulas (MG)

Quinta, dia 23, às 20h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis.

Oficina com a Cia. Candongas e Outras Firulas (MG)

Sexta, dia 24, às 14h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis. Inscrições antecipadas na Central de Atendimento do SESC Sorocaba.

Espetáculo “Das saborosas aventuras de Dom Quixote de La Mancha e seu escudeiro Sancho Pança – Um capítulo que poderia ter sido”

Grupo Teatro que Roda (GO)

Sexta, dia 24, às 20h

Local: Oficina Cultural Grande Otelo

End.: Praça Frei Baraúna, s/n

Grátis.

Espetáculo “Cíclopes”

Grande Cia. Brasileira de Mystérios e Novidades (RJ)

Sábado, dia 25, às 11h

Local: Praça Cel. Fernando Prestes

Grátis

Outras informações na Central de Atendimento do SESC Sorocaba, na Avenida Washington Luiz, 446, Jardim Emília, ou pelo telefone 3332-9933. Confira a programação completa no portal www.sescsp.org.br.

Kátia Pensa Barelli

Setor de Programação

SESC Sorocaba

Av. Washington Luiz, 446

Jd. Emília – CEP 18031-000

(15) 3332-9933 / 3332-9940

Visite: www.sescsp.org.br/sorocaba

OSASCO/SP

A Civilização Yorubá a partir de seus Mitos e Orikis

Curso Gratuito de Cultura Africana Yorubá

Ministrante: Ivan da Silva Poli

Local: Biblioteca Pública Monteiro Lobato

Endereço: Av. Marechal Rondon, 260 – Centro – Osasco – SP

3 aulas aos sábados – 02/10, 09/10, 16/10 – das 14h às 16:45h

A proposta do curso é expor um panorama de como se estruturava a sociedade Yorubá partir da análise de Orikis (um dos gêneros literários de sua oralidade) e de como seus mitos (os nossos conhecidos Orixás) formaram e delinearam esta sociedade:

a) a estrutura social

b) o sistema econômico

c) o sistema de comunicação

d) o sistema de racionalidade

e) o sistema tecnológico

f) o sistema moral

g) o sistema de crenças

h) o sistema estético.

Também faremos uma breve incursão na diáspora Yorubá no Brasil e iniciaremos o debate de como estes mitos podem nos ter influenciado em nossa formação.

O curso é inteiramente gratuito e fornece certificado de horas de AACC ou estudos complementares para quem necessite.

Informações e Inscrições pelo e-mail

mahxandre@gmail.com

(Marili)

CANANEIA/SP

Troca de Saberes Populares sobre Plantas Medicinais

Encaminho convite do encontro – Troca de Saberes Populares sobre Plantas Medicinais, no dia 28 de setembro, terça-feira, em Cananéia, Vale do Ribeira/SP, no Salão Paroquial.

Aprecie um delicioso chá aromático, troque receitas, conheça experiências na área, participe!

A organização da atividade é parte das ações da Pastoral da Saúde da Paróquia São João Batista de Cananeia, além de outros interessados e voluntários.

Quem puder imprimir o convite em Preto&Branco e contribuir na divulgação agradecemos!

Att,

Bianca C. Magdalena

Cientista Social, educadora, pesquisadora na área da Antropologia, especialmente sobre o modo de vida de populações tradicionais caiçaras e coordenadora de projetos culturais, mãe de Ícaro e Rudá.

São Bernardo do campo/sp

Residência Artística na Câmara de Cultura de São Bernardo do Campo

Cia. Mundu Rodá 10 anos – da Tradição à Cena Contemporânea

Olá amigos!

Neste mês de setembro receberemos a Cia. Soma (SP), formada pelas dançarinas Maria Eugenia e Marina Abib, para a realização de duas atividades: uma Vivência e uma Aula Espetáculo. Prosseguimos também com mais uma edição do Samba Parêia! e fechando o mês, o Workshop de Rabeca com Alício Amaral e a atividade Rabecando no Quintal com a Cia. Mundu Rodá.

Confira nossa programação!

Esperamos vocês!

Juliana Pardo e Alício Amaral

Cia Mundu Rodá de Teatro Físico e Dança

www.munduroda.blogspot.com

residenciamunduroda@gmail.com

Programação – Setembro 2010

Aula Espetáculo: DO PAPO AO PASSO

Com a Cia. Soma (SP)

As dançarinas explicitam o caminho da construção de seu repertório coreográfico através das danças das brincadeiras populares e demonstram cenas de seus diferentes espetáculos.

Dia 18 de setembro (Sab.), 19:30h

www.ciasoma.blogspot.com

Vivência: BRINCADEIRAS DANÇADAS

Com a Cia. Soma (SP)

Serão utilizadas técnicas de consciência corporal para transmitir aos participantes as danças populares brasileiras pesquisadas pelo grupo e suas possíveis formas de recriação.

Público: artistas, estudantes de teatro e dança e interessados em geral.

Vagas: 15.

Inscrições: primeiros inscritos pelo residenciamunduroda@gmail.com

Dia 18 de setembro (Sab), 15h às 18h

Workshop de Rabeca

Com Alício Amaral – Cia. Mundu Rodá

O workshop proporciona um primeiro contato com o universo sonoro da Rabeca, instrumento de arco usado em diversas manifestações populares brasileiras. Para iniciantes e iniciados, a oficina abordará o sotaque da rabeca da Mata Norte de Pernambuco (PE), explorando as toadas tradicionais e noções básicas sobre o instrumento.

Público: rabequeiros, violinistas, estudantes de música e interessados.

Vagas: 12.

Inscrições: primeiros inscritos pelo residenciamunduroda@gmail.com

OBS: O participante deverá levar seu instrumento (rabeca ou violino).

Dia 25 de setembro (Sab), das 14h às 18h.

www.munduroda.blogspot.com

Rabecando no Quintal

Com a Cia. Mundu Rodá

Encontro com a música de Rabeca, realizada pela Cia. Mundu Rodá, convidados e participantes do workshop.

Dia 25 de setembro (Sab), das 19h às 20h

Em andamento:

OFICINA MONTAGEM Cia. Mundu Rodá de Teatro Físico e Dança

Começou neste mês a Oficina Montagem abordando as corporeidades das figuras (personagens) da Dança Dramática do Cavalo Marinho da Zona da Mata Norte de Pernambuco para a construção de novas formas de expressões artísticas, resultando em um espetáculo cênico-musical.

Sobre a CIA. SOMA

As dançarinas Maria Eugenia e Marina Abib fundaram a Cia. Soma (2008) com o intuito de formalizar um trabalho que já vinham desenvolvendo conjuntamente. Juntas buscam dar continuidade a um estudo de dança cujo conceito não é mostrar como cada gênero da dança popular pode ser interpretado na sua própria particularidade, mas sim como a junção de passos, gestuais e gingados podem dialogar entre si, criando assim uma síntese expressiva que transmita as peculiaridades individuais de cada dançarina.

Através do prêmio ProAC na categoria “Pesquisa e Investigação em Dança” do Governo do Estado de São Paulo, foi realizada uma monografia e aula-espetáculo sobre a pesquisa teórica desenvolvida pelas dançarinas. Já o espetáculo Mira, que circulou em CEUs, ONGs e teatros públicos da cidade de São Paulo, foi criado através do Prêmio Klauss Vianna 2008/2009, do Governo Federal. Paralelamente participam, ao lado de Antonio Nóbrega, do espetáculo “Naturalmente – teoria e jogo de uma dança brasileira”, ganhador dos prêmios APCA na categoria dança e melhor do ano de 2009 pelo Guia da Folha de São Paulo.

Todas as atividades são gratuitas.

Este projeto foi contemplado pelo edital público de Residência Artística na Câmara de Cultura – Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo (SP)

Local: Câmara de Cultura Antonino Assumpção

Rua Marechal Deodoro, 1.325 – Centro

São Bernardo do Campo – SP

F: (11) 4125-0054

Share and Enjoy:
  • Print
  • Digg
  • StumbleUpon
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
Esta entrada foi publicada em Agenda Famaliá. Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>